The Walking Dead – 5×16 – Conquer

Twd

Imagem: Nerdbastards


Sabe quando você vê um episódio sensacional da sua série favorita e tem vontade de sair correndo pelado pela sala e gritando feito louco? Pois é, eu não. Procura um psicólogo caso você tenha esse tipo de vontade, por que é estranho. Mas que o season finale de TWD foi de explodir a cabeça, isso não tem como negar.

O episódio já começa eletrizante, finalmente mostrando a volta definitiva de Morgan. O cara está mais ninja que a Michonne. Ele confronta os tais wolves, que marcam as testas dos walkers com a letra W (fazendo cair por terra a minha teoria de que era um M ao contrário, pois não é Morgan o “tatuador de zumbis”). Ao confrontar Morgan, um dos Lobos explica que os primeiros colonos colocaram uma recompensa por lobos genuínos, o que não demorou para levar os animais à beira da extinção. Mas eles estão de volta e usam humanos como alimento de mortos-vivos, também fazendo aumentar a quantidade deles por aí… bizarro não? Mas já aprendemos que há proliferação de malucos em um apocalipse zumbi.

Carol está a cada dia melhor. Ela já tomou o lugar de Michonne como personagem feminina mais fodona da série (desculpe-me o termo, mas não consegui expressar tamanha fodacidade com outro adjetivo). O confronto dela com Pete chega a dar pena do cara (mas não muita, ele mereceu), que praticamente vira uma bitch da ex-dona de casa,  com direito a faca no pescoço. Ao fazer o desafio de agressão, nós percebemos o quão covarde o marido de Jessie é… bater em mulher é fácil, mas não quando ela está disposta a reagir. Não quando ela é Carol!

Continua após a publicidade

E aqui vai uma pausa pra aplaudir Melissa McBride. Sua personagem estava marcada para morrer na segunda temporada, mas a atriz bateu o pé, ganhou a queda de braço com os roteiristas e de brinde, fomos nó que ganhamos a nova Carol. Alguém dê dois prêmios para essa mulher, um pela melhor evolução de personagem de toda a série, outro para caso dela perder o primeiro. Muito obrigado, Melissa.

Michonne mostra grande lealdade a Rick. O golpe em sua cabeça no episódio anterior foi para salvá-lo de sua própria loucura. Muito coerente com a personagem, que mesmo contaminada pela utopia do lugar, não deixou de ser fiel ao seu líder. Por isso te amamos, Michonne!

Como era de se esperar, Nicholas arma uma arapuca (caramba, desenterrei essa palavra) para Glenn. Diferente dos quadrinhos em que ele está morto há algum tempo, o namorado de Maggie na TV parece que é imortal. Pela segunda vez ele sai de uma situação extrema de quase-morte e aparece do nada para cima de Nicholas. Entendo a filantropia do japa, mas tudo tem um limite. Glenn foi abandonado por Nicholas na porta giratória, cercado de walkers (Noah morreu por isso), se livrou, e deixou o covardão vivo. Agora, levou um tiro no ombro, foi deixado no chão, ferido, literalmente sob um grupo de zumbis e escapou milagrosamente dessa horda, para dar uma nova surra no covarde… e deixá-lo viver de novo! E ainda sair como um “amiguinho”, abraçados!? Fiquei com muita vontade de te xingar, Glenn… mas você é o namorado da minha musa, então te perdoo.

Padre Gabriel, assim como Sasha, está à beira da loucura. O padre, tomado pela culpa da morte dos seus fiéis, entra em combate com Sasha, depois de uma boa dose de babaquice proferida. A irmã de Tyreese quase mata o chatíssimo padre, mas Maggie a impede (Maggie, sua linda, te amo, mas nessa você deu mole). Gabriel já substituiu Eugene e Abraham como personagem mais insuportável de todos. Algum zumbi coma logo a cara dele, por favor!

Daryl e Aaron procuram por novos recrutas, mas caem numa armadilha dos Lobos. Eles mordem a isca, que era alguns caminhões de alimentos, que estavam cheios de mortos-vivos! Ambos acabam presos dentro de um carro, cercado por zumbis batendo no vidro. Daryl estava disposto a se sacrificar, mas Aaron não permite, então decidem lutar… mas de repente, um tiro acerta a cabeça de um dos feiosos, depois outro e outro… É Morgan! Com a sua ajuda, eles conseguem se salvar e, em gratidão, Aaron o convida para Alexandria. Em princípio ele se recusa, pedindo ajuda apenas para saber o paradeiro de Rick… o resto, vocês podem imaginar.

A cada dia eu também desconfio da homossexualidade de Daryl. O seu discurso no carro, de como se sente preso em Alexandria e fica mais à vontade cercado do perigo, parece esconder muito mais da personalidade do nosso redneck preferido do que se aparenta. Será, que por conta de sua educação opressora, ele se sente como uma das aberrações que enfrenta? Quando essa possibilidade foi ventilada, logo surgiram inúmeros protestos de fãs. Mas pensando bem na evolução do relacionamento dele com Carol e Beth (na verdade em como nenhum evoluiu), muita coisa aponta para esse lado. Para mim, isso não faria a menor diferença, acho que seria até corajoso da parte dos roteiristas explorarem esse lado, ainda mais por conta da aproximação dele com Aaron. Vamos aguardar.

twd rickDeanna está disposta a expulsar Rick e marca uma reunião para isso. Algumas pessoas defendem o pai de Carl, mas nada parece dissuadir a líder de Alexandria. O que ela não contava era com o fato de Padre Gabriel (sempre esse entojo) ter deixado o portão da comunidade aberto, e enquanto a reunião rolava, Rick estava salvando a vida de todos, matando walkers com as próprias mãos (inclusive, queria saber o motivo de uma mordida transformar humano em zumbi, mas beber litros de sangue do morto-vivo, não). Rick chega com um walker nas costas, choca a todos na reunião, e mais uma vez defende seu ponto de vista em como não estão seguros ali dentro e como o povo não está preparado para as ameaças (depois de conhecer os Lobos, devemos todos concordar com ele). Deanna duvida, até Pete aparecer armado com a katana de Michonne e, tomado por ódio e ciúme, degolar Reg de forma brutal. Nesse momento, ao ver seu marido morto, a líder se dirige a Rick, tirando qualquer freio que ainda estava o prendendo: “Mate-o!”. Rick mata o marido de Jessie sem tremer o pulso (alguém vai sentir falta?). Na mesma hora, Morgan aparece e seus olhos se cruzam aos do Xerife. Diferente do último encontro entre os dois, agora é Rick, coberto de sangue, quem reflete a loucura em seus olhos. Fim, e que fim, de temporada.

Frase épica de Rick: “Eu vim aqui pensando: Quantos de vocês eu devo matar para salvar a vida de vocês?”

O diretor Greg Nicotero fez um excelente trabalho, construiu momentos de tensão fantásticos, os equilibrando muito bem, encerrando uma série de arcos e fornecendo grandes expectativas para a próxima temporada. Ele já dirigiu alguns primeiros episódios de TWD, como o excelente No Sanctuary da quinta temporada. Tomara que ele fique responsável pelo primeiro da sexta também.

Obs: Depois de proferir a sentença: “Toda a vida é preciosa”, como será que Morgan vai reagir ao ver Rick matar Pete a sangue frio?

Obs 2: Michonne finalmente percebe que o lugar de sua espada não é na parede. Até que enfim!

Obs 3: Os Lobos estão perto, encontraram a mochila de Aaron com fotografias da comunidade… parece que finalmente teremos um grupo antagonista forte para os nossos heróis. Só espero que não seja resolvido em três episódios, como os canibais do Terminus.

Mal posso esperar! Vem logo sexta temporada!

Avatar

No comments

Add yours