Um bom tempo para ser nerd!

editorialnerd

A estreia de Stranger Things próxima à realização da San Diego Comic Con parece até proposital. A maior celebração nerd do mundo traz, todo ano, as maiores novidades do cinema, TV, quadrinhos e muito mais. Este ano, a Netflix estreou uma das mais belas cartas de amor à nostalgia e à cultura nerd e pop que se tem notícia. Stranger Things, dos irmãos Duffer, é uma salada de frutas excelente, que mistura tudo que os anos 80 nos entregou de bom. E ainda vai além: tem referência a Alien, a Minority Report, Sob a Pele, e muitas outras criações que não foram realizadas e/ou lançadas na década de 80. A série é um emaranhado de referências ao cinema, à literatura (alô Stephen King!), com trilha sonora impecável e um elenco fantástico que ainda passa horas jogando RPG.

Stranger, ligada à Comic Con, nos lembrou de um fato que costumamos esquecer: vivemos no melhor momento nerd possível. Sabe aquela frase “que tempo bom para ser nerd”? Pois é. Se os nerds eram deixados de lado antes, julgados pela sociedade, hoje eles praticamente dominam o mundo. É claro que essa mudança tem lados bons e ruins, afinal de contas, nerds não são santos e muito menos perfeitos. Há de se debater questões sociais importantes, e de se levantar questionamentos sobre um forte segmento machista e preconceituoso nesse meio. Ainda assim, é inegável que muito do que vemos hoje na indústria acontece para e devido aos nerds/geeks (são termos diferentes, sabemos, mas usemos juntos, para facilitar).

Continua após a publicidade

A melhor prova é essa onda cada vez maior de filmes oriundos de HQs, games, etc. Se você cresceu como um nerd/geek nos últimos anos, é impossível não se emocionar e vibrar com os anúncios desta última Comic Con. Só no sábado tivemos trailers de Doutor Estranho, Animais Fantásticos e Onde Habitam, Mulher Maravilha, Esquadrão Suicida e Liga da Justiça! E não estou sequer falando de todos os vídeos que não foram divulgados na web. O pessoal na SDCC puderam assistir um vídeo exclusivo de Guardiões da Galáxia 2, com as aparições de Kurt Russel e Sylvester Stallone. E estou falando apenas de alguns filmes que passaram em apenas um dia de convenção. Ainda temos uma sequência surpresa de A Bruxa de Blair, fita de horror que já se fixou no cenário pop moderno.

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=fIHH5-HVS9o[/youtube]

Tudo isso no âmbito cinematográfico. E nas séries? Temos a DC com séries novas; a Marvel chutando o pau da barraca em parceria com a Netflix; O Exorcista chegando às telinhas; Neil Gaiman e seus Deuses Americanos ganhando vida e muito, muito mais. É impossível ficar indiferente a tantas novidades, a tantos produtos que versam por aquele público que, antes, era ignorado. É ótimo ver diretores e roteiristas serem tão ou mais respeitados do que atores. São esses caras que comandam a indústria, que fazem acontecer. Zack Snyder, por exemplo, é venerado pelos fãs. Ben Affleck parece que ganhou mais respeito ao ser anunciado como diretor de The Batman. Joss Whedon é praticamente um superstar. David Ayer, o diretor de Esquadrão, se destacou mais no painel do filme na SDCC do que Jared Leto, o Coringa. Todos estes caras são assumidamente nerds. E todos eles têm, agora, espaço para falar e expressar suas paixões.

Os nerds/geeks sempre tiveram um espaço e outro. Spielberg sempre pertenceu a este time, e suas produções sempre tiveram essa pegada. A diferença é que agora o tempo parece ser deles. A voz está sendo ouvida e deve seguir ecoando por um bom tempo. Que tempo bom, amigos! Que tempo bom!

Tags Editorial
Matheus Pereira

Matheus Pereira

Gaúcho, estudante de jornalismo e viciado em séries. Tem séries pra assistir de mais e tempo de menos. Séries favoritas? Six Feet Under e Breaking Bad.

2 comments

Add yours
  1. Avatar
    Mandingueiro Vudu 25 julho, 2016 at 12:07 Responder

    Será mesmo? Acho que é uma ótima época para fingir que é nerd e surfar na moda de filmes e séries para o publico nerd. Quando a moda acabar, vamos ver que continuara se intitulando nerd. Leio e coleciono quadrinhos desde 1984, sou trekker de carterinha, então sei o que estou falando.

    • Matheus Pereira
      Matheus Pereira 25 julho, 2016 at 13:05 Responder

      É justamente por isso que é um bom tempo, agora, para ser nerd. As pessoas podem crescer, se tornar, falar ou mesmo fingir que são nerds sem medo, e curtir tudo que tem saído no cinema, TV, HQ, etc. Acredito que não seja moda, logo, creio que isso não vai acabar. Particularmente acho ótimo que tenha essa “moda” de filmes e séries, para que assim, novas pessoas possam ser nerds, participar desse mundo. Acho ótimo que alguém conheça Star Trek pelos novos filmes, e vá conhecer os filmes e séries originais, se integrando ao universo. Acho ótimo que as pessoas assistam os filmes de heróis recentes e procurem pelas HQs que deram origem aos seus roteiros. Acho fantástico que uma série como Stranger Things desperte no público e principalmente nas crianças a vontade de rever ou conhecer o rico universo cultural oitentista. Quantas crianças podem querer jogar RPG depois da série? Acho isso demais! Caso a onda passe e muitos não se intitulem mais nerds, paciência, sigamos no meio sem medo. Grande abraço!

Post a new comment