Top Mix: Símbolos femininos dos anos 80/90

rachel-green

Imagem: NBC/Divulgação

Continua após as recomendações

 

Olá! Quem curte série antiga aí? Assim como hoje, a década de 1980 e 1990 também tiveram séries de sucesso, que ditaram moda e carregaram muitos fãs. Havia inúmeras como há hoje, mas tinham certos personagens icônicos, que brilhavam nossos olhos só de aparecer em cena. Muitas mulheres lindas passaram na telinha, lançaram tendências, quebraram padrões, venceram preconceitos e marcaram a época. Hoje, o Top Mix vem falar justamente destas personagens femininos marcantes, que se destacaram nas séries dos anos 80 e 90 e tornaram-se símbolos femininos que são lembrados até hoje! Vem comigo!

Continua após a publicidade

(Por Paula Reis)

 

Imagem: BuzzFeed

Imagem: Warner/Divulgação

10) Joey Potter (Dawson’s Creek)

Nos anos 90’s, uma série adolescente mudou o conceito sobre o que era adolescência. Em Dawson’s Creek, os adolescentes mais pareciam adultos com seus papos cults e com suas vidas pessoais complexas. Mas uma garota se destacou mais que os outros personagens: Joey Potter. O amor do protagonista roubava as cenas por onde passava e ela começou a ter os melhores plots do show. Não é atoa que no final quem decidiu com quem ficaria era ela, não o Dawson. Joey com seu jeito nerd e olhares estranhos ganharam destaque suficiente para que ela participasse de todos os episódios do seriado e adolescentes do mundo inteiro quisessem ser como ela. Joey podia não ter uma beleza descomunal, mas era bonita o suficiente para que Dawson e Pacey – melhores amigos – brigassem por ela, além de ter um grande destaque na série. (Por Gabriella Siggia)

 

Imagem: Pravela Blog

Imagem: Warner/Divulgação

9) Felicity Porter (Felicity)

Felicity pode ser considerado um dos sinônimos de beleza do fim da década de 1990. Interpretada por Keri Russell, a série que mostrava uma garota que ia para Nova Iorque fazer faculdade, atrás do seu amor do colégio, proporcionou à sua protagonista momentos que exaltaram sua beleza ainda mais. Em meios a tantas especulações, a personagem muda o corte de cabelo, durante a segunda temporada, deixando-os curtos, e iniciando uma das maiores controvérsias entre seus fãs. Tanto Russell, quanto sua personagem, resistiram bravamente, e enalteceram ainda mais o símbolo feminino nas séries de TV. (Por Anderson Narciso)

 

Imagem: Mix de Séries

Imagem: Warner/Divulgação

8) Buffy Summers (Buffy, a Caça-Vampiros)

Buffy Summers e sua Scoob Gang marcaram uma geração. A série criada por Joss Whedon juntou elementos de vários mundos e criou a icônica super-heroína. Inspirada na personagem dos quadrinhos, Kitty Pride, a Lince Negra dos X-Men, Buffy era a adolescente patricinha e problemática durante o dia e à noite a caça-vampiros de sua geração com habilidades sobre-humanas. Ou seja, dentro de cada bolsa da moda havia uma estaca de prontidão. Ela não só enfrentava vampiros e demônios, impedia apocalipses e morreu e ressuscitou algumas vezes, como tinha que lidar com problemas familiares, escolares e amorosos como qualquer adolescente. E conforme ela crescia, as responsabilidades aumentavam junto. Buffy ao mesmo tempo que sabia de seu fardo e da solidão que sentia, sabia que estar cercada por pessoas era importante. Buffy era um mix de força e ternura. E foi essa complexidade que fez dela alguém com quem se relacionar e a se admirar. Ainda de quebra tinha uma personalidade extremamente sarcástica: “I may be dead, but I’m still pretty!”. Sobretudo Buffy mostrou a uma geração que se pode ser o que se quiser ser. (Por Melina Leal)

 

Imagem: Notícias da TV

Imagem: FOX/Divulgação

7) Ally McBeal (Ally McBeal)

Ally McBeal tornou-se um dos maiores símbolos feministas dos anos 2000. Com sua beleza, simpatia e, principalmente, força de verdade, Ally era a personificação da mulher independente. Calista Flockhart tornou-se símbolo sexual e, com a temática da série, passou a inspirar mulheres, ressaltando que a beleza pode também estar na independência e na força de vontade de vencer na vida. E mesmo com as dificuldades, como ter de lidar com o ex-namorado todos os dias no trabalho, Ally mostrou que, toda qualquer um pode proporcionar um conjunto de beleza: física, espiritual, e, principalmente, profissional. Tendo de lidar com ex-namorado, todos os dias no trabalho, a personagem conseguiu mexer com a cabeça do rapaz novamente e, ainda, mostrou que para ser feliz basta ter vontade de viver. (Por Anderson Narciso)

 

Imagem: Lipstick Halley

Imagem: Lipstick Halley

6) Cleo Hewitt (Fame)

Fame era tipo uma espécie de Glee dos anos 80, e na quarta temporada uma personagem em específico acabou chamando a atenção do público. Tratava-se de Cleo Hewitt, que foi interpretada por ninguém menos que a atriz e cantora Janet Jackson. A irmã do eterno Rei do Pop se destacava não apenas pelo talento que a jovem a qual interpretava tinha para a dança – que convenhamos é algo de genética da família Jackson -, mas também por seus belos e suaves traços. Janet sempre teve uma beleza ímpar, mesmo anos depois tendo intervindo a alguns (vários?) procedimentos cirúrgicos. Tais características da intérprete casou de uma forma única algo encantador em Cleo, que com certeza deu um ar mais belo para a série naquela temporada em que fez parte do elenco. (Por Eduardo Nogueira)

 

Imagem: Shadows Fall

Imagem: Shadows Fall

5) Lois Lane (Lois & Clark: As Novas Aventuras do Superman)

A Lois Lane de Teri Hatcher não é apenas uma das melhores de todas as adaptações – seja da TV ou cinema – do homem de aço, como também uma das mais belas, ficando páreo a páreo com Erica Durance. A protagonista de Lois & Clark não só tinha um rosto bonito, incluía também no pacote inteligência, elegância e carisma, turbinando então ainda mais a beleza da morena. Durante as quatro temporadas da série, a jornalista arrancou muitos suspiros dos marmanjos e foi modelo de referência para a mulherada – por conta de seu estilo clássico e refinado -, causando também inveja para muitas outras. O show pode não ter durado tanto tempo como devia, mas sua Lois Lane ficou marcada como símbolo feminino da época, sendo lembrada pelos fãs até hoje. Quase vinte anos depois do término, Teri Hatcher continua belíssima, provando que o tempo parou, pelo menos para ela. (Por Eduardo Nogueira)

 

Imagem: Playbuzz

Imagem: Playbuzz

4) Roseanne Conner (Roseanne)

Lançada em 88, Roseanne foi uma série super premiada que contava a história de uma família proletária. A comediante Roseanne Barr era a protagonista Roseanne Conner, que era uma mulher mandona, brava e com problemas de excesso de peso. Ela sempre foi muito dominante, tentando dominar a vida da irmã, marido, filhos, colegas de trabalho e amigos. Apesar disso, Rosseanne sempre foi muito amorosa e trabalhou duro para dar tudo o que fosse possível aos seus filhos. Ela de fato foi um exemplo de superação não só como mulher, mas também como cuidar da casa, marido e filhos. Roseanne marcou o fim dos anos 80 e boa parte dos anos 90 enfrentando todos os problemas com muito bom humor. De fato, Roseanne foi uma mulher a frente do seu tempo. (Por Paula Reis)

 

Imagem: Mix de Séries

Imagem: FOX/Divulgação

3) Kelly Taylor (Beverly Hills 90210)

Beverlly Hills 90210, ou para os mais íntimos Barrados no Baile, foi um fenômeno na TV durante toda a década de 90. Uma série voltada para o público adolescente, é claro que seu elenco tinha diversos rostos bonitos, independente de cor, gênero e atributos físicos. No CEP mais badalado da California havia uma jovem que acabava chamando muita atenção, e seu nome era Kelly Taylor. A personagem de Jennie Garth arrancava suspiros por onde passava e se tornou ícone de beleza e estilo para as garotas que acompanhavam a série. A jovem tinha uma beleza tão estonteante, que acabou chamando mais atenção que Brenda, a verdadeira protagonista do show durante as quatro primeiras temporadas. Em 2008, foi produzido então o spin off da série, 90210, e lá estava Kelly fazendo aparições recorrentes nas duas primeiras temporadas, mostrando que foi se tornando mais bela ainda com o passar do tempo, deixando as personagens principais dessa nova versão no chinelo, incluindo sua irmã caçula, a também belíssima Erin Silver. (Por Eduardo Nogueira)

 

Imagem: Bustle

Imagem: Bustle

2) Hilary Banks (Fresh Prince of Bel-Air)

Hillary: a prima abestalhada do Will; a filha patricinha do tio Phill e da tia Vivian; a garota egocêntrica que só gostava de fazer compras e curtir as benesses da fortuna de seus pais; o estereótipo da garota  mimada e malvada em Um Maluco no Pedaço. Hilary sempre teve de tudo e mais um pouco e seu estilo de vida era só compartilhado pela nata da high society de Los Angeles. Não à toa, a primogênita dos Banks marcou uma geração com seu estilo e seus incontáveis chapéus, acessórios que marcaram a personagem. Porém, engana-se quem acha que Hilary foi somente isso. Hilary era a sinceridade em pessoa e, mesmo um pouco avoada e perdida, conseguia o que queria e lutava por sua família. Entrou e largou a faculdade algumas vezes, para desespero de seus pais. Seu sonho sempre foi fazer carreira na televisão e conseguiu. Começando como a Garota do Tempo para um canal local, Hilary trilhou seu caminho no showbiz até montar seu próprio talk show, “Hilary”. Mas como nem tudo são maravilhas, Hilary também passou por momentos difíceis, como a morte do noivo, Trevor Collins. E muitos hilários, com as idas e vindas com Jazz, o amigo esquisitão de Will. (Por Melina Leal)

 

Imagem: Cinescópio TV

Imagem: Cinescópio TV

1) C. J. Parker (Baywatch)

Uma série que marcou uma geração inteira foi Baywatch. Não só pelo enredo, mas também pelas beldades em cena. Uma delas foi CJ Parker (Casey  Jean Parker), interpretado pela belíssima Pamela Anderson. A personagem era uma linda salva-vidas que arrastava olhares por onde passava. Sempre foi muito prestativa e vire e mexe ajudava quem necessitava. Parker foi uma das principais salva-vidas de Los Angeles e se destacou por fazer um bom trabalho. Com certeza, ela foi desejada por muitos homens e invejada por muitas mulheres pela sua beleza e corpo escultural, mas foi a personalidade que Parker tornou-se popular entre os fãs. Vegetariana, ela acreditava em tudo, de sereia e elfos. Tinha muitos amigos e se destacou por sua determinação e bravura. De fato CJ Parker foi um grande símbolo da época, mas que é lembrada até hoje pela sua representatividade no litoral. (Por Paula Reis)

 

Imagem: Mix de Séries

Imagem: NBCDivulgação

Menção Honrosa: Rachel Green (Friends)

O sitcom de maior sucesso dos últimos tempos teve uma musa: Rachel Green. A patricinha tinha tudo para ser um desastre em NY, mas não foi. Logo que apareceu, Rachel era uma pessoa chata, mas com o tempo foi nos conquistando com seu jeito mimado de ser. O corte de cabelo de Rachel (e da sua interprete, Jennifer Aniston) ficou muitos anos no topo dos mais pedidos nos salões de beleza. O que importa é que Rachel soube muito bem conquistar seus amigos e o público e a cada escolha divertida da personagem, nós pudemos rir e nos emocionar com ela. De garota mimada, à namoradinha de Ross, à mãe de Emma, Rachel divou nas 10 temporadas do sitcom e conquistou uma legião de fãs querendo ser a próxima Rachel Green! (Por Gabriella Siggia)

 

Imagem: Post Grad Problems

Imagem: Post Grad Problems

Menção Honrosa 2: Topanga Lawrence (Boy Meets World)

Conhecido por muitos como O Mundo É dos Jovens, este sitcom me conquistou nas manhãs de domingo no SBT. Por mais que a história girasse em torno de Cory e seu inseparável amigo Shaw, quem foi conquistando espaço na trama e no meu coração foi a hippie Topanga Lawrence. A garota surgiu do nada, mas foi nos conquistando com seu jeito único de ser e roubou o coração de Cory. Por muito tempo, Cory e Topanga foi meu OTP dos seriados, principalmente por ser um amor de infância daqueles para a vida toda. Topanga era incrível e continua sendo no spin off Girl Meets World, onde interpreta a mãe da protagonista e é casada com Cory. É incrível o quanto esta mulher evoluiu e se transformou num exemplo de pessoa. Eu já imagina que Topanga seria uma diva desde pequena, mas jamais passou pela a minha cabeça que ela se transformaria num exemplo de mulher e mãe. Por mais que Topanga tenha surgido para atrapalhar (não intencionalmente) a amizade de Cory e Shaw, foi ela a responsável por momentos únicos e por uni-los cada vez mais. Topanga é a prova viva de que a namorada nem sempre separa os melhores amigos! (Por Gabriella Siggia)

E aí, curtiu? Só mulherão com representatividade, hein?! Lembra de mais alguma personagem que marcou a época? Deixe aqui nos comentários.