Top Mix: Melhores séries de super-heróis

super hero tv show

Imagens: FOX/Divulgação; Netflix/Divulgação; CW/Divulgação. Montagem: Mix de Séries

Continua após as recomendações

Olá! Atire a primeira pedra aquele que nunca brincou de ser super-herói, de querer voar, de ter uma capa e salvar o mundo de todo o mal. Desde a infância, somos instigados pela televisão a ter ídolos com super poderes e muitas séries nos marcaram desde então. Mesmo não sendo mais crianças, grandes personagens ainda nos marcam e o que é melhor, está na moda produzir a temática de super-heróis. Para alegria nossa, histórias marcantes dos quadrinhos, tanto da DC Comics, como Marvel, ou tantas outras, estão sendo levadas para a telinha – além da telona dos cinemas. Podem nos chamar de infantis, mas um verdadeiro nerd curte ao menos uma série de super-herói. E existe tantas séries boas, que foi difícil fazer uma seleção das melhores de todos os tempos (muitas ainda ficaram de fora). Buscamos bem fundo, abrimos o baú, mas também não esquecemos das mais recentes, e conseguimos listar as melhores séries de super-heróis. Vem curtir comigo!

(Por Paula Reis)

Continua após a publicidade

 

Imagem: Mix de Séries

Imagem: CW/Divulgação

10) Supergirl

É verdade que nem todo mundo concorda que Supergirl é uma boa série de super-heróis, mas por que não? Porque é divertida? Porque a atriz é jovem e talvez um pouco imatura? Porque a história não é tão boa assim? Bom, Supergirl é sim uma boa série de super-heróis. Com um tom inovador e diferente, trouxe uma protagonista linda, com um ar jovial e diferente, uma personagem leve e divertida, que tem um brilho cômico todo especial. Com uma história gostosa de acompanhar, a série garante bons momentos, desprendidos – muitas vezes – de uma fidelidade aos quadrinhos, mas que aproxima o público da história, principalmente o feminino, que vem aderindo ao estilo cada vez mais. Os efeitos são bem produzidos. Kara é uma personagem que transpassa todo o empoderamento feminino e Supergirl tem se mostrado uma serie de grandes personagens, com uma ótima primeira temporada. Tendo uma excelente adição de elenco e novas historias, o show promete uma segunda temporada ainda melhor, agora que está em sua nova casa, onde passa a ganhar inúmeras novas possibilidades. (Por Jeh Mari)

 

Imagem: io9

Imagem: NBC/Divulgação

9) Wonder Woman 

Exibida na segunda metade da década de 70, a série tinha Lynda Carter no papel da heroína Mulher Maravilha. O piloto de Wonder Woman agradou o público por conta da introdução da personagem, que foi bem fiel aos quadrinhos. A saga de Diana Prince durou três temporadas, sendo exibida a princípio pela ABC, e a partir de seu segundo ano na CBS. Wonder Woman foi a primeira série solo de uma heroína na TV americana, quebrando diversos tabus na época, e abordando como principais temas a liberdade e a democracia. Um fato interessante é que a série quase foi produzida no final dos anos 60, por conta do imenso sucesso de Batman. O projeto acabou não saindo do papel e, em 1974, uma primeira versão da atração foi exibida em formato de telefilme, estrelado por Cathy Lee Crosby. Intitulado como The New Original Wonder Woman, o projeto foi um verdadeiro fracasso, principalmente pela história não ser fiel à versão clássica da heroína amazona. (Por Eduardo Nogueira)

 

Imagem: Mix de Séries

Imagem: ABC/Divulgação

8) Agents of S.H.I.E.L.D.

Dentre os muitos fatores que podemos citar do porquê Agents of SHIELD estar entre as melhores séries de super-heróis de todos os tempos, podemos dizer que, dessa nova leva de series de super-heróis, SHIELD foi a primeira a fazer os estúdios começarem a acreditar no potencial financeiro de um universo compartilhado entre as séries e filmes. Sim, eu sei que Arrow veio antes, mas eles ainda não pensavam em um universo compartilhado. A série acompanha o personagem que roubou a cena em Vingadores, Phil Coulson, interpretado brilhantemente por Clark Gregg, que por sua vez está acompanhado de um ótimo elenco, afinal, quem aí não se apaixonou pela Skye/Daisy? Ou torce pela Melinda May, na hora que o pau quebra? Tudo isso se deve ao carisma dos atores e ao roteiro bem amarrado da série. AoS, como é carinhosamente chamada entre os colaboradores do Mix, faz muito bem o que um seriado ambientado no mundo de super-heróis deve fazer. Prender o espectador atrás da telinha. Todos os arcos apresentados até agora foram muito bons (claro, tudo tem altos e baixos). Mas estou ansiosamente aguardando pelo que pode ser o seu arco mais ousado, o do “Ghost Rider”. A Quarta temporada estreia 20 de setembro na rede americana ABC, já no Brasil, a série é exibida pelo canal Sony. (Por Estevão Vieira)

 

Imagem: IGN

Imagem: Nickelodeon/Divulgação

7) Power Rangers 

A franquia Power Rangers não poderia ficar de fora deste top pelo marco que foi na vida de muitas crianças, inclusive eu, e pelo o que ela representa no mundo dos super-heróis. Os Rangers digamos que não tinham super poderes, mas através de robôs e tecnologia avançada, na hora de morfar, podiam combater o mal com garantia de sucesso absoluto. A série começou nos EUA em 1993, e no Brasil só começamos apreciar em 94 na TV fechada e em 95 na TV aberta. Houveram várias temporadas, mas as mais emblemáticas e elogiadas pelos fãs são as três primeiras, da época da Era Zordon. Desde aquela época até hoje há adaptações, remasterizações da história dos Rangers e variações da série. O estilo Tokusatsu, mais especificamente o Super Sentai, fizeram sucesso na década de 90, quando filmes e séries live-action produzidos no Japão usavam bastante efeitos especiais, misturados com computação gráfica, pirotecnia e outras coisas, formando um estilo próprio de apresentar os heróis na tela. O sucesso de Power Rangers é tão grande que até hoje se produz conteúdo sobre as histórias dos Rangers, e em 2017 sairá um novo filme da franquia. Bom que matamos a saudade dos nossos heróis da infância! (Por Paula Reis)

 

Imagem: Mix de Séries

Imagem: CW/Divulgação

6) Smallville

Smallville é a adaptação mais longa do homem de aço na TV, com um total de 10 temporadas e 218 episódios. A série mostrava um lado de Clark Kent jamais visto, aprofundando-se em sua história bem antes do personagem se tornar o aclamado Superman, algo que veio acontecer apenas no series finale. O seu foco era justamente mostrar as descobertas que o então adolescente foi tendo sobre suas habilidades e a forma que aprendeu a lidar com tudo isso, sempre com o dilema de querer apenas ser um garoto normal. A atração dividiu opiniões dos fãs do herói, tornando-se amada por muitos e odiada por tantos outros, principalmente por algumas alterações de enredo e cronologia. Mesmo assim, a série se manteve firme e, durante seus seis primeiros anos, era a mais vista da The WB e CW, emissoras as quais exibiram o show. Mesmo com diversos deslizes e se tornando bastante subestimada pelo público, Smallville tem sua marca na história da TV americana, e amando ou odiando, o legado criado pela série está bem longe de desaparecer. (Por Eduardo Nogueira)

 

Imagem: Mix de Séries

Imagem: FOX/Divulgação

5) Gotham

Por anos os fãs de Batman desejavam ver o universo de Batman explorado na TV em forma de live-action. Com o material camp do personagem que foi produzido na década de 1960, as histórias do homem morcego precisavam de uma revitalização na televisão. Gotham chegou com a função de ser a “Smallville” do Batman, mostrando a infância de Bruce Wayne e o surgimento de seus antagonistas. Protagonizado por Ben McKenzie, que dá vida ao jovem Detetive James Gordon, a série soube fisgar seu público e agradou em cheio tanto fãs quanto os alheios à história de origem do Batman. Caminhando para sua terceira temporada, Gotham tem criado uma versão própria da infância de Bruce Wayne, mas tem trabalhado bem os elementos essenciais para a narrativa desta história. (Por Anderson Narciso)

 

Imagem: Mix de Séries

Imagem: ABC/Divulgação

4) Lois & Clark: As Novas Aventuras do Superman

Em um momento que a TV não possuía nenhuma série de super-herói, a ABC inovou ao criar uma “comédia romântica” em cima de uma clássica história vinda dos quadrinhos. Lois Lane e Clark Kent eram o foco da série, deixando o Superman de coadjuvante. Ele aparecia, quando necessário, mas quem brilhava mesmo era o casal de repórteres que investigavam boas histórias, prendendo os espectadores por quatro anos, entre 1994 e 1997. A química em tela de Dean Cain e Teri Hatcher era indiscutível. Ela, por sinal, é considerada até hoje uma das melhores Lois Lane em live-action – incluindo as versões de cinema. Infelizmente, a série foi cancelada sem um final apropriado, tendo o seu series finale deixado algumas pontas soltas, mas Lois & Clark é, sem dúvidas, referência para qualquer produção atual do gênero. (Por Anderson Narciso)

 

Imagem: Arquivo Pessoal

Imagem: Youtube/Reporudção

3) Jessica Jones

Quando anunciaram a parceria Netflix e Marvel, meu coração disparou de felicidade e ao mesmo tempo fiquei preocupada que pudesse ser um fiasco. Ainda bem que, até agora, essa parceria vem dando certo e Jessica Jones foi um presente aos fãs de super-heróis que ansiavam para ver uma mulher como protagonista. Jessica Jones poderia ser um fracasso, ainda mais depois de surgir após Daredivil, mas não: ela marcou um novo conceito sobre o que significa ser mulher nos dias de hoje. Com um roteiro impecável, um vilão complexo e carismático e com uma ótima pitada de humor negro, Jessica Jones é mais do que um seriado sobre uma mulher tentando ser heroína, é um seriado em que enaltece o poder feminino sem deixar de lado as preocupações existentes num mundo machista. Krysten Ritter arrasa como a protagonista, mas quem rouba a cena é David Tennant, que consegue nos fazer apaixonar por um vilão totalmente maluco. Embora a segunda temporada já esteja confirmada, não sabemos quando ela estreará na Netflix. Mas, enquanto isso, poderemos pelo menos rever a série e curtir Jessica Jones em The Defenders. (Por Gabriella Siggia)

 

Imagem: Mix de Séries

Imagem: CW/Divulgação

2) The Flash

Uma coisa é certa: depois dos vampiros, chegou a vez da moda de super-heróis invadir a TV. E olha que eles vem dando o que falar! The Flash surgiu como uma premissa dentro de Arrow, e o mais curioso é que o herói velocista conquistou mais fãs do que o arqueiro. Talvez seja pelo carisma do personagem, ou pelo fato dele lembrar muito a HQ. O fato é que Barry Allen pode não ser o homem mais rápido do planeta, mas é, com certeza, o mais divertido e mais emotivo da televisão. A atuação de Grant Gustin é surpreendente, tão surpreendente que foi impossível não chorar com ele na season finale da primeira temporada. Sabe aquela história que existem atores que nasceram para aquele papel? Pois bem, Gustin é tão perfeito como o Flash da TV, que muitos fãs se revoltaram quando ele não foi escolhido para interpretar o personagem nos cinemas. Injustiça? Talvez. O que importa é que Barry Allen de Gustin é tão perfeito que fica impossível não assistir ao seriado sem elogiar o roteiro e as atuações marcantes. The Flash conseguiu bater recordes de audiências no canal CW e isso é só uma amostra do poder que esse super-herói tem de cativar o público. Agora que teremos o Flashpoint inserido no seriado, fica a grande pergunta: será que o show vai decair? Minha aposta é não, pois a série consegue se reinventar nas suas próprias maluquices e, para quem é fã da DC Comics, sabe muito bem o quão especial é este super-herói! (Por Gabriella Siggia)

 

Imagem: Mix de Séries

Imagem: Netflix/Divulgação

1) Daredevil

Em 2015, a parceria entre Marvel e Netflix rendeu um dos grandes acertos na época que se estendeu por esse ano. Além de mirarem em um novo universo dos heróis para o serviço de streaming, resolveram apostar num herói que deu muita dor de cabeça nos cinemas. O tal do diabo vermelho, mais conhecido como Daredevil. Nos cinemas, quem deu vida foi o ator Ben Affleck e acho que isso é o suficiente. Esqueça tudo o que foi dito e visto até agora. Charlie Cox, que interpreta o herói cego que durante o dia é advogado dos pobres e a noite combate o crime na famosa Hell’s Kitchen, entrega na série um personagem forte, mas com uma humanidade única e suas cenas de lutas que não deixam a desejar em nada (como a do episódio 1×02 que entrou para história). Os outros personagens tão cativantes quanto (como o hilário Foggy e a não tão indefesa Karen Page) servem de alívio cômico e ajudam a fazer a história andar junto com o protagonista. A série fechou sua primeira temporada com chave de ouro e a segunda temporada foi tão boa quanto, abrindo caminhos para tantas outras que já foram lançadas e ainda serão. Daredevil com certeza precisa estar entre as melhores séries de super-heróis de todos os tempos. (Por Diogo Azis)

 

Imagem: Film Fetish

Imagem: ABC/Divulgação

Menção Honrosa: Zorro

“Eis o cavalo subindo a montanha, vem chegando então o Zorro”. O tema de abertura em português de Zorro, série produzida originalmente pela Disney no canal ABC entre 1957 e 1959, é um ícone para muito marmanjo. Em tempos que não existiam cinema com grandes efeitos visuais ou, até mesmo, produções na TV do gênero, o justiceiro conquistou o coração de muitas crianças – e adultos também. Feita em preto e branco, a série foi recolorida no começo da década de 1990 e, no Brasil, conquistou novos fãs com suas incansáveis exibições pela TV Record. Zorro é garantia de audiência que, até hoje, é exibida na Rede Brasil, de segunda à sexta. Zorro narrava as aventuras de Don Diego, um milionário do oeste, alheio a pobreza de seu povo. Mas a noite, quando colocava a máscara do herói, lutava pelos indefesos. A série rendeu fama ao saudoso Guy Williams, que está eternizado no papel do justiceiro. (Por Anderson Narciso)

 

E aí, curtiu? Tantas séries boas que temos, que dá até um orgulhosinho por dentro, né?! Tem mais alguma que você acha que tem que entrar nesta lista? Deixe nos comentários, pois teremos parte 2, sim senhor!

#Post publicado originalmente no dia 14 de setembro de 2016.04

Nenhum comentário

Adicione o seu