The Walking Dead – 6×08 – Start To Finish

the-walking-dead-episode-608-rick-lincoln-935

Imagem: AMC/Divulgação

Continua após as recomendações

“Um dia, essa dor lhe será útil”. Deanna

E chegamos à metade da temporada com um episódio tenso do início ao fim, como só TWD sabe fazer, mostrando que alguns episódios só serviram mesmo para encher linguiça. Quando eles querem fazer um bom episódio eles conseguem. No fim do episódio anterior vimos à torre desabando sobre os muros de Alexandria. Com isso, os walkers finalmente conseguiram invadir a fortaleza trazendo dor de cabeça para nossos guerreiros.

Como de praxe em toda Midseason Finale, nos despedimos de algum personagem. E dessa vez quem disse adeus foi Deanna, a líder de Alexandria acabou ferida na invasão e não voltará ano que vem. Mas antes disso, ajudou nossos guerreiros enquanto eles fugiam. Gabriel, Rick, Michonne, Jessie, Ron, Judith, Carl, Deanna e Sam acabaram encurralados na casa de Jessie. Enquanto a horda se espalhava por toda Alexandria.

Continua após a publicidade

Ron, que pouco antes da invasão iria atirar pelas costas em Carl, acabou sendo o responsável por colocar o grupo em perigo. Numa tentativa de encurralar o filho de Rick, ele acaba chamando a atenção dos zumbis, e com isso, eles conseguem invadir a casa de Jessie com todos dentro. Percebendo que não tem saída, Rick utiliza o velho truque de se passar por walker para conseguir sair da casa.

Isso só mostra as crianças criadas em Alexandria são totalmente diferentes daquelas criadas no meio do apocalipse, como Carl. Sam (o filho mais novo de Jessie) vive uma realidade paralela, como um conto de fadas. Longe de monstros e dentro de uma fantasia. Ao se dar conta que a realidade finalmente bateu na porta ele se desespera. A cena final dele chamando a mãe no meio dos errantes deu aflição. Ron nada mais é do que um adolescente rebelde que culpa Rick pela morte do seu pai, e por isso quer matar Carl.

the-walking-dead-episode-608-morgan-james-2-935

Imagem: AMC/Divulgação

Carol e Morgan tiveram um embate histórico, ao descobrir que ele esconde um dos Wolves, ela não pensa duas vezes e decide matá-lo, mas é impedida por Morgan e aí o clima esquenta. A briga deles, com direito a chutes e pontapés, mostrou que nossa Carol não é frágil e encara até um homem como ele. Mas no fim, ela acabou abatida e o ódio por ele subiu mais rápido que um termômetro numa pessoa com 49 graus de febre. Sério, vai ser difícil os fãs engolirem isso que ele fez. Espero que a morte dele esteja próxima.

Após fazer Denise de refém, o Wolve consegue escapar, mas sem saber que Alexandria está cercada. Entretanto, o que mais me incomodou foi o fato de Rosita, Tara e Eugene viram tudo não fizeram absolutamente nada. Tudo bem que ele estava com uma faca no pescoço de Denise, mas Tara era policial antes do apocalipse e Rosita consegue disparar uma arma sem borrar a maquiagem. Elas darem esse mole foi um erro grotesco.

Tivemos apenas uma cena de Glenn e Enid, eles ficaram do lado de fora vendo tudo e não puderam fazer nada. Mais uma vez ela diz que não vale a pena e quer fugir dali. Glenn, com todo seu bom coração, a convence que eles precisam fazer alguma coisa, e também conta para ela que sabe da gravidez de Maggie.

É assim que The Walking Dead encerra metade da sua temporada. Num balanço geral, confesso que a temporada passada foi um pouco melhor (minha opinião). Agora resta torcer para que nos 8 episódios restantes compensem a espera de quase 2 meses.

A todos que me acompanham um ótimo fim de ano e até fevereiro.

P.S.: A cena após os créditos onde Daryl, Sasha e Abraham são cercados pelo grupo de motoqueiros e obrigados a darem todas as suas coisas para no fim sabermos que Negan está mais próximo do que se imagina. E que ele chegue logo!