Grey’s Anatomy – 14×03 – Go Big or Go Home

Imagem: ABC/Divulgação

Page Cardio! Quem poderia imaginar que Grey’s Anatomy ainda teria fôlego para mais dramas depois de quatorze temporadas? Pois bem, é impossível não se emocionar com o drama de Amelia Shepherd. Até mesmo aquelas pessoas que não gostam muito da personagem sentiram a dor e angústia que a médica está passando ao descobrir que possui um tumor. Esse terceiro episódio conseguiu me deixar com lágrimas nos olhos do início ao fim e é engraçado percebermos o que uma boa história faz com que o seriado médico ganhe gás e consiga nos importar com um personagem.

Fazia tempo que Grey’s Anatomy não me deixava ansiosa para o próximo episódio. Para mim parece que o seriado conseguiu recuperar aquela sensação que eu tinha em suas primeiras temporadas. Eu sou apaixonada por Amelia Shepherd desde Private Practice e estava bastante decepcionada com o rumo que a personagem ganhou quando entrou para Grey’s Anatomy. Essa história envolvendo um tumor tinha tudo para ser desastrosa, porém, parece que foi a ponta do iceberg para que o seriado ressurgisse das cinzas e voltasse a nos prender.

Eu chorei muito quando vi Amelia contando sobre o tumor para Pierce. E ri bastante quando DeLuca tentou mostrar para Pierce que sua ‘irmã’ estava doente. Porém, nada superou quando vi o desespero de Amelia em reconhecer que agora ela era a paciente. É muito difícil aceitarmos que estamos doente e deve ser muito pior para um médico reconhecer que ele precisa de ajuda de outros médicos para poder se curar. Acredito que os roteiristas conseguiram demonstrar muito bem como Amelia está se sentindo em relação ao tumor. Foi ótimo ver Richard dando o apoio para a médica e mostrando que ela não está sozinha nessa luta.

Enquanto Amelia negava seu diagnóstico, vimos Meredith surtar por estar (novamente) presa num triângulo amoroso. Não sei se vocês também sentiram isso, mas eu senti que Mer está assustada com a possibilidade de poder ser feliz novamente e se apaixonar por alguém que não seja o Derek. Não que eu ache que o Riggs é a melhor opção para ela, mas eu sei que ela precisa se soltar e deixar Derek no passado e voltar a brilhar. Riggs ainda a ama e não adianta ela tentar fugir disso porque isso só vai machucá-la mais ainda. Ela merece ser feliz e não pode se privar da felicidade só porque o grande amor da vida dela morreu e o Riggs ganhou uma nova chance.

Todo a história envolvendo o avô do Jackson foi bastante desnecessária, ainda mais quando ele morre após demitir Bailey. Se esse era o propósito para agitar a vida da Bailey, não havia necessidade de matá-lo já nesse episódio. Poderiam ter enrolado um pouco mais esse plot sobre a demissão da Bailey para que depois ela recuperasse o emprego e o vovô Avery partisse dessa para a melhor. Colocarem todo esse mimimi foi totalmente desnecessário e poderiam ter focado mais em outros personagem.

Eu ainda não estou conseguindo engolir esse retorno da Jo com o Alex. Sei lá, para mim é um blá blá blá sem fim, e estava esperançosa com a possibilidade dela se envolver com DeLuca. Sem mencionar que é totalmente sem noção os dois voltarem a morarem juntos depois de tudo pelo o que passaram na temporada final. Tudo bem que foi saudoso vê-los aos beijos no elevador, remetendo as primeiras temporadas, porém achei tudo bastante rápido como resolveram reconciliar os dois.

PS: Owen deve estar arrependido de ter criticado a Amelia para sua irmã. A cena em que ele descobre que sua esposa está doente foi linda e espero do fundo do meu coração que Shondanás não estrague ainda mais Omelia.

Go Big or Go Home

Nota do Episódio - 9.5

9.5

Review do terceiro episódio da décima quarta temporada de Grey's Anatomy, da ABC, intitulado de "Go Big or Go Home".

User Rating: 4.23 ( 2 votes)

Comments

comments

About Gabriella Siggia

Quem eu sou? Eu sou uma em um milhão: escritora nas horas vagas, seriadora de coração, cinemática de plantão e amante da literatura. Divertida, alto astral e bastante bem humorada. Só não achei ainda minha outra pessoa. Ah, música faz parte da minha vida.