Tupiniquim: O boom das séries brasileiras

[column size=”5-6″]

Inicialmente alvo de muitas críticas, a Lei da TV Paga, que obriga todos os canais a destinarem uma parte de sua programação para produção nacional, enfim se mostra eficiente; gerando uma verdadeira revolução de qualidade e conteúdo na nossa telinha.

 

Pé na Cova - Globo

Pé na Cova – Globo

Continua após a publicidade

 

Foi em setembro de 2011 que entrou em vigor a lei 12.485/2011, a qual determinou que todos os canais de TV por assinatura que exibissem predominantemente filmes, séries, documentários ou animação, deveriam destinar 20% de sua programação para conteúdo nacional – no horário nobre.

O começo foi complicado, com reprises infinitas de filmes brasileiros populares. Mas com o tempo os canais precisaram correr atrás de produções próprias, e, com isso, uma gama gigantesca de material inédito, com muitas séries no pacote, começou a pipocar na nossa TV fechada.

 

(fdp) - HBO

(fdp) – HBO

 

E no meio desse boom, temos mais do que aquelas comédias pastelão e sitcoms que estávamos tão acostumados. Temos drama (Sessão de Terapia, 3 Teresas), suspense (Contos de Edgar), comédia (Vida de Estagiário, Vai que Cola), produções em estilo documentário (Águias da Cidade), e até séries com temática infantil (Violeta e Pedro & Bianca, vencedor do Emmy em 2013).

Os mimizentos ainda podem até tentar reclamar, mas não há como negar que a TV paga está recheada de produções cada vez mais interessantes. Estimulando a produção nacional, séries brasileiras de ficção e não-ficção estreiam toda semana, gerando recordes de audiência até então inimagináveis.

 

Agora sim! - Sony

Agora sim! – Sony

 

E é exatamente desse novo cenário e dessas novas séries da TV aberta e TV fechada que falaremos aqui na Tupiniquim todas as semanas. Afinal, aqui no Brasil não sabemos fazer só novelas.

[/column]

Letícia Bastos

Letícia Bastos

Publicitária, social media, mangaká e dançarina em protestos. Também sou apaixonada por séries e admito que novelas são meu Guilty Pleasure. Apaixonada por comédias cult/pop/nerd, ainda pretendo fundar uma seita para os Adoradores de Arrested Development. Aqui no Mix sou editora de Realitys Show e escrevo as reviews de todos os realitys do mundo, como Masterchef BR, The X Factor UK e BR, The Voice US, AUS e BR, BBB e RuPauls Drag Race.

3 comments

Add yours
  1. Eduardo Nogueira
    Eduardo Nogueira 1 abril, 2014 at 12:27 Responder

    Não tem como negar a qualidade das produções nacionais na TV brasileira, seja ela aberta ou a cabo. É bom ver a qualidade de obras de pessoas novas com ideias de roteiro inovadoras tb.

    Ótimo post Let

  2. Anderson Narciso
    Anderson Narciso 1 abril, 2014 at 21:55 Responder

    Muito bom. Realmente, a TV ta tendo um boom de séries. E eu até acredito que isso possa estar vindo de um desgaste do folhetim diário. Acho que o cenário da TV brasileira vai mudar em breve… Antes do que pensamos!

  3. Avatar
    Mary Grizotto 2 abril, 2014 at 01:21 Responder

    Muita gente critica as produções nacionais, mas eu gosto muito.
    As que eu sou fã mesmo são, Toma lá da cá, Sai de Baixo, Sob Nova Direção, Adoravel Psicose ; )
    E por mais que criticam, eu adoro Se Eu Fosse Você – A serie-

Post a new comment