The Walking Dead – 6×01 – First Time Again

twd

Imagem: TWDenthusiasts

 

 

Finalmente, o grande dia chegou! The Walking Dead, a melhor série de todos os tempos, com aclamação mundial, mais de um milhão de prêmios Emmy e… opa, deixei a euforia tomar conta de mim, deixa eu me recompor. É que o primeiro episódio da sexta temporada já começou possuído pelo ritmo ragatanga, com a turma de Alexandria às voltas com uma represa lotada de errantes (seis temporadas e ainda se recusam a falar aquele nome com z).

Descobrimos que a cidade só se manteve intacta por que os zumb… digo, walkers, eram atraídos pelo som deles mesmos, e acabaram presos entre caminhões e outros veículos em buraco. Volta e meia algum escapa, e a proteção involuntária não vai durar para sempre, forçando nosso grupo a agir. O alarme do cagaço tocou com vontade, graças à quantidade absurda de zumbis na cena. Haja grana pra figurante (ou CGI).

O foco narrativo da história nos é apresentado na forma de flashbacks, de como nossos heróis foram parar ali, intercalando passado e presente, com o passado sendo retratado em preto e branco (alguém aí gritou “clichê”?).

Esperamos meses para saber a reação de Morgan, ao ver o Rick matar Pete com um tirambaço na cara (na cara não, pra não estragar o enterro, diria o Baiano), só pra ver que ficou tudo de boa entre eles, pelo menos por enquanto. Morgan se mostra muito contrariado com as atitudes cada vez mais instáveis de Rick, e isso pode culminar numa guerra civil em TWD. O líder do grupo original está à beira do zero absoluto no quesito frieza, e fazendo contraponto a um Morgan cada vez mais apegado à humanidade. Meu sensor Mãe Diná diz que isso não vai prestar.

Carter acabou cumprindo o papel que seria de Morgan já no início, se contrapondo à Rick. Achei que ele teria tempo de fazer algo relevante, como matar o mala do Eugene que o flagrou conspirando, mas não, botou o rabo entre as pernas e teve a cara comida por um errante, gritando loucamente até ser calado por Rick. Mesmo reconhecendo que era o certo a se fazer, a frieza do agora rei supremo de Alexandria (já está estabelecido, só falta o cetro e a coroa) assustou Morgan, colocando aí mais um tempero nessa rivalidade que se anuncia.

Pausa para dar uma respirada e fazer o meu clichê, dizendo o quanto a Maggie é linda. Pronto.

Então, depois de babar na Maggie, tenho que falar um pouco do Glenn, que só pode estar de brincadeira. Na boa, Nicholas foi responsável pela morte do Noah e tentou matar nosso japa, mesmo assim ganha mais uma chance? Olha, errar é humano, mas errar duas vezes, em TWD costuma ser fatal.

Sasha teve um pequeno destaque, mas virou a hiena Hardy do seriado, só falta repetir “oh vida, oh céus, oh azar” a todo instante. Entendo todas as perdas que ela teve, mas a personagem está tão chata que conseguiria deprimir o Sérgio Mallandro. Pois é, pra completar, ainda a colocaram dentro de um carro para interagir com Abraham, e a alegria não seria capaz de sobreviver ali. Mas no final, a única coisa que eles fizeram, ao lado de Daryl, foi brincar de siga o mestre com os mortos-vivos.

twd 2

Imagem: Seriejunkies

O plano era simples: Atrair os walkers pra longe da cidade, pela estrada. Mas óbvio que as coisas dariam errado, e pelo menos metade da multidão de zumbis segue para Alexandria, quando uma misteriosa sirene é tocada, chamando a atenção dos feiosos. Como diria o grande filósofo dos idiotas da atualidade Cauê Moura, o barato vai ficar louco.

Greg Nicotero é meu diretor favorito em TWD, e mais uma vez não decepcionou. Soube dosar bem o capítulo, com vários momentos tensos de diálogo, bem como na parte da ação, e não deixou cair o ritmo, mantendo o espectador colado na cadeira. Essa temporada promete.

 

Obs: E o Carl, hein? Estava onde nessa confusão toda, já que sequer foi mencionado? Difícil dizer quem está mais sumido, o Carl em TWD, ou a qualidade musical num baile funk.

Obs 2: O imbecil do padre Gabriel? O filho vingativo de Pete? Os Lobos? Quem foi o espírito de porco que tocou a sirene? Façam suas apostas.

Avatar

1 comment

Add yours
  1. Avatar
    Diogo Azis 15 outubro, 2015 at 09:55 Responder

    Adorei essa SP, claro que não supera a da 5ª temporada. Mesmo assim foi ótima! Sasha e Gabriel podem dar as mãos e ir de encontro aos errantes? Carol apareceu pouco, mas pelo próximo episódio ela vai entrar em ação /o/

Post a new comment