The Walking Dead – 4×16 – A [Season Finale]

The Walking Dead 4x16

Continua após as recomendações

The Walking Dead finalmente chega ao final de sua quarta temporada e, pela segunda vez seguida, não apresenta um episódio digno de season finale. A verdade tem que ser dita, por mais dolorosa que ela seja… The Walking Dead vem decepcionando ao longo dos últimos episódios, e olha que eu sou um grande defensor da série, pois a defendo daqueles que reclamam sobre os episódios parados e sem zumbis, afinal The Walking Dead também tem que desenvolver seus personagens. Durante essa reta final da quarta temporada, o desenvolvimento foi feito com alguns, e apesar de enrolarem criaram uma expectativa alta para o season finale.

A expectativa foi tão alta que o episódio quebrou recorde de audiência, o que acaba sendo um ponto positivo para a série, pois é de extrema importância para o canal. Audiência alta não é sinônimo de bom episódio, portanto não utilizem isso como desculpas. Poderia facilmente apresentar aqui alguns fatos absurdos ou até mesmo peculiares, como, por exemplo, aquela pá que o Rick estava para enterrar a bolsa cheia de armas.  Ele nunca teve uma pá e eis que quando ele precisa de uma pá, ela aparece.

Continua após a publicidade

Deixando isso de lado, vamos ao episódio em si, que teve bons momentos e outros nem tanto. Um dos grandes problemas desse episódio foi a utilização excessiva dos flashbacks, mostrando a prisão ainda em seus bons dias. Acredito que a ideia foi mostrar a mudança do Rick desde a saída da prisão até agora, porém os roteiristas tiveram sete episódios para mostrar o desenvolvimento dos personagens e deixaram para fazer isso somente na season finale. Completamente errado e desnecessário, na qual deixou o episódio bem cansativo.

O encontro entre Rick e Daryl foi uma das coisas boas do episódio, principalmente a cena em que o Rick, sob a mira da arma da Joe, observa o Daryl sendo espancado e o Carl quase sendo estuprado. Ele tem um surto e simplesmente arranca a jugular do Joe com os próprios dentes. A atuação do ator Andrew Lincoln nessa cena é indiscutível, sendo esse um dos poucos momentos memoráveis do personagem nessa temporada.

Após todo esse momento de tensão, o episódio chega no momento que finalmente teria algo sendo revelado sobre o tal Terminus, porém, mais uma vez, faltou coragem dos roteiristas. A ideia do Rick de verificar o local antes de entrar foi até boa, porém não foi praticada. O grupo entra escondido no local e, em seguida, encontra com algumas pessoas – ficou fácil identificar que estas eram completamente suspeitas. A cena em que o Rick, Daryl, Michonne e Carl são perseguidos até impressiona serve apenas como a  mais pura enrolação. Eles são capturados pelo grupo do Gareth (Andrew J. West) e são trancafiados dentro de um container, onde encontram com o grupo do Gleen. O momento final do episódio é fraquíssimo, pois criou-se um momento de expectativa no momento que o Rick parece que vai apresentar um grande plano, mas simplesmente diz que o grupo do Gareth está mexendo com as pessoas erradas.

Espero que a próxima temporada de The Walking Dead seja um pouco mais ousada e tenha episódios com a qualidade mostrada em “Too Far Gone” e “The Grove”, pois capacidade para isso já foi provada que tem, agora falta utilizar com mais frequência.