American Idol – 16×11/12 – Top 24 (Grupo 2)

Imagem: ABC/Divulgação

A fase de Top 24 do American Idol continua a todo vapor. Agora o segundo e último grupo, também formado por 12 participantes, se apresentou em performances solo e duetos. Com um resultado que dividiu as opiniões da galera do Team Reality, com certeza não estamos sozinhos nessa.

A partir de agora teremos uma novidade em nossas reviews, que são os bottoms de reações para cada performance.

Vamos conferir o que rolou?

 

SOLO PERFORMANCES

 

Amelia Hammer Harris – “Believer”

Edu: Eu achei a performance muito boa, mas Amelia podia ter se esforçado um pouco mais. Mais uma vez ela veio com seu visual original, mas a música em si não fugiu muito da versão do Imagine Dragons. Queria uma vibe diferentona, que nem Amelia. Gostei, mas não amei!

Gaby: Foi uma coisinha tão estranha esta performance! Olha, eu AMO essa música e não senti que Amelia estava conectada com a canção. Se dependesse dessa apresentação para continuar no programa, ela não passaria.

Let: Sério, por que essa música? Em nenhum momento valorizou a voz dela, em nenhum momento ficou legal. É tanta letra que não valoriza a voz, ficou estranho, chato, eu nem queria ver até o final. Nem parecia Idol na real, parecia The Voice UK antigo de tão ZZzzz…

Luke: Eu acho essa música maravilhosa, mas também super difícil de cantar. Gosto muito desse estilo original da Amelia e achei que ela fez um ótimo trabalho com a performance. Ela domina legal quando está se apresentando e tem aquele ar de que não está ligando pra mais nada, apenas em viajar junto com a música.

 

Garrett Jacobs – “Treat You Better”

Edu: As definições de vergonha alheia foram atualizadas com sucesso.

Gaby: Garrett garantiu seu passaporte para o show dos horrores com essa apresentação. Go home!

Let: Vocês não se distraem com aquela sobrancelha que sobe sozinha? Porque eu sim. Pior é ele se achando O cantor com essas desafinadas terríveis. Ah, pelamor!

Luke: Que isso, hein gente?! Já não tinha curtido a performance anterior dele, aí veio e conseguiu fazer ainda pior.

 

Maddie Pope – “Brand New Key”

Edu: Maddie veio com uma apresentação gostosinha, mas não foi uma das melhores. A música é bonitinha, tudo inho e inha, mas esperava um pouquinho mais. O pai dela no final mandou bem melhor.

Gaby: Faltou tempero nessa performance, mesmo assim, Maddie fez uma apresentação gostosinha de se escutar e ela tem talento. Não foi a melhor apresentação dela no programa, nem a pior.

Let: Música errada para essa fase da competição. Até ficou legal, mas jura amiga que tu quer se arriscar com isso? Aff, gente! E desculpa pelo comentário, mas e essa calça de Ronald McDonalds? Não entendi!

Luke: Prefiro a Maddie com músicas no estilo das apresentações anteriores, mas nem por isso digo que ela foi mal dessa vez. Foi uma performance que você assiste e fica sorrindo aqui, mas acho que ela poderia ter surpreendido um pouco mais. Só espero que isso não custe sua permanência no programa.

 

Ada Vox – “Feeling Good”

Edu: RAINHA!!!!!!! Gente, eu estou todo arrepiado com Ada, sério. Ela simplesmente veio com uma de suas melhores, se não a melhor, apresentação no American Idol. No fim da performance eu estava quase que nem a Katy, de tão impressionante que foi. Se Ada continuar nesse ritmo, ela terá tudo para ser finalista, e digo mais, possivelmente participante drag a ganhar um reality show musical dessa importância. Espero e muito que ela não se perca no caminho.

Gaby: Ada levou a competição para outro nível. Foi uma performance impecável, arrasadora e eu estou aqui emocionada. Se ela não for para o Top 14, vai ser a maior injustiça! Divou!!!

Let: AGORAAA SIMM! Tem que ser Ada para destruir. Amo que ela sempre faz tudo parecer tão fácil, possível, mas cara! Tem poucas pessoas no mundo que conseguem cantar desse jeito absurdamente incrível, pouquíssimas. Vencedora da temporada, gente, anotem! Não tem pra mais ninguém!  

Luke: O que foi isso, hein produção?! Pra variar a Ada derrubou a casa inteira novamente e eu fiquei tipo sem reação aqui, depois dessa performance. Caramba gente, onde é que ela tira tudo aquilo de voz e disposição no palco? Fiquei chocado aqui com essa destruição toda.

 

Caleb Lee Hutchinson – “Die a Happy Man”

Edu: Gosto muito do Caleb e isso vocês já estão carecas de saber, mas nessa altura do campeonato ficar na zona de conforto não é uma boa pedida. Ele podia ter escolhido outra música, ter ousado, mas preferiu permanecer no mais do mesmo. Mais uma performance com selo gostei, mas não amei.

Gaby: Novamente, Caleb me deu sono. Ele canta bem e tal, mas continua sempre na sua zona de conforto e isso pode ser um problemão, pois ele nunca se arrisca.

Let: Concordo com o Edu, ficar na zona de conforto quando tinha chance de mostrar algo diferente é uma droga. Com esse vozeirão ele poderia fugir do country só um pouquinho, sabe! Cansa a mesmice, e o mundo não precisa de outro Scotty McCreery que nunca se arrisca.

Luke: Eu gosto muito dessa música, mas gente, pra mim ele poderia ter feito bem mais que isso. Não foi ruim, mas simplesmente não foi nada demais. Ele pegou uma música bacana e tals e ficou nisso mesmo, não se arriscou em nenhum momento.

 

Effie Passero – “Barracuda”

Edu: Quando Effie decepciona? Ela veio com mais uma apresentação cheia de atitude, e acho incrível como sua voz combina com esses tipos de música.

Gaby: Concordo com o Luke, não foi a melhor da Effie, mas ela mandou bem e mostrou que merece continuar na competição.

Let: Para cantar essa música e arrasar só poderia ser ela mesmo, Effie. Que pessoa maravilhosa, que voz poderosa. Ela pode cantar o que quiser mesmo, assim como Ada. Ainda tô arrepiada!

Luke: Não vou dizer que foi a minha preferida da Effie, prefiro um estilo um pouco mais leve pra ela, mas impossível não torcer pra candidata. Essa voz poderosona aí é coisa linda de ver e ela tem total minha torcida.

 

Alyssa Raghu – “Stay”

Edu: Oh uma das minhas favoritas chegando!! Fiquei todo feliz ao ver que Alyssa cantaria “Stay”, mas eu me decepcionei um pouco. Eu acho tudo muito morno, que não lembrou aquela garota que me ganhou lá nas audições. A sensação que tive foi que ela cantou essa música meio que forçada, e saiu esse resultado tipo pombo.

Gaby: Gente, eu não aguento mais essa música da RiRi. Tirando isso, Alyssa começou bem, mas desafinou um pouco.

Let: Olha, eu esperava muito mais, quem sabe um pouco de originalidade, por ver quase todo mundo mostrando mais personalidade que ela. Foi karaokê e me deu preguiça. E ela não deveria fazer isso com a bff de Rihanna sentada ali na frente dela. Só acho!

Luke: Outra que soube escolher muito bem a música e tipo, entregou uma performance bem interessante de assistir. Pra mim em alguns pontos ela definitivamente poderia ter se arriscado um pouco mais, pois tem uma voz maravilhosa, mas ainda assim eu gostei bastante, principalmente na segunda parte da apresentação que ela foi um pouco mais além.

 

Marcio Donaldson – “Inseparable”

Edu: Eu não aguento mais Marcio fazendo cara de vítima!! Tenho que admitir que a performance foi linda, uma das melhores da noite. Ele já mostrou o talento incrível que tem, mas precisa aprender a colocar um sorriso no rosto. Já estou cansado dele, e tudo fazer cara de tristeza e choro. Sei que a vida dele não foi fácil, mas de muitos ali não foram ou não são, portanto, ele precisa se superar.

Gaby: Marcio mostrou uma grande melhora vocal nessa apresentação, porém, ele ainda precisa evoluir muito e se soltar mais no palco.

Let: Eu adoro a voz e as performances breguíssimas porém hinos, mas acho sempre que ele tá no programa errado. Vai pro The Voice, mas estuda antes. Mas pera, pra que chorar no final? Oh coisa chata! Se segura mano, a vida é pesada mesmo.

Luke: Olha, Marcio pra mim fez sua melhor apresentação no programa nesse episódio. Ouvi ali alguns pontos da voz dele que até então tinha passado despercebido e gostei muito. Achei que ele subiu um degrau dessa vez e com certeza pode resultar na sua permanência por ali.

 

Mara Justine – “Run To You”

Edu: O QUE FOI ISSO? Fiquei morrendo de medo aqui, pois esse é um dos maiores hinos de rainha Whitney. Mara veio de forma singela, e aos poucos evoluindo na medida certa. A princípio julguei o fato de ter escolhido essa música, por ela ser muito nova, que bobo eu sou. Ela deixou muita cantora experiente no chinelo, e na hora que chegou nas notas mais altas executou tudo de forma incrível, sem beirar o exagero. Uma das minhas apresentações favoritas dessa noite disparada.

Gaby: Mara, menina o que você fez? Se alguém pode vencer esse programa, esse alguém é Mara Justine. Ainda mais depois dessa linda performance. Estou sem chão! Pela primeira vez, um act não quis dar uma de Whitney e incorporou o hino da diva para ela. Foi perfeito! Melhor da noite!!!

Let: EITA QUE DEUSA TÔ NO CHÃO! Ela não errou em nenhum momento, e olha que pegou uma música casca grossa. Mas essa menina curte um fazer um hino mesmo. Amei ela humildona e respeitosa com esse clássico – Katia tem razão, ela pode cantar o que quiser.

Luke: Rapaz do céu, Mara catou esse tiro de música e tipo, estou arrepiado até aqui. Sério gente, não estava nenhum pouco preparado e a guria foi pra mim uma das grandes surpresas da noite, porque convenhamos que a cada cem cantores malemá um consegue fazer o que ela fez com essa maravilha da Whitney. Eu fiquei com cara de besta no estilo Luke sentado naquela cadeira, porque ela realmente impressionou.

 

Jurnee – “Flashlight”

Edu: Sinceramente? Achei Jurnee meio preguiçosa. Essa música é incrível, mas ela se preocupou em se destacar apenas nas partes mais altas da canção. Boa parte da apresentação foram as backing vocals que cantaram mais que ela. Eu esperava tiro, porrada e bomba, mas foi só bomba e nuclear ainda. Uma pena!

Gaby: Jurnee eu te amo, mas acho que você escolheu a canção errada. Fiquei esperando por aquele momento e isso não aconteceu. Mesmo assim, ela foi melhor do que muitos.

Let: Mana, pra que pegar esse hinão e fazer uma apresentação tão fraca? Só consegui imaginar Jessie te reprovando na cadeira do The Voice AU, com aquele jeitinho dela de “come on, come on”. Ali tu ouviria a real, porque foram só elogios nada justos, foi ruim.

Luke: Amo Jurnee e ainda arrepia aqui ao lembrar daquela performance anterior dela. Flashlight” é outra música maravilhosa, que dá até medo quando vejo que alguém vai cantar. Ela foi bem? Sim, mas com certeza não tanto quanto poderia ter sido. Achei que ela cometeu o mesmo erro de outros nessa noite, acabou estacionando e não quis chegar num ponto mais alto durante a apresentação.

 

Shannon O’Hara – “All I Ask”

Edu: Eu amo essa música absurdamente, é a minha segunda predileta de todas da Adele. Por conta disso, assisti ao número com um olhar bem crítico. Que saber? Eu adorei! Sério, todas as vezes que cantam essa música em competições musicais eu sempre me decepciono, mas pela primeira vez eu gostei. Não teve firulas, não teve Shannon querendo ser Adele. A garota simplesmente se entregou à música na sua maneira, e isso me ganhou de cara.

Gaby: Tô passada! Shannon é um talento raro e o que ela fez com essa canção maravilhosa de Adele foi sensacional!

Let: Assim como Justine, ela respeitou o hino escolhido e cantou com toda a força e personalidade que ele merece. Foi lindo demais e tô toda arrepiada até agora. Vozeirão forte, destruindo no grave – talento de poucos, e contida, emocionada. Amei!

Luke: Pega aí uma das minhas músicas preferidas do 25 e a menina Shannon com SÓ ISSO de idade conseguiu me deixar foi bem derrubado aqui. Achei que ela conseguiu fazer uma apresentação delicada e gigante ao mesmo tempo, tascando essa voz deliciosa na minha cara e me deixando babando aqui mais uma vez.

 

Ron Bultongez – “Dancing On My Own”

Edu: Foi algo bacana, mas que não me transmitiu tanta emoção assim. Ficou devendo algo, e já até esqueci dessa performance.

Gaby: Para mim, foi puro karaokê. E senti muito nervosismo do Ron.

Let: Olha, eu gostei, mas poderia ter sido bem melhor se a emoção que Ron coloca na voz estivesse na expressão facial também. Aquela cara blasé o tempo todo é algo que me irrita demais. Alguém precisa dar essa dica pra ele, purfa!

Luke: Gostei e por motivos de ser outra música que mexe comigo. Aliás, boa parte desse povo resolveu vir de voadora na minha cara com essas song choices nessa semana, hein?! Enfim… o que eu gostei da performance foi que ele passou uma intensidade grande enquanto cantava e gostei demais da maneira que se entregou ali.

 

DUET PERFORMANCES

 

Caleb Hutchinson Lee & Bebe Rexha – “Mean To Be”

Edu: Eu amo essa música, se tornou em poucos dias uma das minhas favoritas da atualidade. O dueto foi incrível, valorizou a voz de Caleb, e foi tudo bem leve, assim como a versão original. Era esse tipo coisa que esperei dele na noite de ontem.

Gaby: Pela primeira vez, senti que Caleb estava mais seguro e concordo com o Edu: a música e o dueto favoreceram muito a voz dele. É esse o estilo de música que ele devia seguir, e não aquelas músicas que meu bisavô curte.

Let: Gostei do dueto, coisa boa Caleb cantando outra coisa. Só não gostei dele paradão no palco, sem saber onde enfiar a mão, me irritou, mas tudo me irrita hoje.

Luke: Realmente foi uma escolha de música bastante inteligente, não apenas pelo fato de ser uma música que está aí tocando na rádio no momento, mas também porque favoreceu bastante a voz do Caleb. Definitivamente foi um dueto gostoso de assistir e uma ótima combinação.

 

Ada Vox & Lea Michele – “Defying Gravity”

Edu: Olha a Let aí cantando com a Ada, gente. Brincadeiras à parte, o que foi esse dueto? Eu estou bem impressionado aqui de como as duas juntas foram incríveis. Uma respeitando o espaço da outra, e juntas foi um estouro que só. Se eu gostei? Amei!

Gaby: Gente, parecia uma cena de Glee! Eu amei!!!! Se Ada não se der bem no ramo da música, pode muito bem trabalhar na Broadway!

Let: HAHSHASHA, gostaram da minha participação? Só poderia ser ao lado da minha favorita desde as audições mesmo. Que dueto hein?! Que entrega, que vozes, que match perfeito. Senti até Ada se controlando para não destruir Lea, e isso é bem coisa de diva mesmo.  

Luke: Claro que seria outro tiro né gente? Não basta a Ada ter esse vozeirão monstro, ainda tinha que juntar com a Lea que também canta muito e pronto, o resultado não poderia ter sido outro. Acho difícil alguém superar essa.

 

Maddie Pope & Colbie Caillat – “Bubbly”

Edu: Preciso dizer que possuo certo ranço dessa música, me julguem. Até que gostei do dueto de Maddie com a Jack Johnson de saia, foi bem bonitinho, sendo que não tinha como fugir muito disso. A canção por si só não tem sal algum, mas a candidata conseguiu até jogar leves pitadas de sal, e ficou mais uma coisa “inha”. #paz

Gaby: Achei muito na mesma. Nem conseguia distinguir as vozes da Maddie com a da Colbie. Acho que a Maddie assassinou a sua saída do programa com essa performance!

Let: Colbie tá viva ainda, beijo Colbie! Amo essa música, mas poxa, nada a ver, né! Maddie até deixou um pouco melhor, mas deu sono e parece que ela só se afunda. Sei não!

Luke: Que saudades da Colbie tocando nas minhas playlists, gente… #MeJulguem. Achei o dueto uma delícia, mas particularmente acho que a Colbie tinha tantas outras músicas que poderiam ter resultado numa parceria ainda melhor. Não que tenha sido ruim, porque realmente foi gostoso de ver as duas cantando, mas imagina se rola um dueto ao som de “I Never Told You” ou “Realize”, aí teria sido lindo.

 

Alyssa Raghu & Banners – “Yellow”

Edu: O que está acontecendo com Alyssa? Outra performance dela que me decepcionou. Foi tudo perdido, fora de sincronia, e estou bem chateado. Depois dessas duas apresentações, sua permanência na disputa será um verdadeiro milagre, infelizmente.

Gaby: Momento vergonha alheia! Alyssa, você escolheu a música errada e nada funcionou nesse dueto. Uma pena, pois estava querendo te ver no Top 14.

Let: Ai mana, tantas músicas mais fáceis do Coldplay para cantar. Fosse de “Fix You”, sei lá! Essa semana Alyssa ficou com preguiça de mostrar personalidade e não foi bem em nada. Tô pegando ranço, hein?!

Luke: Gente, essa é minha música preferida pra vida e tipo, fiquei decepcionado com o dueto. Sério, nos ensaios quando vi que iriam cantar fiquei super empolgado, mas quando começaram foi bem broxante.

 

Amelia Harris & Bebe Rexha – “Me, Myself And I”

Edu: Toda vez que ouço essa música só consigo lembrar de Britney cantando a parte de Bebe no VMA 2016, que aliás ficou bem melhor na voz dela. Sobre o dueto, achei que não beneficiou Amelia da forma como devia. Parecia mais que ela era a convidada especial, ao invés da Bebe Rexha. Foi bem bleh.

Gaby: Eu juro, mas eu juro que tentei assistir esse dueto até o fim, mas não deu. Meus ouvidos estavam precisando de descanso.

Let: Nem vi Amélia. E DE NOVO uma música que não valorizou sua voz. Miga para e pensa um pouquinho, porque tu não tá escolhendo bem, se liga. Sai desse pop com letras rápidas e pega algo que valorize mais tua voz. PS: Não consigo mais ver Bebe e Katy no mesmo ambiente sem lembrar do show, ai ai <3.

Luke: Ah gente, pra ser bem sincero eu não consegui gostar tanto assim do dueto e boa parte disso porque não sou muito fã da música. Pra mim Amelia já cantou beeeem melhor que a Bebe e sei que posso ser massacrado por esse comentário, mas foi realmente o que eu senti. No final acabou sendo um dueto legal, mas nada além disso.

 

Shannon O’Hara & Cam – “Burning House”

Edu: Sinceramente achei bem bleh esse dueto. Não conheço a tia, mas Shannon carregou tudo nas costas. A garota canta bem, mas a song choice e parceira de apresentação não combinaram. Foi bem broxante de se ver.

Gaby: Broxante? Edu foi educado. Eu não sei o que aconteceu com a Shannon, ou se foi a parente do Ovelha que me deixou irritada, mas nada deu certo. Música errada; às vozes não combinavam nenhum um pouco. Enfim, eu achei que a produção estava de sacanagem com a Shannon!

Let: Foi bonito e Shannon cantou bem demais, mas novamente não entendi porque essa escolha musical, nada a ver! Que sono que me deu!

Luke: Gente, sério mesmo que vocês não gostaram? Eu achei que o dueto foi coisa linda demais! Essa música é linda e pra mim as duas cantaram numa sintonia perfeita ali. Pareceu que a Cam estava deixando Shannon viajar durante a música, e o resultado foi um dueto delicioso de assistir. Shannon nunca me decepciona e já fiquei aqui na vontade de ouvir um álbum inteiro nessa voz maravilhosa.

 

Ron Bultongez & Banners – “Someone To You”

Edu: Foi algo todo alegre e alto astral, bem melhor que a apresentação solo de Ron. Mesmo assim, sei não se foi o bastante para manter o rapaz na disputa. Vamos aguardar…

Gaby: Foi tipo ver uma flor desabrochando. Gostei desse Ron no palco e o dueto foi gostosinho de se assistir.

Let: AMO ESSA MÚSICA, AMO FOLK, AMO RON! Foi mais alegre e divertido (ouçam mais folk gente, fica a dica), o vozeirão dele tava ali e como combinou com a música, né! Umas das melhores da competição, com certeza. MAS o rosto sem expressão continuou ali, afff!

Luke: Definitivamente um lado do Ron que ainda não tinha visto. Foi um dueto interessante de assistir, com uma vibe bem gostosa e que me deixou curioso pra procurar essa música e deixar aqui na lista diária.

 

Marcio Donaldson & Allen Stone – “What’s Goin’ On”

Edu: GENTE, O MARCIO SORRIU!!!!!!!!!!!!!!!! Agora sim, consegui enxergar uma apresentação dele de forma totalmente positiva, e muito. Ele incorporou esse clássico de Marvin Gaye de forma espetacular, com direito a sorrisos, simpatia, presença de palco, algo que venho esperando dele desde a Hollywood Week. Amigo, já pode manter isso nas próximas fases. Definitivamente, mal ou bem, Marcio se destacou mais que ninguém essa semana.

Gaby: Marcio parecia o Pato Donald no palco, e eu adorei essa sua nova versão. Na verdade, esse dueto foi gostosinho de se ouvir e acho que Marcio deveria formar uma dupla com o hippie Allen, porque as vozes ficaram perfeitas.

Let: Boh, gostei! Sem choradeira dessa vez, só ele cantando bem, apostando em algo que envolve mais, swing mesmo. Foi bom ver isso e a performance foi toda dele, até os agudos agradaram dessa vez.

Luke: Gente, essa semana definitivamente foi a semana do Marcio, hein?! Deixando todo o drama de lado, porque não sou obrigado, preciso dizer o quanto esse dueto foi maravilhoso. Parecia outra pessoa cantando ali e foi coisa linda demais de assistir. Ele e Allen fizeram uma parceria incrível e até voltei pra assistir o dueto novamente.

 

Jurnee & Lea Michele – “Run To You”

Edu: Olha, até que foi um dueto bom, mas parecia mais que Lea era a candidata. A culpa não foi dela de ter se sobressaído mais, e sim de Jurnee, que mais uma vez preferiu se destacar apenas quando lhe convinha. Está difícil de aguentá-la essa semana, hein?!

Gaby: Eu gostei, mas não foi uma apresentação inesquecível. Lea divou e Jurnee conseguiu alcançar notas que jamais pensei que ela alçaria.

Let: Eu acho que Jurnee tinha obrigação e potencial para se destacar muito mais do que se destacou. Ela tava tão contida, que foi difícil pra Lea se segurar, e esse musicão não teve a grande explosão que pede. Pena!

Luke: Gente, essa foi pra compensar totalmente a performance mais ou menos que ela fez na noite anterior. Achei que foi outro dueto lindo, porque pra mim parecia que elas cantavam juntas há muito tempo ali. Vale dizer o quanto essa música é maravilhosa né, e achei que foi pra trazer de volta aquela Jurnee que eu estava esperando.

 

Garrett Jacobs & Colbie Caillat – “Lucky”

Edu: Adeus!

Gaby: Putz, esse cara ainda está no programa?! Amigo, você parecia mais um armador do que um participante do American Idol.

Let: Como ele é fake, gente, ninguém percebe? Que chatice isso, manda embora logo.

Luke: Decepção define esse dueto. Isso porque a versão da Colbie cantando com o Jason é uma coisa deliciosa de ouvir, mas conseguiram estragar.

 

Mara Justine & Rachel Platten – “Fight Song”

Edu: Foi tudo tão simples, mas gostoso de se ver. As duas se completaram, e o resultado não poderia ter sido melhor. Como sempre digo, muitas vezes o básico é o que tem de melhor em algumas situações. Esse foi o caso mais que claro.

Gaby: Eu tô chorando aqui! Sério, como Mara Justine conseguiu me deixar tão emocionada com suas apresentações?! O dueto com Rachel foi lindo e, para mim, foi tão poderoso que conseguiu transpor toda a emoção e força de querer vencer o programa. Foi o melhor dueto da noite e, com essa performance, Mara Justine tem tudo para ganhar o American Idol.

Let: Arrepiada estou. Justine escolheu arrasar essa semana e cumpriu bem tudo isso. Que dueto forte e inesquecível, eu amo a simplicidade de cantar sentado e envolvendo um piano no meio, fica singelo, fica poderoso. Amei tanto que vi quatro vezes!

Luke: Nossa gente, meu emocional está bem abalado aqui depois desse dueto, viu. Essa música já é um tiro por si só, com uma letra que mexe com qualquer pessoa, aí vem essas duas e entregam uma maravilha dessa. Rachel, sua linda, realmente deu a Mara a chance de brilhar ainda mais com essa apresentação. Mara por sua vez, tão novinha, tão pequenina e com uma voz tão gigante, que te deixa arrepiado toda vez que sobe naquele palco. Foi de longe um dos meus duetos preferidos da temporada.

 

Effie Passero & Cam- “Diane”

Edu: Foi um dueto bacana, mas porque era Effie que estava nele. Ela soube se destacar nos momentos exatos, e entregou um número country interessante, saindo da sua zona e conforto. Mandou bem e nem precisava dessa tia aí.

Gaby: Olha, vou ser sincera. Effie cantou bem e tal, mas só. Acho que Cam a prejudicou, como fez com Shannon. A música poderia ter sido outra e não senti que Effie deu o melhor de si nesse dueto.

Let: Tô cansada de falar isso, MAS POR QUE ESSA MÚSICA? Eu não entendi a ligação de Effie com isso aí. Ok, tava o vozeirão power ali, mas foi meio chato, sei lá!

Luke: Outro dueto que eu gostei bastante. Sim, se tivesse rolado com a JJ teria sido um estouro dos grandes. Gente, se esse lance da parceria ter sido formada pouco antes do programa e ela ter aprendido a letra numa fatia de tempo for verdade, Effie merece muitos aplausos. Espero sinceramente que os jurados não sejam malucos de mandar a guria pra casa.

RESULTADO

Edu: Não sei que erva os jurados fumaram, mas estou revoltadíssimo. Simplesmente que me recuso de Jurnee e principalmente Garrett terem passado. Isso não está certo, que resultado mais ridículo! No lugar desses embustes eram pra terem passado para a próxima fase Effie e Shannon, que foram infinitamente melhores. Lamentável!

Gaby: Revoltada! É assim que me sinto depois dessa palhaçada que os jurados fizeram!!! Passar Garrett é o cúmulo do absurdo, pois o rapaz foi o PIOR nas duas noites. Eu passaria Shannon no lugar do Garrett, e Effie no lugar da Maddie, apesar de que curto muito ela também. No restante, eu adorei as escolhas, até porque Marcio não vai ganhar, né gente?! Agora é só focar na campanha #GoHomeGarrett!

Let: WTF???????? Não tô acreditando em Garret e a chata da Maddie passando, e Shannon e Effie, SHANNON E EFFIE, DIVAS, não. Que isso? Decepcionada demais! Nunca vi um absurdo tão grande acontecer no Idol, eles nunca erraram tanto.  

Luke: EU NÃO ACEITO, NÃO ACEITO E NÃO ACEITO. Pera gente, como é que esse povo mandou minha Effie e a Shannon embora? NÃO ACEITO! Sim, eu fiquei muito feliz pela Mara, Jurnee, Maddie e Ada, mas gente, da onde foi que tiraram a ideia de passar o Garrett? Pega o absurdo nisso. Marcio se superou totalmente nessa semana, mas se for pra comparar, aquela vaga definitivamente merecia pra outra pessoa. De verdade, esse results me deixou bem revoltado.

 

Os últimos classificados para o Top 14 foram: Ada Vox, Caleb Lee Hutchinson, Garrett Jacobs, Jurnee, Maddie Pope, Mara Justine e Marcio Donaldson. O que acharam das escolhas dessa semana?

About Team Mix Reality

#TeamReality no Mix de Séries é responsável pelos realities shows.