A nada bad reputation de Freaks and Geeks

fg-01

 

Com certeza você, ao rodar no Netflix nos últimos dias, deve ter notado um título meio clichê e com alguns atores bem famosos (e ainda novinhos) no cartaz, e deve ter se perguntado o seguinte: “WTF?!? Que série é essa?”

Pois é, essa série com o nome clichê (na época não era nada clichê, foi até inovador) e com alguns atores mega famosos ainda novinhos no cartaz é Freaks and Geeks, uma série que durou pouquíssimo, mas que ganhou status de pop/cult/nerd e ainda coleciona muitos fãs por aí.

Lançado em 25 de setembro de 1999, com criação e produção de Judd Apatow e Paul Feig, o programa marcou época não apenas por seu conteúdo, mas também por ser a estreia oficial de várias estrelas da TV e/ou do cinema, como James Franco, Seth Rogen, Jason Segel (How I Met Your Mother), Linda Cardellini (ER), John Francis Daley (Bones), Martin Starr (Silicon Valley), Samm Levine (Bastardos Inglórios), Lizzy Caplan (Masters of Sex) e Busy Philipps (Cougar Town), só para citar alguns.

 

Reunião do elenco da série promovido pela revista Rolling Stone (2012)
Reunião do elenco da série promovido pela revista Rolling Stone (2012)

 

Tendo durado apenas uma temporada entre setembro de 1999 e julho de 2000, e contando com apenas 18 episódios, o cancelamento precoce da série na emissora NBC, devido à baixa audiência, gerou protestos e muita revolta dos fãs na época. Mesmo com o cancelamento após uma curta temporada, a série foi apontada pela revista Times no artigo “As 100 melhores séries de todos os tempos”.

Mas, afinal, qual era a história da série? Freaks and Geeks, como mostra o próprio nome, conta a história de dois grupos de jovens bem diferentes: os freaks, bad boys que adoravam matar aula, beber, aprontar e não gostam nada de respeitarem regras; e os geeks, típicos nerds, estudiosos, loucos por matemática (a protagonista era matléta) e tão em alta no nosso momento atual.

 

 

Os protagonistas da série eram os irmãos Lindsay (Linda Cardellini) e Sam (John Francis Daley), ambos adolescentes, ótimos estudantes, orgulhos dos pais e, claro, considerados geeks. Mas tudo muda quando Lindsay, traumatizada pela morte da avó e apaixonada por Daniel (James Franco), resolve entra para o grupo dos freaks.

A série abordava temas como drogas, sexo, álcool, bullying, sexismo e preconceito, temas sempre em alta e já muito explorados em séries adolescentes. Mas a diferença e a genialidade da série está exatamente na forma que cada um desses foram abordados, com uma linguagem franca, sem rodeios e mimimis. Não é à toa que Judd Apatow é referência no tratamento desses temas até hoje.

Tão incrível quanto o roteiro é a trilha sonora. Com nomes como Journey, The Who, David Bowie e Joan Jett, dona do clássico rebelde Bad Reputation, que era APENAS o tema de abertura da série.

 

 

Elenco entrosado, linguagem fácil e sem firulas, sem arrependimentos e ainda contando com um dos melhores roteiros já escritos para uma série adolescente. Se você ainda não viu Freaks and Geeks, não perca tempo. São só 18 episódios e disponíveis ali, no catálogo do Netflix mesmo. Corre que vale a pena, gente!

Você sabia? Eles estudavam na William McKinley High School, mesma escola onde se passa Glee e The Wonder Years. Que lindo né?

Comments

comments

About Letícia Bastos

Letícia Bastos
Publicitária, social media, mangaká e dançarina em protestos. Também sou apaixonada por séries e admito que novelas são meu Guilty Pleasure. Apaixonada por comédias cult/pop/nerd, ainda pretendo fundar uma seita para os Adoradores de Arrested Development. Aqui no Mix sou editora de Realitys Show e escrevo as reviews de todos os realitys do mundo, como Masterchef BR, The X Factor UK e BR, The Voice US, AUS e BR, BBB e RuPauls Drag Race.