Uma vaga casual

The Casual Vacancy - Da Estante para a TV

 

Barry Fairbrother sofre um aneurisma e morre. Pagford, uma pequena cidade no interior da Inglaterra, entra em choque – e em crise – ao descobrir sobre a morte de um de seus mais ilustres moradores. A morte de Barry, que era uma espécie de vereador do local, resulta em uma vaga casual na política da cidade, e todos querem ocupar o posto de Fairbrother antes mesmo do corpo esfriar.

O caos está instalado e a pequena Pagford começa a revelar seus piores segredos. É o ponto de partida do romance escrito por J.K. Rowling, a mente por trás de Harry Potter, e da minissérie que adapta a trama às telinhas. Produzida pela BBC – em parceira com a HBO -, The Casual Vacancy adapta o primeiro romance da autora depois do sucesso da saga Harry Potter; no Brasil, o livro ganhou o nome Morte Súbita. Dividida em três episódios, a minissérie foi inteiramente dirigida por Jonny Campbell (responsável pela primeira temporada de In the Flesh e alguns episódios de Doctor Who) e o primeiro capítulo é assinado por Sarah Phelps, roteirista da ótima Great Expectations, minissérie de 2011.

Continua após a publicidade

The Casual Vacancy é o livro perfeito para a televisão. Contando com uma galeria enorme de personagens, a trama tem intrigas, reviravoltas, mentiras, e temas polêmicos e atuais, como o bullying, o consumo excessivo de álcool e, claro, drogas. O romance é dividido em sete partes e cada um traz diferentes relatos e diferentes pontos de vista. Em todos as partes são revelados os conflitos que nascem entre amigos e familiares; a aparente vida perfeita começa a ruir, bem como a pequena sociedade organizada de Pagford. A cidadezinha descortinada por Rowling, aliás, serve como um microcosmo, a representação da sociedade que desfalece quando algo inesperado e trágico acontece. Com a morte Barry, por exemplo, uma velha discussão é reacendida: o problemático e pobre bairro Fields deve continuar fazendo parte de Pagford ou deve se tornar parte da cidade vizinha, chamada Yarvil? A questão divide a população basicamente entre os ricos (que são a favor da separação) e os probres (que, se não contras, são indiferentes ao fato). Casual Vacancy, portanto, vai desenvolvendo sua trama novelesca com altos e baixos e muitas surpresas.

A minissérie promete se beneficiar disso. Com tantos personagens, por exemplo, a produção aproveitou para escalar bons atores e atrizes. Entre eles, Michael Gambon (o Dumbledore de Harry Potter e que atualmente pode ser visto na ótima Fortitude), Rory Kinnear (visto recentemente como a Criatura de Penny Dreadful), e uma porção de outros artistas que você pode não saber o nome, mas reconhece o rosto. Por ter apenas três episódios e ser produzida pela BBC (praticamente um sinônimo de qualidade), a minissérie pode funcionar, já que não esticará a trama, nem perderá tempo com personagens que podem não agregar nada ao desenvolvimento da série. O elenco e a equipe por trás do projeto são competentes e o trailer, ainda que não mostre muita coisa, empolga.

É bem verdade, porém, que o romance de Rowling não é um primor. É um bom livro, mas empalidece perto da corajosa e complexa saga do jovem bruxo criada anos antes. É claro que são histórias completamente diferentes, que em nada se assemelham (The Casual Vacancy é um romance adulto do início ao fim), mas é inevitável constatar uma narrativa cansada em Morte Súbita. As descrições são enfadonhas e os personagens não se conectam ao público. Além disso, Rowling mostra-se prolixa ao não cortar diversas passagens inúteis e desnecessárias à trama principal. Ainda assim, é um obra interessante e, apesar de tudo, bem escrita. Torcemos para que a minissérie pegue emprestado apenas as qualidades do livro e deixe os defeitos de lado.

 

The Casual Vacancy estreia no dia 15 de fevereiro.

Matheus Pereira

Matheus Pereira

Gaúcho, estudante de jornalismo e viciado em séries. Tem séries pra assistir de mais e tempo de menos. Séries favoritas? Six Feet Under e Breaking Bad.

No comments

Add yours