Top Mix: Os melhores protagonistas de 2016

Imagens: Netflix/Divulgação

Continua após as recomendações

Olá! Fim de ano chegando, é hora de fazer um balanço das séries. E nada mais justo avaliar os melhores personagens e os que mais se destacaram. Hoje, o Top Mix resolveu dedicar sua lista aos protagonistas das séries, aqueles que praticamente tem ligação com todos da história, ou com cada núcleo, mesmo que indiretamente. Muitas vezes é o protagonista que sustenta a série, ou que é responsável por boa parte do sucesso do show. Você vai perceber que todas as séries citadas aqui são bem sucedidas, consideradas excelentes pela crítica. Realmente são, mas não podemos negar que os protagonistas, em especial em 2016, ajudaram o show a fazer tanto sucesso e a ter o destaque que teve.

Continua após a publicidade

Chega de enrolação e bora conferir os melhores protagonistas de 2016 (que ano, hein?!)!

(Por Paula Reis)

 

Imagem: IB Times

Imagem: CBS/DIvulgação

10) Jason Bull (Bull)

O protagonista de uma das séries novatas mais assistidas da Fall Season tem muito a comemorar nesse final de 2016. Além de ajudar na elaboração de defesas (e acusações) muito bem sucedidas, Jason Bull conquistou o coração dos telespectadores, seja homem, mulher, dona de casa, classe média, operário. Apesar de ter carregado Bull nas costas em inúmeros momentos nessa primeira etapa da primeira temporada, o doutor mostra um amadurecimento nos roteiros da CBS que param de investir na cansada fórmula dos maniqueísmos, ora existentes para elaborar uma narrativa fácil, para criar um papel que reflete o telespectador, que tem um passado nada agradável, que tem inúmeras falhas, outras virtudes e o único objetivo de se dar bem na vida. Outro motivo que tornou 2016 um ano ainda melhor para Jason Bull foi o fato de ter tirado seu intérprete, o ator Michael Weatherly, do piloto automático após anos interpretando o mesmo personagem e repetindo as mesmas expressões em NCIS. Talvez 2017 seja ainda melhor quando a emissora decida sobre uma eventual renovação para sua segunda temporada, mas isso nós teremos que esperar o ano no novo chegar e acompanhar as últimas informações aqui no Mix de Séries. (Por Bernardo Vieira)

 

Imagem: Variety

Imagem: NBC/Divulgação

9) Jack e Rebecca Pearson (This Is Us)

Rebecca e Jack foram uma surpresa muito agradável aos olhos de muitos espectadores. O casal de protagonistas da estreante This Is Us arrancam suspiros e lágrimas de todos a cada cena. Jack é o exemplo mais fiel de pai comprometido, sempre em sintonia com os filhos e querendo surpreender a esposa. Em algum momento da temporada, ele mostrou sua fraqueza ao perceber que o casamento não ia bem, mas ele sempre olha sua família como a benção mais sagrada da sua vida e mesmo nos momentos mais difíceis encontra palavras e ensinamentos para afagar o coração de cada um. Já Rebecca é o encaixa perfeito para Jack, a princípio se mostra receosa com a ideia de ser mãe, mas ao pegar cada um dos trigêmeos nos braços revela que tem uma figura materna tão forte quanto à presença paterna de Jack. Ela é uma mulher forte que não mede palavras para defender sua família, seja de outras pessoas ou de sofrimentos internos. Eles podem não formar uma família perfeita, mas se esforçam para serem os melhores pais para cada um dos três irmãos. Rebecca e Jack é um presente para aqueles que gostam de se emocionar ao vislumbrar as relações humanas. (Por Alessandro Alves)
Imagem: Insider

Imagem: HBO/Divulgação

8) Robert Ford (Westworld)

Dr. Robert teve exatos dez episódios para sambar nos egos inflados da Dellus e dissertar ameaças como estivesse lendo um poema. Sim, estamos falando de um dos melhores protagonistas (se não o melhor) de séries estreantes em 2016. Anthony Hopkins deu vida a um personagem singular e indecifrável desde o piloto de Westworld. A forma doentia e desumana como ele enxerga a sociedade e sua fascinação pelos robôs o tornaram frio e calculista. Abordando seu lado como centro da trama, ele atuou o tempo todo nos bastidores, mas essa atuação foi a que definiu o passo de todos os outros personagens. Ele era um maestro e todos tinham de dançar conforme a sua música (quem viu a série até o final entendeu a referência). Aplaudo de pé Dr. Ford e sua falta de sentimentos que fizeram nossa cabeça entrar em parafuso por longos dois meses. #DrFordIsAlive #IBelieve (Por Wellington Torres)

 

 

Imagem: The Inquisitr

Imagem: AMC/Divulgação

7) Rick Grimes (The Walking Dead)

Sem sombra de dúvidas Rick merece um lugar no Top Mix dessa semana. Temos que concordar que ele mudou muito em sete temporadas de The Walking Dead. Nem de longe lembra aquele personagem sem feição e carisma das temporadas iniciais, e isso ficou evidente na season première desse ano em que cada feição dele diante da tortura de Negan foi um soco no nosso estômago. Desde o momento em que viu seus amigos sendo mortos, até implorar para Negan poupar a vida de seu filho. Não só isso, ao passar a temporada toda submisso às ordens dele, parece que ele resolveu acordar no último episódio, mostrando ele disposto a partir para guerra. Andrew Lincoln está de parabéns pela atuação e merece sim uma lugarzinho não só aqui como em todas as premiações. (Por Diogo Azis)

 

Imagem: Mix de Séries

Imagem: Youtube/Reprodução

6) Eleven (Stranger Things)

A sensação deste ano merece uma protagonista digna da cultura pop e geek dos anos 80: a doce misteriosa Eleven. A garota com poderes nos conquistou logo de cara, mostrando que a inocência de uma menina também consegue nos surpreender. Eleven divou na primeira temporada e aprendeu um pouco sobre o que é amizade, algo que jamais será esquecido pela garota esquisita. Ela foi tão poderosa que foi impossível não compará-la ao E.T. de Stevie Spilberg e se apaixonar pela doce menina. Capaz de se sacrificar em prol de seus amigos, Eleven derrotou o monstro da outra dimensão e desapareceu da vida dos membros da pequena cidade. Porém, todos os fãs esperam que ela retorne toda poderosa na próxima temporada e que mostre o seu girl power! (Por Gabriella Siggia)

 

Imagem: Mix de Séries

Imagem: A&E/Divulgação

5) Norman Bates (Bates Motel)

A quarta temporada de Bates Motel definitivamente foi a melhor de toda a série, e um dos motivos se deve a uma pessoa específica: Norman Bates. O protagonista estava incrível em todos os dez episódios exibidos, graças também à brilhante atuação de Freddie Highmore. Pela primeira vez, vimos o personagem mais intenso, dissimulado e desequilibrado do que nunca, se aproximando ainda mais de sua versão imortalizada no cinema, no clássico Psicose. As alucinações, a forma como incorporava a mãe e seu amor doentio pela mesma, assim vimos definitivamente Norman abraçando a escuridão, assumindo de uma vez por todas o seu lado psicopata. O ápice disso tudo, com certeza, foi no nono episódio, que para mim foi o melhor de toda a série até agora. O que foi aquela atuação? O que foi Norman do primeiro ao último instante? Que venha a quinta e última temporada no ano que vem! (Por Eduardo Nogueira)

 

Imagem: Mix de Séries

Imagem: Youtube/Reprodução

4) Elliot Alderson (Mr. Robot)

Mr. Robot começou de forma discreta. A primeira temporada da série não despertou tanta atenção do grande público, ao contrário da crítica que sempre elogiou o trabalho da série. À medida que a série começou a ganhar diversos prêmios, o drama adquiriu grande popularidade. Devido a isso, Elliot pode ser considerado como um dos personagens mais importantes desse ano, porque suas inquietações sobre a sociedade capitalista e reflexões nunca foram tão discutidas quanto agora. Eu acho ótimo esse reconhecimento sobre o trabalho do Rami Malek interpretando o Elliot, pois ele é um ótimo ator que se doa ao protagonista de Mr. Robot. Não sei se já perceberam que frases do tipo “Elliot é o maior hacker que você respeita” é repetida inúmeras vezes? Pois é, isso se deve ao grande sucesso da série e ao destaque dado ao personagem. (Por Daniele Duarte)

 

Imagem: Mix de Séries

Imagem: Netflix/Divulgação

3) Pablo Escobar (Narcos)

Como não citar Pablito dentre os melhores do ano? Pablo Escobar de fato marcou a história mundial com o seu cartel na década de 80/90. Sabiamente, a Netflix conseguiu nos mostrar na ficção detalhes desse crescimento, mas também da sua decadência. Foi o que vimos na segunda temporada de Narcos. Sendo procurado mais do que nunca, Pablo foi o centro de tudo, e através de suas ações, recaídas, fugas e desequilíbrios podemos conhecer melhor o rei do tráfico. 2016 foi o ano que Escobar morreu em Narcos e foi por este fato que ele protagonizou brilhantemente o show. Nem preciso comentar da atuação do nosso querido Wagner Moura, que engordou de novo para o papel, incorporou o colombiano e arrasou demais. Dá até um orgulho de ser gente nossa, né?! Neste ano, a série atingiu o seu ápice. A cada fuga, a cada morte, a cada passo de Murphy e Peña, vibrávamos. Foi muito emocionante, mesmo sabendo o que iria acontecer. O melhor de tudo, a série vai continuar e vai nos mostrar que Pablo pode estar morto, mas sua carreira não – para vocês terem a dimensão do protagonismo do personagem. (Por Paula Reis)

 

Imagem: Banco de Séries

Imagem: Youtube/Reprodução

2) Annalise Keating (How To Get Away With Murder)

Sem dúvida, a Annalise Keating, da série How to get away with murder, se tornou uma das mulheres mais importante do mundo das séries. E por quê? Porque ela é independente, determinada, decidida e não tem medo de nada (ou quase). Sempre tem alguma solução para tudo, mesmo naquela pior situação possível que é praticamente insolúvel. Nessa terceira temporada, Viola Davis brilhou interpretando a nossa diva, roubando todos os holofotes da série, principalmente ao tratar do tema alcoolismo e do modo como lidou com os problemas e relacionamentos a sua volta. Vale lembrar que Annalise é uma personagem importantíssima para a representatividade feminina, pois temos uma protagonista mulher e negra, algo raríssimo não só das séries, como no dos filmes. 2016, portanto, foi o ano de Annalise Keating! (Por Daniele Duarte)

 

Imagem: Mix de Séries

Imagem: FX/Divulgação

1) O.J. Simpson (American Crime Story: The People v. O.J. Simpson)

American Crime Story definitivamente foi uma das melhores coisas produzidas na TV americana esse ano. Estrelada por Cuba Gooding Jr, a série retratou nos mínimos detalhes o julgamento que parou os Estados Unidos na década de 90. Ídolo da nação, o jogador de futebol americano O.J. Simpson, do campo foi parar direto atrás das grades, acusado de assassinar a ex-esposa e seu amigo. O ator soube incorporar o personagem perfeitamente, mesmo sabendo que faria uma pessoa que realmente existe de verdade e que, antes de ser indiciado, era um grande ídolo nacional. As expressões, a intensidade de emoções, tudo isso e muito mais foram fatores para que a série fizesse esse sucesso pra lá de estrondoso. O elenco como um todo deu um show de interpretação, principalmente Sarah Paulson e Starling K. Brown, mas o legal disso tudo é que eles não ofuscaram o brilho de seu protagonista. Cuba Gooding Jr. fez um trabalho tão impressionante que, por mais que sabíamos sobre a história de O.J. Simpson e que ele foi inocentado desses dois crimes em específico, ele conseguiu prender a nossa atenção, fazendo com que muitos momentos tivéssemos dúvida mesmo se o jogador era realmente inocente ou não. E por mais que ele conseguisse deixar esse ar de ambiguidade, era impossível, mesmo já sabendo o final da história e que mesmo assim O.J. nunca foi muita flor que se cheirasse, torcer pela inocência dele. (Por Eduardo Nogueira)

 

Imagem: HBO

Imagem: HBO/Divulgação

Menção Honrosa: Jon Snow (Game of Thrones)

Game of Thrones é o tipo de série que não tem um protagonista só e, sim, vários, cada um sendo o personagem central do seu núcleo. Mas então, por que eu coloquei Jon Snow como o destaque protagonista deste ano? Porque sua presença na sexta temporada foi tão significativa e tão forte que ele dominou o sexto ano da série. O maior cliffhanger foi de sua morte, quando ficamos na dúvida se ele morreu mesmo e o que iria acontecer. Fato é que, mesmo morto, ele ficou muito presente na história. Mas também deu um show quando foi ressuscitado e Kit Harington arrasou na interpretação. Como esquecer a Batalha dos Bastardos, ele confrontando Ramsay, dentre tantos outros momentos marcantes? Jon com certeza merece estar neste top como uma menção honrosa pelo excelente ano em GOT, pelo seu destaque e o personagem forte, heroico, sua evolução ao longo das temporadas… Pela força do gelo e o fogo! (Por Paula Reis)

 

E aí, curtiu? Tem mais algum protagonista que não poderia faltar nesta lista? Deixe nos comentários. Até semana que vem!

Equipe Mix

Equipe Mix

Perfil criado para realizar postagens produzidas pela equipe do Mix de Séries.

4 comments

Add yours
  1. Avatar
    Juk 14 dezembro, 2016 at 11:00 Responder

    Não sei se eu concordo com o Cuba em primeiro lugar. Ele me parece atuar sempre no automático, sempre os mesmo papéis “o homem que tenta ser certinho, mas não é”

    • Avatar
      Paula Reis 14 dezembro, 2016 at 11:53 Responder

      Juk, quem está em primeiro é o OJ, o personagem dele…. pelo protagonista que foi na história. Acredito que merece sim por ser tão fiel à pessoa original e pelo impacto que fez na série – vide vários prêmios e sucesso de crítica.

Post a new comment