Top Mix: Momentos eternizados de Chaves e Chapolin

 “Lá vem o chaves, chaves, chaves… todos atentos, olhando para tv! (…)

Continua após as recomendações

Hoje o Top Mix é mais do que especial. É uma grande honra para mim vim aqui falar de umas das séries mais queridas do grande público, e também uma das que eu mais assisti. Digo isso porque sei todas as falas, frases e lembro de praticamente de todos os episódios… quem gosta e assisti até hoje sabe do que eu estou falando. Não tem como lembrar da infância e não lembrar da série Chaves que passava no SBT na hora do almoço. Depois os horários variaram, mas até hoje, confesso, que assisto as aventuras do Chapolin Colorado e as palhaçadas do Chavinho.

Seu Madruga: Você conhece a batida rancheira?

Chaves: Com limão e vodka?

Infelizmente, nesta última sexta-feira (28), sem querer, querendo, perdemos o nosso querido Chespirito, o Roberto Bolaños, criador e idealizador destes personagens maravilhosos, que são o Chaves e o Chapolin. Pipipipipipi! Lamentamos muito a sua perda e por isso, o Top Mix de hoje é uma homenagem à esse gênio da TV.

Continua após a publicidade

 

chaves7

 

Vamos pelo menos relembrar os momentos de alegria que este grande homem nos deu. Personagens são eternos… zaz, zaz! E os momentos vividos por eles também! São tantos que a gente fica até em uma situação difícil ter que escolher apenas dez. Menções honrosas? Isso, isso, isso! Com certeza! Pois então, enxugue as lágrimas aí agora! Tá bom, mas não se irrite! Então, sigam-me os bons e venha conferir os momentos eternizados do Chaves e do Chapolin! Suspeitei desde o princípio!

chapolin feliz

 

(Por Paula Reis)

 

chaves - barquinhos de papel

 

10) Barquinhos de papel

Um episódio de Chaves que marcou minha vida, e foram muitos, mas esse em particular até ajudou na explicação de certa matéria por mim ao meu irmão! Os barquinhos de papel que Seu Madruga fez para Chiquinha brincar na fonte da vila. E o Quico sempre aparecendo com os melhores brinquedos, mas tendo que fazer o dever de casa. A fala que segue a isso é tão meu irmão com a minha mãe! Hahahhaahaha. Lá vai: Chiquinha: Está vendo Chaves, é o que acontece com quem é briguento! Chaves: Tudo eu, tudo eu! Tudo eu que sempre tem culpa. Quem cortou as flores? O Chaves! Quem quebrou o vidro? Foi o Chaves. E que fez não sei o que? Foi o Chaves! Kiko: Quem descobriu a América? Chaves: Não fui eu não! Acho que foi uma das cenas mais engraçadas da minha infância, adolescência, e como professora… Quem me ensinou a montar barquinhos de papel para ensinar Grandes Navegações? FOI O CHAVES! (Por Thaynná Atheniense)

 

niver madruga

 

9) Aniversário do Seu Madruga

Seu Madruga começa a cismar que algo está estranho com ele quando todo mundo da vila começa a perguntar se ele sente-se mal. Aí é quando descobrimos que é o dia de seu aniversário, mas que não se lembra. Chiquinha aproveitando da situação decide, junto com o pessoal da vila, organizar uma festa surpresa ao seu pai. Mas, por conta de um mal entendido do Chaves, o rabugento personagem acha que está para morrer e que eles inclusive já estão organizando o seu velório. Como se não bastasse isso, a menina quer fazer um frango assado para ele e pede ao Quico para matar o animal. Só que bem na hora, o nosso protagonista pega a conversa pela metade e pensa que o amigo matará o Seu Madruga, rendendo um dos melhores momentos da série quando ele solta “O senhor não vai morrer… VÃO MATAR O SENHOR!”. Não tem como não chorar de rir com essa cena. No final da história, estão quase todos comemorando a ocasião, porém Chaves bate em Quico e corre atrás de Chiquinha, achando que os dois matarão o personagem. (Por Eduardo Nogueira)

 

kiko chaves e chiquinha

 

8) Brincadeiras com o Quico e Chiquinha

Hoje em dia tudo costuma ser bullying, mas se tem uma coisa que o programa sabia fazer era o que chamamos hoje de zoeiras sem limites. Mas para época, não era uma coisa terrível e, diga-se de passagem, eram as partes mais engraçadas do seriado, principalmente, quando alvo das brincadeiras era o Quico.  Quem não se lembra do episodio “ Festa da Boa Vizinhança”, onde Quico tenta recitar o famoso poema Mamãe Querida e é interrompido pelo Chaves e pela  Chiquinha da plateia? É uma cena extremamente simples, porém muito divertida. Mamãe Querida, meu coração por ti bate… Chiquinha: Como pano de engraxate! Quico: Mamãe Querida, meu coração por ti bate… Chaves: Como dente de alicate! Mas parando para pensar, antigamente, isso não era algo tão ruim. Bolaños sempre nos mostrou que podemos zoar os nossos amigos e mesmo assim amá-los com todo o coração. Por mais que Chaves, Chiquinha e o Quico brigassem,  quando preciso, eles se uniam. Exemplo disso é episodio “A Casa da Bruxa”, quando se uniram para entregar o jornal para Bruxa do 71 e, no final, tudo não passava de uma fantasia dos três. (Por Mari Grizotto)

 

inimos do chapolin

 

7) Inimigos do Chapolin Colorado

O Chapolin é um destemido, atrapalhado e medroso herói, que a cada episódio está sempre enfrentando um inimigo diferente. Apesar disso, tem aqueles vilões que são figurinhas carimbadas e aparecem mais de uma vez para atormentar a vida do personagem. Tripa-Seca é o principal inimigo do polegar vermelho, chegando em um episódio a forjar sua própria morte, para tentar acabar com o herói. Outro que também dá muita dor de cabeça é o Quase-Nada, que com sua enorme cicatriz no rosto, aterroriza a vida de Chapolin. O Pirata Alma Negra é outro também que não dá sossego algum, incomodando bastante o personagem . No meio de tantos inimigos, as vilãs também dão muita dor de cabeça a ele, a principal delas é a Bruxa Baratuxa, uma poderosa feiticeira velha que inferniza a vida de uma jovem camponesa para que ela se case com seu filho. Quando a jovem se recusa a atender o pedido, a megera transforma a personagem em árvore, e cabe ao Chapolin reverter o feitiço. Porém, ele morre de medo da vilã, e ao tomar posse da varinha mágica dela, a confusão é decretada. (Por Eduardo Nogueira)

 

tamarindo-sanduiche-churros

 

6) Refresco de tamarindo / churros / sanduíche de presunto

Como esquecer dos refrescos que o Chaves fez para vender em sua tenda?! Tinha o de limão que parece de groselha, mas tem gosto de tamarindo, tinha também o de tamarindo que parecia de limão, mas era de groselha… e mil combinações deste sabor! Com certeza estava muito bom, pois o Quico tomou 14 copos! 14 refrescos e não os copos, como ele mesmo ressaltou. Hahaha. Como também não comer um sanduíche de presunto e não lembrar do Chavinho?! É que ele gostava muito, muito mesmo. E como ele morava em um barril, era raro ele comer um sanduíche recheado de presunto, né?! Outra delícia que me lembra o Chaves são os churros, em especial os da Dona Florinda. Seu Madruga fez uma sociedade com ela para vender os churros douradinhos e docinhos. Mas precisou que o Chaves tomasse conta da bandeja de churros, enquanto o Seu Madruga fosse ao banheiro. Não deu outra … Chavinho, que estava com muita fome, comeu tudo! Está certo, Chaves, difícil resistir a estas gostosuras! (Por Paula Reis)

 

chapolin

 

5) Chapolin e seus tombos

Sigam-me os bons! Chapolin teve ao todo 7 temporadas e 411 programas, e 411 vezes que toda vez que era chamado, nosso herói sempre caía, ou batia em algum lugar, ou causava um estrago enorme! Esse foi e sempre será o melhor herói da América! Cair do balcão de Romeu e Julieta, direto na água, foi um clássico. Ou, aparecer atrás de equipamentos para uma viagem a Marte e sair pisando e, por fim, caindo de novo, foi outro clássico. Afinal, Chapolin estava ali para mostrar que se deve confiar nas ideias das pessoas, como confiaram em Cristovão Colombo. O episódio do museu e da múmia também rendeu boas risadas… E o nosso herói levou pancadas, causadas por ele mesmo, de um canhão. Só o Chapolin para conseguir essas e diversas outras façanhas ao ser chamado: Oh, e agora, quem irá os defender?! Euuu! E pronto. Caía. Palma, palma, não criemo cânico! Todos os meus movimentos são friamente calculados! Não pensem que ao teremos mais alguém para nos defender. Chapolin sempre estará conosco, e suas quedas, seus medos tabmém…. Somos todos um pouco de Chapolin… Obrigada, Roberto, por esse personagem! (Por Thaynná Atheniense)

 

escolinha

 

4) Momentos na escola

Os episódios de Chaves passados na escola sempre foram exemplos efetivos da forma simples de fazer humor pela qual Roberto Bolaños sempre prezou. Trazendo um conceito tradicional de escola, com o professor cobrando ser chamado de mestre e sempre procurando enaltecer sua autoridade, com as maças e a displicência dos alunos, tais episódios se deram quase sempre dentro de uma mesma sala e fizeram valer a facilidade do criador da série para elaborar tiradas cômicas, se utilizando de pouquíssimos recursos. Foram em episódios como estes que saiu a clássica frase “Que burro, dá zero pra ele“, a constante e inevitável referência de Chaves ao Professor Girafales como “Mestre Linguiça“, o “Olha ele, olha ele” do Nhonho, o “Conta tudo pra sua mãe, Quico” da Popis, os vários “Silêêêêncioooo” e “Tá, tá, tá” do Professor Girafales, os primeiros ensaios da desastrosa banda do Chaves, entre outros dos milhares e inesquecíveis bordões e situações provindos dessa igualmente memorável série. Foram nesses episódios, também, que personagens como Popis, Godinez, Nhonho e Paty tiveram um merecido maior destaque. Os episódios na escola nunca foram os mais marcantes da série, como foi o de Acapulco e outros episódios especiais, mas em suas diversas variações, ajudou a firmar a identidade e proposta do seriado, que era representar uma caricatura da infância, tal como era na época, e a tentativa de um menino pobre e sozinho de se adequar a ela. (Por Tainara Hijaz)

 

senhor barriga e as pancadas

 

3) Pancadas no Senhor Barriga

O Senhor Barriga sempre que aparece em cena nunca costuma ter sorte. Se não bastasse sempre levar chapéu do Seu Madruga que lhe deve mais de 14 meses de aluguel, o dono da vila ainda acaba sendo recebido toda vez por Chaves com uma pancada diferente. Bolada, pisão, socos, arremessos de objetos diversos, essas são apenas algumas das formas que o gordinho é recepcionado pelo garoto. E é claro que rende momentos para lá de engraçados. Como se não bastasse isso, vezes ou outras ele também acaba levando algum tipo de pancada ao sair da vila, da mesma forma de quando chega. Aí fica difícil né? Mas como Chaves sempre diz, foi sem querer, querendo! (Por Eduardo Nogueira)

 

cao arrependido

 

2) Teatro Cão arrependido

O episódio do Festival da Boa Vizinhança é um dos mais icônicos da série. Sempre quando ele era exibido, eu ficava empolgado. Adorava ver a interação dos personagens naquela história, principalmente das crianças que recitavam, proclamavam, atuavam e, claro, criavam muitas situações engraçadas. Chaves se destaca neste episódio, por um poema bem profundo… o do Cão Arrependido. É um momento de pura reflexão, emoção e, claro, intelectualidade. Tudo isso daquele jeitinho Chaves que sempre adoramos. Os versos? “Volta o cão arrependido, com suas orelhas tão fartas, com seu osso roído, e com o rabo entre as patas“. Profundo, poético e repetido 44 vezes. O teatro do Cão Arrependido se tornou inesquecível. (Por Anderson Narciso)

 

acapulco

 

1) Acapulco

Esse é o meu episódio favorito. Era uma criança que se sentia meio “crítica de tv”, e apesar de adorar Chaves, sempre pensei que faltava alguma coisa para a série me conquistar de vez. No ambiente da vila, todos estavam muito seguros sempre, funcionava automaticamente, mas e fora dali? A viagem para Acapulco deixa claro que Chaves funciona na vila, mas também funciona fora – como também poderia funcionar no teatro ou cinema. Todos os elementos clássicos do episódio estão ali, como Quico e Chaves aprontando, Seu Madruga apanhando de Dona Florinda, Senhor Barriga apanhando gratuitamente de Chaves, Chiquinha sendo esperta, a Bruxa do 71 tentando conquistar o “Madruguinha” e o Professor Girafales tentando resolver tudo e piorando mais ainda, como na cena icônica dele tentando salvar Quico na piscina e afogando ele mais ainda. Só de lembrar começo a rir. Mas o que coroa o episódio como o melhor de todos é mesmo o seu final, cheio de emoção com um ar de nostalgia. Todos os vizinhos, na praia, confraternizando em volta da fogueira, Chaves cantando aquela música emocionante… Aquelas pessoas que eventualmente se odeiam, em uma reunião cheia de carinho e companheirismo. Não existe um fã da série que não se emocione com esse episódio, com essa cena, afinal todos nós também fazemos parte da vizinhança. Para mim é o auge da série, onde eles mudam de cenário, de figurino, mas a personalidade continua a mesma, as emoções, os valores. (Por Letícia Bastos)

 

encontro chaves e chapolin

 

Menção Honrosa: Encontro de Chaves e Chapolin Colorado

De uma forma mágica e de uma maneira que nunca pensávamos ser possível, Chapolin vai até a vila do Chaves. Para a tecnologia da época, juntar os dois personagens que Bolaños interpreta parecia impossível, mas não foi. Porém, parecia mágico. A alegria de chaves, seu sorriso (e de todos da vila) transmitiu também a alegria dos fãs, quando Chaves perguntou: “e agora, quem irá nos defender?” E de repente, aparece de dentro do barril o Chapolin que diz sua frase clássica: “euu!!” E o Chaves: “O Chapolin Colorado!” Chapolin: “Não contavam com a minha astúcia!” Entre piadas do Chaves se parecer, até demais, com o Chapolin, todos ficam maravilhados com a presença do herói (ou antiherói). Chapolin sempre foi um pouco bobo, mas entre ele o Chaves, acredito que o Chaves ganhe. Um tirando o outro é impagável. Mais incrível que isso foi quando, no episódio, o Chapolin toma suas pastilhas de polegarina para reduzir o tamanho e provar para Dona Florinda que ele não é o Chaves disfarçado. Chapolin cumpriu sua missão que foi de convencer Dona Florinda a tolerar mais o Senhor Madruga e, ainda, fez com que ela desse as bolachas para o Chaves comer (que sempre está muito faminto). O mais legal que ele tomou as pastilhas de polegarina e ficou pequeno, fazendo com que as bolachas ficassem enormes para ele, podendo ele comer muito mais! Não contavam com a astúcia do Chaves! (Por Paula Reis)

 

julgamento do chaves

 

Menção Honrosa 2: Julgamento do Chaves

Um dos episódios mais marcantes do Chaves para mim foi o “Julgamento do Chaves”,aquele episodio onde o Quico ganha um gato do Professor Lingui… ops, Professor Girafales e, algum tempo depois, o gato desaparece. E por alguma razão o Chaves acaba por atropelar o gato com a bicicleta do Seu Madruga. O Professor Girafales propõe então um julgamento para ver se Chaves é inocente ou não do atropelamento do gato. No decorrer desse episodio marcante, temos varias cenas divertidas, mas obviamente a mais engraçada é quando Seu Madruga começa a questionar Chaves e ele solta:  “-O Gato Ou Quico? -O Gato! -E o Quico? -Também!” Chespirito sempre foi ótimo em criar frases de efeito como essa, quem não se lembra do ditado dito por Seu Madruga que até hoje usamos como filosofia de vida?  “A vingança nunca é plena, mata a alma e a envenena” ou “As Pessoas Boas Devem Amar Seus Inimigos”, que quando analisadas é uma frase simples, mas muito significativa. Sem dúvida Roberto Bolaños é um ícone para mais de uma geração. (Por Mari Grizotto)

 

A casa da Bruxa do 71

 

Menção Honrosa 3: Entrando na casa da Bruxa do 71

Esse é um dos episódios mais lendários de Chaves, apesar de possuir alguns traços sombrios. Tudo começa quando Seu Madruga leu um jornal que pertencia a Dona Clotilde, e então pede para sua filha Chiquinha devolver a ela. É aí que a confusão começa, pois a menina se recusa a fazer isso, por ter medo da vizinha, e então pede a Chaves para entregar o jornal. Depois de muita briga, os dois, juntos com Quico, decidem ir até a casa da Bruxa do 71, e se deparam com um cenário sombrio, onde a personagem está fazendo uma feitiçaria, onde envolve inclusive um boneco de vodu do Seu Madruga. Apesar de aparentar ser bem macabro, o episódio é divertidíssimo, a ponto de assistir incansavelmente diversas vezes. Uma das cenas, Chiquinha e Quico fazem barulho sem querer e imitam um gato para disfarçar, só que quando chega a vez de Chaves ele solta uma de suas inesquecíveis frases “OUTRO GATO!”, arrancando uma incrível gargalhada, e nos deixando claro que tudo não passou de uma mera alucinação das crianças. (Por Eduardo Nogueira)

E aí, bons momentos não? Não contavam com a minha astúcia!

Ou teria sido melhor ter ido ver o filme do Pelé? Hahahaha

 

“Se você é jovem ainda, jovem ainda, jovem ainda, amanhã velho será, velho será. A juventude que nunca morrerá…”