The Walking Dead – 5×07 – Crossed

rick

Continua após as recomendações

Pois é… estava preparado para algo épico, sem precedentes, mas isso ficou pro winter finale. Acho que a minha quase decepção (quase) com Crossed foi muito por conta da expectativa gerada pelo episódio anterior.

Basicamente eles fortificam a igreja e vão ao resgate de Carol e Beth. Rick quer passar o cerol em todo mundo do hospital, o líder já dá sinais de tolerância zero, beirando a psicopatia. Não tá respirando, ele mata. Tá respirando e não é do grupo dele, mata também. O personagem está no limite, mas o yin de seu yang é Tyreese, que, aparentemente, pretende ganhar o nobel da paz e quer seguir por um caminho sem violência… Quando que ele ficou tão bundão? Ok, estou sendo injusto aqui, seu plano é melhor e mais fácil que o de Rick, por sorte Daryl tem mais juízo que eu e convence o pai de Carl. É um bom momento para percebermos o quanto Rick respeita nosso redneck favorito, pois aceita a sugestão de Daryl sem nem pestanejar. Então, eles resolvem capturar dois policiais do hospital pra fazer uma troca. Alguma ação, um pouco de tiro, pancadaria entre Daryl e um dos policiais com direito a uma arma bem inusitada (não lembro de ninguém ter usado a cabeça de um zumbi como porrete antes), finalmente a captura e muito blá blá blá depois explicando as divergências entre os capturados e Dawn, a líder do hospital.

Continua após a publicidade

Na igreja, Michonne ( que está totalmente subaproveitada até agora) já percebeu que Carl dá sinais de que será um líder muito melhor que Rick. Ao contrário do pai, que se adaptou às situações impostas, o garoto é fruto desse mundo, está crescendo em meio ao caos. Já viveu e passou por coisas que seu pai nem sonhou quando tinha sua idade. O amadurecimento do personagem é nítido, não sei quanto tempo a série ainda tem pela frente, mas quero muito ver esse moleque adulto. Cresce rapaz!

Confesso que estou curioso quanto ao futuro de Padre Gabriel, ainda não consigo entender suas motivações e nem qual será sua importância no futuro. E parece que lutar contra zumbis não é o único problema do pessoal, algo também deve estar afetando o cérebro da galera e os transformando em completos imbecis. O que afinal o padre queria ao sair da igreja, se nem matar uma mosca sozinho o cara consegue? Quase virou lanche de morto-vivo.

gabrielE no grupo que ninguém se importa (reforçados por Glenn e Maggie), infelizmente o que ninguém desejava aconteceu: Eugene sobreviveu ao espancamento. O que é impressionante, porque a caída de cara que ele dá no chão deveria fazê-lo pelo menos ter ficado sem nariz ou espirrando terra e sangue por um bom tempo. Enfim, Abraham ficou o episódio inteiro fazendo beicinho, to torcendo muito pra que, sem nenhum propósito na vida, o ruivão vire um grande vilão, violento, caótico… e se isso não acontecer, toda seu arco vai ter sido tão inútil quanto o apelido que Tara cria para o grupo deles: GREATM, a sigla com inicial do nome de cada um. O que afinal os roteiristas querem com esse grupo de personagens tão desinteressantes? Em determinado momento Maggie aponta uma arma para Abraham… meu Deus, como torci pra que ela atirasse.

Com a morte de Bobby, Sasha tem tudo para crescer muito na série. Sua dor e angústia nos foi mostrada de forma brilhante pela atriz Sonequa Martin-Green. A cumplicidade na cena com Tyreese foi o momento mais tocante de toda a temporada até aqui. Porém, como nem tudo pode ser perfeito, Sasha no fim do episódio também foi acometida pelo vírus da burrice. É levada pela lábia de Lamson e dá as costas para o prisioneiro. Brilhante! Lamsom, que, aparentemente, é o refém mais importante, consegue fugir. Isso deve melar o plano da troca, e torço pra que voltemos ao plano inicial de Rick: Invadir o hospital. Pois eu quero ação, muita ação no oitavo episódio, o último antes da pausa de inverno.

Como podemos ver, Crossed deixou mais perguntas que respostas,  apenas nos preparando para o grande final. E parafraseando Lulu Santos, “não vou dizer que foi ruim, também não foi tão bom assim“. Dei três estrelas, com gostinho de duas e meia.

Obs.: Carol vinha brilhando, é de extremo desperdício deixá-la dormindo por tanto tempo. Queremos mais Carol!

Avatar

No comments

Add yours