Masterchef Brasil – 4×10 – Quando eu abri, o pinto tava duro

Imagem: Band/Divulgação

Esse foi um dos episódios mais ousados, bonitas, difíceis e divertidos que o MasterChef Brasil já produziu nessas quatro temporadas. Não digo isso apenas em referência a primeira prova, mas também ao conjunto da obra. Vale pontuar também que foi o mais emocionante de todos, com sangue, incêndio, aula de comida do norte e pênis…..muito pênis.

Confesso que estava me sentindo na quinta série, como bem pontuou o The Huffington Post Brasil, quando apareceu todos aqueles pênis e testículos de boi. Era inevitável dar umas risadinhas enquanto eles falavam todas aquelas frases cheias de duplo sentido, me senti uma criança nas aulas de educação sexual, e isso foi uma sensação muito boa.

Imagem: Band/Divulgação

Além das piadas, também me lembrei de um episódio da primeira, e por enquanto única, temporada do MasterChef Brasil Júnior onde um dos competidores cozinhou um cérebro elogiadíssimo pela bancada de jurados, se não me engano foi eleito um dos melhores por unanimidade à época. Novamente, temos a confirmação de que essas crianças são simplesmente sensacionais e cozinham melhor do que os adultos.

Quanto a prova de eliminação, foi mais uma vez um deleite em assistir um desafio tão rico de conteúdo brasileiro. Foi um tanto clichê, mas nos tempos nocivos e turbulentos dos dias atuais escutar aquele discurso da Paolla não foi só emocionante, como também um tapa na cara de algumas pessoas principalmente pelo fato da chefe ser argentina, mas mostrar-se tão brasileira quanto uns e outros que nasceram aqui e não sabem reconhecer o valor da nossa terra.

Meus parabéns à produção pela maneira na qual escolheram lidar com o problema do Vitor B. Foi uma decisão generosa, mas ao mesmo tempo justa pois, diferentemente do Abel, ele não tinha como controlar um acidente. Já em relação a eliminação, confesso que nunca esperava que Douglas vencesse essa temporada por estar muito preso ao seu inegável talento na confeitaria, mas que ele ficasse por mais algum tempo no programa.

Douglas e Vitor merecem, sem sombra de dúvida, a estrelinha de motivação e inspiração depois desse episódio.

 

Por Bernardo Vieira

Comments

comments

About Team Mix Reality

#TeamReality no Mix de Séries é responsável pelos realities shows.

Check Also

Como o revival de Will & Grace lidará com o salto do tempo do series finale?

Tanto quanto os espectadores ficaram satisfeitos com a notícia de que a querida Will & …

  • Bia9898

    Que review fraquinha! Esse episódio foi muito bom e essa review foi bem superficial e não transmitiu em nada a emoção que foi a cozinha. Faltou falar mais sobre o Vitor B. e tudo mais, não digo que precisa ser uma coisa extensa e cansativa, mas no mínimo mais detalhada, parece que foi feita as pressas e sem profundidade nenhuma. Gosto bastante do site, mas essa review faltou bastante! E esse episódio foi um dos melhores da temporada.

  • Bruno Dornelles Rangel

    Fiquei surpreso com a eliminação do Douglas. Não era meu favorito, mas era engraçado, assim como a Carol que saiu na outra semana. Eu odeio tanto a Mirian e aquele choro dela não me convenceu. Chegou toda confiante e achando que o Fogaça estava brincando na avaliação da primeira prova e tomou o toco hahaha.

    Não tenho favoritos, mas tenho odiados. Não gosto da maioria e acho esse o grupo mais fraco, pelo menos em carisma. A exceção são Yuko e Deborah: maravilhosas.