Top Mix: Pais nada convencionais das séries de TV

Walter White Breaking Bad Bryan Cranston

Imagem: Arquivo pessoal

 

Olá! No último domingo (14) comemoramos o dia dos pais e o Mix não poderia deixar de prestar uma homenagem para aqueles que fizeram obras primas, no caso, nós! Hahaha Brincadeiras à parte, na TV, encontramos vários tipos de pais: os mais tradicionais, os legais, os não tão bons pais assim, etc. Acontece que nos seriados há um tipo bem recorrente, eu diria, de pais diferentões, com profissões exóticas, com perfis nada comuns, mas que não deixam de ser bons pais por isso. Na maneira deles, eles cuidam dos seus filhos, protegem sua família e fazem de tudo por eles. Ah de quem mexer com eles, hein?! O Top Mix de hoje vem trazer pais ótimos, mas nada convencionais do mundo das séries. É o nosso jeitinho de dizer que pai é pai, cada um do seu jeito, e desejar feliz dia dos pais para todos os papais – seriadores ou não!

(Por Paula Reis)

Continua após a publicidade

 

Imagem: EW

Imagem: EW

10) Christopher Hayden (Gilmore Girls)

Mas por que Rory não tem o nome do pai? A resposta é óbvia: porque quem a criou, educou e por ela proveu foi Lorelai. Christopher Hayden é o pai garotão e descolado que liga e aparece quando quer. Sempre se escondendo por detrás da força de Lorelai e se aproveitando de seu charme e de seu histórico com as garotas Gilmore; Christopher quase nunca esteve pela filha. Por isso quis se redimir ao dar o Oxford English Dictionary; ao participar do baile de debutantes de Rory; ao correr  para Stars Hollow, quando Rory se acidentou; e ao pagar por Yale; e não quis repetir os erros quando descobriu que teria outra filha – só que karma is a bitch e veio a galope deixando-o na condição de pai solteiro. Com GG, Christopher teve que aprender a se virar e cuidar de um serumaninho que dele dependia. Com Rory, foi aquele cara que tem o título e o amor de pai mas com o qual não se podia contar efetivamente. Não é que não exista admiração e respeito nessa relação, entretanto, a gente sabe muito bem quem é que de fato representa essa figura para Rory e quem de fato é essa figura. Afinal, onde estava Christopher quando a garota teve catapora e só tomou sopa por uma semana? E mais, onde ele estava a vida toda? Christopher pode ser o pai biológico de Rory, porém até ela descobriu que às vezes a distância é menos prejudicial que a presença. (Por Melina Galante)

 

Imagem: Heroes Wikia

Imagem: Heroes Wikia

9) Noah Bennet (Heroes)

Noah Bennet parece ser um homem comum, que trabalha na Primatech Paper Company e vive no Texas com sua esposa e dois filhos. Porém, o Homem de Óculos (vulgo HRG) já viajou o mundo todo investigando super humanos e procurando pessoas com super poderes. Ele ajuda estes seres a aprender a usar seus dons; mas mesmo sendo um homem da Cia., ele é um pai protetor, fazendo de tudo para cuidar de sua família, em especial sua filha adotiva, Claire. Mr. Bennet não é nada convencional, pois seu trabalho é diferente e acaba afetando a relação com sua cria. No entanto, ele acaba caindo no tradicionalismo ao tentar manter a segurança dela e fazer de tudo para protegê-la. Noah se sacrifica para salvar o mundo, entender melhor estes super humanos e ainda cuidar da sua família. Paizão mesmo de Heroes. (Por Paula Reis)

 

Imagem: The TV Page

Imagem: The TV Page

8) Mike Baxter (Last Man Standing)

Assim como a maioria dos pais da televisão, Mike Baxter é aquele que tenta controlar a família, ser o chefe e tomar as decisões finais referentes a educação das filhas e até mesmo do neto, como um bom republicano faria. Entretanto, ele é o último homem em pé do título da série em uma casa comandada por mulheres, que mesmo tentando impor seus valores conservadores na filha mais nova, seja pelo estímulo a entrar nas Forças Armadas dos Estados Unidos, portar uma arma diariamente e entre outros, acaba percebendo que por mais fiel que possa ser a sua filiação partidária, ele é aquele pai exemplo – que dá bons conselhos, que sabe ouvir, que sempre coloca suas filhas à frente de qualquer coisa e respeita e ama sua esposa, apesar de ser uma eleitora fiel de Hillary Clinton e saudar valores liberais. (Por Bernardo Vieira)

 

Imagem: BuzzFeed

Imagem: BuzzFeed

7) Red Forman (That ’70s Show)

Marrento e sempre mal humorado, o icônico personagem de That 70’s Show no fundo não é tudo isso que aparenta ser. Sempre preocupado com a esposa e seus dois filhos, Red se impõe numa imagem de pessoa autoritária, principalmente pelo fato de ter servido o exército quando mais jovem. Por trás disso tudo, o personagem é no final das contas um amor de pessoa. Mas se mostrar isso aos seus filhos, para ele não é favorável, afinal de contas, ele utiliza da tortura psicológica como forma de educar Eric e Laurie. Com esse seu jeito de pai nada convencional, Red trata Hyde como um filho também, mas diferente em relação aos seus biológicos, o rapaz o trata de uma forma muito mais amistosa, por se identificar com o rapaz em diversos aspectos. (Por Eduardo Nogueira)

 

Mr robot christian slater

Imagem: Arquivo Pessoal

6) Mr. Robot (Mr. Robot)

No final da primeira temporada, fomos surpreendidos ao descobrir que Mr. Robot é o pai de Elliot Alderson. A série fez um flashback e vimos o pai de Elliot e seu filho juntos. Percebemos que a relação de ambos era muito amistosa. O Mr. Robot era dono de uma loja de informática no início dos nos 90, quando computador virou febre entre as pessoas. O nome Mr. Robot era o seu apelido que dava o nome à sua loja. Se Elliot gosta de computadores e tem um espírito revolucionário, isso se deve ao seu pai que sempre o incentivou ter um senso crítico e a não se sujeitar por qualquer coisa. Podemos até dizer que Mr. Robot é a sua grande inspiração de vida e o seu herói, e é nele que Elliot se inspira. Não sabemos o nome verdadeiro de Mr. Robot, mas isso não importa porque senão Mr. Robot é um personagem e é uma fantasia que o pai de Alderson criou. Se descobríssemos o seu nome, essa figura e personagem se perderiam. Então é melhor nem sabermos o seu nome real mesmo. (Por Daniele Duarte)

 

Imagem: Village Q

Imagem: Village Q

5) Sol Bergstein (Grace and Frankie)

O simpático e sensível Sol Bergstein é um paizão daqueles completos. Amoroso, participativo e presente, sempre de prontidão para aconselhar seus filhos, Coyote e Bud, e apoiá-los. Um cara incrível que junto com Frankie adotou os dois meninos, passou-lhes valores humanos e mostrou que a família é um porto-seguro. E assim os dois, Coyote e Bud, aprenderam respeito e tolerância e puseram em prática os ensinamentos de Sol – e de Frankie – quando foram pegos de surpresa pelos novos rumos da família: Sol se divorciaria de Frankie, sua esposa por 40 anos, para se casar com seu sócio e companheiro secreto de 20 anos, Robert Hanson.  E, para além disso, Sol ainda é aquele tipão desligado, boa pinta, meio hippie, sem apegos materiais, desencanado com a vida – e com o guarda-roupa –, que às vezes mais parece um menininho desemparado do que um senhorzinho experiente. E é nessas horas em que Sol precisa de colo ou em que rola uma metida de pés pelas mãos que há uma inversão na dinâmica entre pai e filhos, e Coyote e Bud consolam e aconselham Sol, sempre lançando mão do altruísmo, do amor e do respeito e ponderando erros e perdões. (Por Melina Galante)

 

Imagem: Arquivo Pessoal

Imagem: Arquivo pessoal

4) Michael Kyle (My Wife and Kids)

Quem assistiu Eu, a Patroa e as Crianças (My Wife and Kids) e não quis ser um pai igual ao Michael Kyle assistiu errado, pode voltar. Afinal, apesar da forma torpe que o sr. Kyle tem de educar os filhos, não é que dá certo? Quem não lembra de quando Michael obrigou os três a só comer torta, todos os dias, até que eles confessassem quem comeu o pedaço dele? Ou quando os filhos quiseram independência e Michael deixou que eles se virassem, até desistirem da ideia? (“Já ouviu falar de sushi? Já ouviu falar de Salmonela?”). Ou quando Junior fumou maconha e ele e Jay fizeram o menino achar que tinha ficado maluco? Também teve a vez que Jay e Michael resolveram fingir que estavam em crise para mostrar como é ruim vê-los brigando todo o tempo (“não briguem peeeessoinhas…”); a vez que a Claire pegou o carro sem pedir e Michael “roubou” o carro para ela se desesperar; a vez que ele fingiu estar doente para fazer com que todos fizessem as vontades dele e se sentissem culpados; a vez que ele dirigiu a peça da escola e fez um Romeu e Julieta bem diferente (“põe o amendoim no buraco do amendoim!”)… Enfim, impossível listar todas as formas incomuns da educação dos Kyle. Mas, no final da história, quando precisou de uma forcinha, ele não deixou de ser eleito como o “pai do ano” pelos seus três pestinhas, com direito a homenagens e discursos que emocionaram todos os amantes desse pai nada convencional da TV americana. (Por Fernanda Azevedo)
Imagem: Arquivo Pessoal

Imagem: Arquivo Pessoal

3) Eli Pope (Scandal)

Quer falar de pais nada tradicionais? Papa Pope pula à cabeça. Seja como Eli, Rowan ou Comandante, nenhuma de suas crias é capaz de desfazer o vínculo, seja ela Huck, Jake ou Olivia. E ele ainda faz  questão de de cultivar essas relações nada saudáveis. Sem dúvidas, Olivia é a mais afetada dos três. Vá lá que Eli tenha proporcionado tudo do que há de melhor nesse mundo para sua filha biológica. Tenha sido por instinto, ou para suprir a ausência de Maya, supostamente morta em um acidente de avião quando Olívia ainda era pré-adolescente, Eli sempre proveu pela filha (ainda que brade aos quatro cantos que Oliva Pope não existira sem ele. Quer falar de jogar as coisas na cara é com ele!). No entanto, como no mundo de Scandal tudo tem um preço e nada é o que parece, nossa gladiadora-mãe demorou, mas descobriu quem era seu papi. Um homem inescrupuloso, narcisista, megalomaníaco, inabalável e cruel, capaz de comandar e cometer atrocidades em nome de seus objetivos, esmagando quem quer que passe pelo seu caminho. Mas Eli tem um ponto fraco: seus filhotes, apesar de viver a dualidade de ora tentar destruí-los, ora colocá-los debaixo de suas asas. Ô homem complexo! E se o fruto não cai muito longe da árvore, Liv tenta de todas as maneiras não trilhar os passos do pai. Mas como o próprio já declarou, ela não tem muito para onde fugir e quando a coisa aperta, a genética tem falado mais alto. (Por Melina Galante)

 

Imagem: Friends Wiki

Imagem: Friends Wiki

2) Charles Bing/Helena Handbasket (Friends)

Quando criança, Chandler Bing pensava ter uma família comum como outra qualquer. Isso tudo até acontecer um jantar de Ação de Graças, o qual seu pai, Charles, assume ser gay durante a ocasião. Além de sair do armário, o pai também revela ter caso com um dos funcionários de sua casa, “traumatizando” o seu filho desde então. Com o passar do tempo, o personagem passou a começar a se vestir como mulher, até que então tornou-se uma drag queen, e passou a assumir a identidade de Helena Handbasket. Até então, pouco sabíamos sobre o paradeiro do pai de Chandler, até que, na sétima temporada, Monica insiste do noivo chamá-lo para o casamento deles. Nesse momento, acabamos descobrindo que Helena vive em Las Vegas, onde tem o show de drag queens, chamado Viva Las Gaygas. Absolutamente nada na vida de Chandler Bing foi convencional, e seu pai principalmente está longe desse aspecto. (Por Eduardo Nogueira)

 

Imagem: Arquivo Pessoal

Imagem: Arquivo pessoal

1) Jamie Lannister (Game of Thrones)

Jamie poderia levar o prêmio de pai do ano. O problema que ele não é pai e, sim, tio das crianças – Joffrey, Myrcella e Tommen – que acabaram levando o sobrenome do Rei Robert Baratheon, por casar legitimamente com Cersei, irmã gêmea de Jamie. Pois é, com este lance de querer ficar tudo em família, os irmãos Lannisters acabaram se apaixonando, e deste amor incestuoso frutos foram criados. Mas não é por ser “apenas” tio que Jamie não deixou de proteger seus filhos quando pode. Lutou na Guarda Real, viajou Westeros inteira atrás de sua filha Myrcella, ensinou o Rei Joffrey, deu conselhos ao Rei Tommen… Enfim, fez tudo ao seu alcance para o bem de seus sobrinhos, mas o que queria mesmo era gritar ao mundo que são seus filhos, loiros como Lannisters, guerreiros como o pai. Tio Jamie foi extremista muitas vezes, ao atender os pedidos de sua amada irmã, ao derrubar Bran da janela, ao matar sem medida, mas ele é o verdadeiro pai das crianças Lannisters, estando presente em todos os momentos importantes dos seus – finados – filhos, ao contrário do “pai oficial” Robert. (Por Paula Reis)

 

Imagem: Mashable

Imagem: Mashable

Menção Honrosa: Homer Simpson (The Simpsons)

Por que colocamos Homer Simpson como menção honrosa? Simples, pois se pararmos para ver, o personagem não tem nada de convencional e deixaria os demais pais dessa lista no chinelo. Homer é insano por completo, um eterno molecão, que está sempre se metendo em presepadas. Ele não tem limites para nada, principalmente quando o assunto é cuidar de seus três filhos. Com Bart, o personagem vive uma relação de gato e rato, o qual os dois parecem mais irmãos do que pai e filho. Já Lisa é seu ponto de equilíbrio, que o faz ter um pouco mais de racionalidade e, muitas vezes ele pode até não dar muita bola para decisões e coisas que sua filha do meio faz ou diz, mas no final das contas sempre cede o que a garota diz, e sua relação com ela é muito mais afetuosa. A caçula Maggie, às vezes pode até parecer não se importar com a pequena, mas Homer a ama tanto quanto os demais. O personagem pode até ser egoísta muitas vezes, mas o amor que tem pelos filhos é inexplicável, mesmo sendo um pai totalmente diferente dos demais. (Por Eduardo Nogueira)

 

Imagem: Arquivo Pessoal

Imagem: Arquivo Pessoal

Menção Honrosa 2: Walter White (Breaking Bad)

Walter White não podia ficar fora desta lista, não é mesmo? E ainda como menção honrosa, porque se for ver, ele é um dos pais mais diferentes que você vai ver por aqui. Mas não pelo fato de não ser paizão, não pensar no filho e não fazer tudo por ele. Pelo contrário, para Mr. White, a família está acima de tudo e tudo se justifica para protege-la. E quando eu falo tudo, é tudo mesmo, até traficar drogas, para juntar dinheiro, quando se descobre que está com um câncer terminal. Walter acredita que os fins justificam os meios, mas produzir metanfetamina é um pouco demais, não é mesmo? Acontece que WW acabou se envolvendo demais – e gostando. Ele se transformou em Heinseberg, este que já não pensava tanto na família e ficava extremista no meio de tanta fumaça após cozinhar. O querido pai de Walter Junior usou do argumento de proteger sua família para justificar seus atos, mas o que aconteceu é que realmente colocou eles em perigo e acabou os envolvendo também. Ser convencional, típico pai americano que trabalha o dia todo para sustentar a casa não está nos planos do nosso senhor White, mesmo que ele tenha deixado transparecer que é um mero professor de química, ou apenas dono de um lava-jato de carros. (Por Paula Reis)

 

E aí, curtiu? Só papais doidinhos, né?! Mas que amam seus filhos acima de tudo. Lembra de mais algum pai fora do convencional? Deixe nos comentários! Até a próxima!

Equipe Mix

Equipe Mix

Perfil criado para realizar postagens produzidas pela equipe do Mix de Séries.

1 comment

Add yours

Post a new comment