Top Mix: Os piores chefes da TV

boss[spacer size = “20”]

Continua após publicidade

Olá amigos, como estão? Todo mundo tem, ou pelo menos já teve, um chefe nada bacana. Carrasco, vivendo sempre no seu pé, ou até mesmo sendo uma boa pessoa, porém com péssimo exemplo a ser seguido por seus subordinados. Enfim, o Top Mix dessa semana vai abordar justamente tais “líderes” no mundo das séries, que não são nenhum pouco flor que se cheire, mas mesmo assim amamos odiá-los por conta de seus trejeitos. Se preparem, pois com certeza muitos vão se identificar com o que está por vir.

Continua após a publicidade

Vem com a gente! (Por Eduardo Nogueira)

Continua após publicidade

[spacer size = “20”]

cat-grant

Continua após publicidade

10) Cat Grant (Supergirl)

[spacer size = “20”]

Continua após a publicidade
O MIX DE SÉRIES atingiu 10 milhões de visitas mensais e vamos ensinar tudo que aprendemos nessa caminhada! Aumente o tráfego do seu site com técnicas avançadas de SEO.
Faça seu pré-cadastro aqui!

Quando vi o tema do Top Mix dessa semana, imediatamente pensei na maravilhosa Cat Grant. Bom, maravilhosa se, assim como eu, você aprendeu a admirá-la com o tempo. Confesso que de início não suportava a personagem, a via como uma mulher amarga, rancorosa, chata e que descontava suas frustrações nas pessoas que só queriam ajudá-la. No entanto, com o tempo, aprendi a amar Miss Grant, porque, apesar de ser uma mulher difícil de lidar e conviver, é uma pessoa que, através de seu empenho e esforço chegou onde poucos conseguem. Não me entendam mal, ela não está aqui a toa. Ser funcionário de Cat Grant não é lá a coisa mais agradável do mundo, e ninguém pode negar que Kara tem que ter uma paciência de Jó para não surtar sendo sua funcionária, mas alguém vai negar que o fato de Cat exigir tanto da heroína fará com que ela apenas cresça? E foi isso que aprendi com Cat Grant. A vida nem sempre pega leve com a gente, as pessoas que cruzam o nosso caminho nem sempre são fáceis e tudo que vem fácil, vai fácil. Cat é uma chefe que deixaria qualquer um de cabelo em pé, mas também é uma profissional que exige o melhor de qualquer um, que faz buscar sempre dar o melhor de si. Além disso, depois de pegar no pé, errar nomes (às vezes propositalmente), te ignorar e nem olhar na sua cara, ela reconhece todo o seu trabalho, valoriza aquilo que você faz, tá certo que da maneira dela, com um pouquinho de arrogância e um pingo de superioridade. Com Cat Grant não existe meio termo, ou você ama, ou você odeia e eu, particularmente, amo odiar a CEO da CatCo. (Por Jeh Mari)

[spacer size = “20”]

The-Americans-Claudia-Gabriel

9) Claudia e Gabriel (The Americans)

[spacer size = “20”]

Ninguém imagina que ser espião é fácil, muito menos quando você é treinado para isso desde criança, em meio a Guerra Fria. Mas crê que o seus chefes dariam uma ajudada, ou um auxílio nos trabalhos, não é? Não no caso de Elizabeth e Phillip Jenkings, e seus chefes, Gabriel e Claudia, em The Americans. Gabriel é o chefe mais antigo da dupla russa, e não deixa que o histórico de anos de chefia ajude. Pelo contrário, em muitas situações ele é o primeiro a sugerir trabalhos ainda mais difíceis, pedir coisas praticamente impossíveis e ainda usar o lema de que eles devem “lealdade e a vida ao país”, para fazer o que a KGB deseja. Claudia, o lado mais recente da chefia, consegue ser incrivelmente pior que Gabriel em falta de confiança, exigir missões ridículas e até ser uma das favoráveis, no fiasco que foi a proposta da KGB em usar a própria filha dos Jenkins para espionagem. Para que Guerra Fria, se seus chefes já querem que você sacrifique a si mesmo e tudo que tem? (Por Amanda Móes)

[spacer size = “20”]

karen_walker

8) Karen Walker (Will & Grace)

[spacer size = “20”]

Rica e fútil, Karen Walker trabalhava para Grace por hobby e, do mesmo jeito que era uma péssima funcionária, podemos dizer o mesmo em sua postura de chefe. Em sua casa, a personagem fazia a vida de sua empregada, a magnífica Rosário, um verdadeiro inferno. Karen sempre tinha os comentários mais ácidos na ponta da língua, e não poupava uma palavra sequer para humilhar a latina. Apesar disso tudo, engana-se você que elas se odiavam, muito pelo contrário. Mesmo com tantas situações constrangedores, Rose não tinha papas na língua, e mal poupava sua patroa também, respondendo sempre a altura, o que rendia momentos pra lá de maravilhosos em Will & Grace. As duas tinham um péssimo relacionamento, mas se amavam. (Por Eduardo Nogueira)

[spacer size = “20”]

patty-hewes

7) Patty Hewes (Damages)

[spacer size = “20”]

Para todos aqueles que assistiram Damages, lembram que além de soberbas performances de Rose Byrne e Gleen Close, tínhamos uma força da natureza bastante contundente – Patty Hewes, dona de uma frase que eu gosto bastante – “Clientes são como filhos, precisam sempre de assistência e atenção”. Todavia, frases de efeito e domínio das leis não eram suas únicas virtudes, pois ela foi, e continua sendo, uma das chefes mais duras, frias e exigentes de toda a televisão, por conviver em um mundo dominado por homens, o que acabava requerendo uma mão de ferro. Mesmo sabendo que não sobreviveria uma semana sob seu comando, é inegável o fato de que Patty transformou Ellen Parsons em uma profissional tão incrível, quanto ela mesma. (Por Bernardo Vieira)

[spacer size = “20”]

jack donaghy

6) Jack Donaghy (30 Rock)

[spacer size = “20”]

Jack tinha uma importância muito grande em 30 Rock, afinal de contas o executivo da NBC chegou com a missão de reestruturar o programa The Girlie Show. O rapaz possuía um gênio temperamental, e vivia em atrito com sua principal funcionária, Liz Lemon. Ele não dava paz alguma não só a personagem, como também para toda a equipe da atração. Suas ideias mirabolantes tiravam todos do sério, o que levava a crescer um ódio sem igual por ele nos bastidores, por conta também de seu jeito totalmente controlador, interferindo sempre na direção criativa do show. Apesar disso Jack não era uma má pessoa, e aos poucos foi construindo uma relação de lealdade com Liz, mas mesmo quando eles já não se odiavam mais, isso não quer dizer que o empresário tenha dado paz à roteirista e aos demais, muito pelo contrário, apenas que todos acabaram se adaptando com seu jeito extremamente difícil de lidar.  (Por Eduardo Nogueira)

[spacer size = “20”]

Mad Man

5) Don Draper (Mad Men)

[spacer size = “20”]

Don Draper deve encabeçar o nosso Top Mix dessa semana com certeza, e por quê? Pois ele é um chefe que sabe pisar nos empregados quando necessário. Não que ele faça esse tipo de coisa sempre, não é isso, mas Draper desconta nos seus funcionários quando ele está estressado. A Peggy sofreu em suas mãos nas primeiras temporadas, pois ela era sua secretária e a pessoa que tinha mais contato com o personagem. À medida que Peggy foi subindo de posto até chegar à chefia da empresa, Don parou de descontar na coitada todas as suas frustrações e estresses diários. Eles se tornaram grandes amigos até, com direitos a cenas memoráveis como as cenas do episódio “The Suitcase”, que é meu favorito de Mad Men, por sinal. Durante sete temporadas, Don Draper teve inúmeras secretárias, e todas elas sofreram de alguma forma por conta do seu temperamento. Ele nos prova, portanto, que pode ser um chefe mau quando está em dias ruins, hahaha. (Por Daniele Duarte)

[spacer size = “20”]

kerry weaver

4) Kerry Weaver (ER)

[spacer size = “20”]

Uma das chefes mais famosas de E.R., Kerry Weaver infernizou muitos médicos durante os 12 anos em que esteve na atração. Weaver chegou no County General e logo se tornou Residente Chefe e não parou de subir, tendo se tornado chefe dos Atendentes e, posteriormente, chefe da Emergência. Muitos atos da médica foram questionados ao longo do programa, como a demissão de Jeanie Boulet na quarta temporada. A médica também foi uma pedra no sapato de Doug Ross (George Clooney), tendo contribuído para a saída do médico. Kerry sempre fez a linha dura e, por isso, muitos de seus atos eram repreendidos pelos médicos – e pelos fãs. Mas se a personagem era tida como antipática pelos seus colegas de trabalho, com os pacientes ela era o contrário. Kerry sempre demonstrou compaixão com os pacientes do County General. Mais tarde, quando assume ser bissexual, a médica passa a lutar pelos direitos dos gays, criando até um momento inusitado no show, quando cria um centro de tratamento para homossexuais em homenagem a morte do Dr. Romano – um dos mais homofóbicos do show. Apesar da “linha general”, ao longo dos anos Kerry passou ser “amada” pelos fãs. Sua ausência foi sentida na 14ª temporada do show, tendo ela retornado para o episódio final – onde estava bem mais amorosa. (Por Anderson Narciso)

[spacer size = “20”]

michael scott

3) Michael Scott (The Office)

[spacer size = “20”]

O executivo da fábrica de papel Dunder Mifflin tinha um grande defeito, o qual achava que era íntimo de seus funcionários. Michael Scott possuía diversas características de chefe numa pessoa só, e isso não quer dizer que seja coisa boa, muito pelo contrário. O gestor se achava a última bolacha do pacote, como o mais bonito, engraçado e, na sua cabeça, melhor amigo da equipe, nem imaginava ele que ninguém pensava o mesmo. Sem contar o fato de Michael possuir uma visão dos negócios muito ultrapassada, não sabendo se portar como um líder, e o pior de tudo, não respeitar seus superiores, assim servindo de péssimo exemplo aos subordinados. O personagem podia até ter a melhor das intenções, mas está muito longe de ser modelo de referência como um verdadeiro gestor. Realmente se pararmos para ver, ele tinha um pouco das piores características possíveis de chefes, e aos poucos isso se torna bastante notório. (Por Eduardo Nogueira)

[spacer size = “20”]

gus-fring

2) Gus Fring (Breaking Bad)

[spacer size = “20”]

A grande questão é que Gus Fring era um ótimo chefe. Aos poucos e praticamente do nada, Gustavo começou a crescer no perigoso mercado das drogas. Sujando as mãos de sangue quando necessário, Fring montou um império impecável. Nada poderia destruir o seu poderio. Os concorrentes o temiam e os funcionários o respeitavam. A grande derrocada de Gus foi Walter White, uma força da natureza que destruiu tudo que tocou. Quanto à organização e sucesso, não podemos dizer que o gerente do Los Pollos Hermanos foi um mau chefe. Então como o sujeito é um dos piores chefes? Bem, ele era capaz de matar funcionários que não faziam o serviço direito ou que não eram mais úteis. Pior: Gus chegou a matar um funcionário apenas para assustar outro. A concorrência, claro, também sofria nas mãos de Gustavo. Você gostaria de ter um chefe assim? Não há frango frito gratuito no mundo que pague essa tarefa! (Por Matheus Pereira)

[spacer size = “20”]

house-md

1) Dr. Gregory House (House)

[spacer size = “20”]

Todo mundo está cansado em saber que de médico e louco todo mundo tem um pouco, mas o que poucas pessoas sabem é o fato do magnífico Dr. House conseguir lidar mais com as drogas, do que com seus pupilos. Ele não é um péssimo chefe, mas sim um chefe arrogante, orgulhoso e se sente um sabichão. Seus pupilos só querem ficar próximos a ele, porque o cara é o rei da medicina, mesmo sendo um lixo quando o assunto é lidar com pessoas. O fato de ter um nariz empinado e se sentir a última bolacha do pacote, o deixa mais detestável e menos carismático. Mesmo assim, não dá para negar que seu dom na medicina é algo único. Ele pode ser mandão, arrogante, orgulhoso e metido; pode ser um péssimo chefe, mas mesmo assim ele consegue ser o cara. E sejamos sinceros: por mais que House seja um pé no saco, sempre poderemos aprender com ele como invadir uma casa! (Por Gabriella Siggia)

[spacer size = “20”]

Futurama_Professor_Farnsworth

Menção Honrosa 1: Professor Farsworth (Futurama)

[spacer size = “20”]

Futurama é conhecida por ser a grande jogada criativa e mais “livre” de Matt Groening, criador dos Simpsons, e é verdade, a série-animação sempre contou com um número absurdo de temáticas polêmicas, gozando de uma liberdade criativa. Entre um dos melhores personagens da série, está o professor Farsworth, tatatatatara (e lá vai) neto de Fry, e chefe da equipe de transporte Planeta Expresso. A ironia da coisa já começa pelo personagem mais lento da animação ser o líder de uma empresa de entregas, e daí é só ladeira abaixo. Mesmo tendo o título de Prof. Farsworth é por vezes teimoso, misógino, faz pouco dos seres de outros planetas, como Zoidberg, pessoas de outro planeta, como Amy, caçoa constantemente dos empregados, até os que têm ações da empresa. Além disso, sempre se nega a ajudar, e é cego para coisas óbvias, como um esquema de phishing que o fez dar sua empresa a uma espécie de seres viciados em informação e esquema. Em suma, ele pode não ser um Mr. Burns da vida, mas consegue ser tão ruim quanto. (Por Amanda Móes)

[spacer size = “20”]

mr.-burns

Menção Honrosa 2: Mr. Burns (Os Simpsons)

[spacer size = “20”]

Dono da usina nuclear de Springfield, Mr. Burns é um personagem extremamente maquiavélico, ganancioso e arrogante. O chefe de Homer não dá a mínima para seus funcionários, sendo sempre rígido com todos. Ele não se importa que seu negócio possa gerar danos não apenas à cidade, como principalmente para seus subordinados, o que interessa ao mesmo é que tudo isso lhe gere simplesmente lucratividade. Seu braço direito é o Smithers, cujo mesmo acaba sendo tratado pelo ricaço de forma humilhante em muitas das vezes, apesar de Burns ser totalmente dependente do rapaz, o qual não lhe incomoda nenhum pouco e estando sempre ao lado de seu tenebroso chefe. (Por Eduardo Nogueira)

[spacer size = “20”]

 

Cada chefe, que pelo amor, hein?! Quais desses citados acima vocês mais gostam, odeiam ou semelhantes? Teve alguém que você gostaria de ter visto na lista? Venha comentar e debater conosco.

Até a próxima semana!