Twin Peaks – 3×01 – The Return – Part I

Imagem: Showtime/Divulgação

Continua após as recomendações

Expectativa = ter todas as perguntas respondidas e entender as pontas deixadas na segunda temporada;

Realidade = ter mais dúvidas e ter nenhuma resposta sobre essas pontas soltas.

Isso é definitivamente mais Twin Peaks do que nunca!

Continua após a publicidade

Após 25 anos, Twin Peaks está de volta e mais maravilhosa do que nunca. Esperamos muitos anos por esse retorno e, por esta razão, pensei que teria todas as pontas soltas sendo respondidas, era essa a minha grande expectativa. No entanto, obtivemos mais dúvidas do que respostas. Este The Return – Parte I foi maravilhoso, porque sentimos toda a nostalgia da série que marcou os anos 90. Na primeira cena, no The Black Lodge, com o diálogo entre a Laura Palmer e o Dale Cooper já sentimos isso, seguido pela conversa entre o giant e o Cooper e, por último, a abertura marcante da série de David LynchConfesso que estou muito satisfeita com esse retorno.

Os filmes de David são marcados pelo surrealismo e bizarrice, cujos elementos não explicamos usando a lógica. Em alguns pontos, este episódio lembrou Eraserhead, filme de Lynch de 1977. Principalmente na cena do diálogo entre o gigante e o Dale Cooper, na qual há uma atmosfera sombria e surrealista, cheia de humor negro. Ambos são em preto e branco. A caracterização e o olhar do Cooper, nesta cena em especial, lembra vagamente o Henry, personagem principal do filme.

Além de traçar um paralelo entre o filme de Lynch e Twin Peaks, podemos também relacionar literatura com a série, pois esta última contém semelhanças com o Fantástico, ou seja, quando o sobrenatural é introduzido na história, gerando dúvidas sobre a sua existência.

Daí nos perguntamos: como está a cidade de Twin Peaks? E seus moradores? E Continuam vivíssimos! Quanta nostalgia ao ver tudo da mesma forma como era antigamente! A fachada da delegacia, o hotel do Ben e o ar misterioso da cidade. Tudo continua o mesmo. Isso nos passa a impressão de que a cidade parou no tempo. Lucy, Andy, Ben, Dale Cooper, Hawk e a Log Lady (a mulher do tronco) ainda habitam Twin Peaks e levam a mesma vidinha de sempre. Como não amar esta cidade?

Dale Cooper ainda permanece com o espírito do Bob, mesmo passado 25 anos. Ninguém sabe onde ele se encontra e, pelo andar da carruagem, nem imaginam que ele é o Bob de fato. Todavia, isso pode mudar com a mensagem da Margaret.

A série já começou bizarra quando apareceu um homem numa sala olhando para uma caixa de vidro. A cena não tinha nenhum diálogo, mas havia uma caixa de vidro com imagem de Nova York e um homem desconhecido a observando. Não conhecíamos o personagem, tampouco a sua motivação para ficar olhando e salvar a imagem em uma outra caixa.

Enfim, nada fazia sentido e ainda não faz. Entretanto, foi revelado que o próprio homem não sabia sobre essa caixa e ele só permanecia ali para ganhar dinheiro. Sua função, pois, era somente prestar atenção naquela caixa de vidro. Com certeza aquela caixa tem alguma relação com a morte da Ruth. Aliás, “a coisa” que saiu dessa caixa de vidro e acabou matando o homem e a Tracey se parece com a Ruth.

Falando nisso, essa nova temporada se concentrará precisamente sobre a morte bizarra de Ruth Davenport. Assim como a Laura Palmer, não sabemos nada sobre a vida dela, então nós descobriremos sobre a personagem ao longo da trama e isso aguça mais a nossa curiosidade.

Quem matou Ruth, não sabemos, mas já supomos que seja o Bob, ou alguma outra entidade demoníaca. Em minha opinião, é nítida que a morte dela está relacionada a elementos sobrenaturais, vide a forma como o corpo foi encontrado, bem parecido com a da Laura. O grande ponto aqui é: quem é essa entidade? Por que justamente a Ruth? Quem é ela? Qual é a relação entre o Bill e ela?

A única informação passada foi de que ela trabalha na escola da cidade e é a bibliotecária, e o Bill é o diretor dessa escola. Então a relação entre eles seria estritamente profissional. No caso da Palmer, foi o pai, possuído pelo espírito de Bob, quem matou sua filha. Será que nesse caso, o Bill matou a Ruth, possuído por algum espírito e eles eram muito mais do que colegas de trabalho? A série trouxe mais enigmas do que nunca e isso é a cara de David Lynch!

OBS.: Esperamos cenas na lanchonete com muito café e torta de cereja! <3

OBS. 2: Cadê a Audrey? Volte logo, por favor!

OBS. 3: Será que descobriremos quem é a Diane?

Tags Twin Peaks
Daniele Duarte

Daniele Duarte

Carioca da gema, amante de literatura clássica. Machado de Assis é o seu autor favorito. O tríade de melhores séries são Six Feet Under, Breaking Bad e Sherlock . Séries inglesas também faz parte da sua grade de séries. Ela é a pessoa que chora rios com a series finale de SFU.

No comments

Add yours