Orange Is The New Black – 5×03 – Pissters!

Imagem: Netflix/Reprodução

“A quem possa interessar.”

Onde é que assina para apoiar a lista de demandas das detentas de Litchfield?

Num ápice espetacular, uma união entre as detentas por objetivos em comum que vinha se construindo até então, ganhou um corpo de revolução democrática e, o mais importante, em conjunto. Com uma cena muito aguardada – pelo menos por mim – vimos as mulheres se unirem por demandas básicas e urgentes, além de outras mais supérfluas, mas quem sou pra julgar? Para além de salgadinhos e chocolates, pontos como anistia para todas as envolvidas na rebelião, fim das revistas aleatórias, guardas treinados e capacitados, alimentação mais saudável, visitas conjugais e até coisas que para uma mulher não inserida no sistema carcerário parecem tão banais, como absorventes gratuitos. Eu me arrepiei na sequência em que Abdullah lê em voz alta a lista de demandas. São pedidos tão básicos que vão de encontro ao que em nossas vidas encontramos em quantidades significativamente abundantes. Fora que em termos de roteiro e de montagem foi uma preciosidade!

Devo destacar que todo esse senso de coletividade e de politização teve um forte empurrão de Gloria, Abdullah e Ruiz. Aliás, principalmente,  das duas primeiras. Ruiz teve o bom senso de entender que elas precisavam se unir, mas foi Abdullah quem fez o seu grupo enxergar que suas vozes unidas era muito mais fortes e foi Gloria quem de fato trouxe uma demanda que se tornou urgente a partir do momento em que elas iniciaram a rebelião. Repito o que disse lá na review  de “Riot FOMO”,  quando apontei que Gloria estava tão ligada na rebelião por uma preocupação com Daya, mas também apontei que não era somente isso e foi o que vimos aqui.

Imagem: Netflix/Reprodução

Outro pontos altos do episódio tem a ver com a morte de Poussey. Primeiro com aquela emotiva reação de Suzanne ao chegar no refeitório e ver a área que considera sagrada ignorada, e segundo com a frustração de Taystee ao descobrir que a prisão de Bayley pela morte da amiga não estava entre as prioridades da população de detentas. Mas calma lá, Taystee, democracia não é uma porcaria. As pessoas que são.

Uma coisa já está certa nesta temporada: as surpresas estão vindo a galope. Pensem na surpresa que foi dar de cara com um flashback sobre Linda da MCC, agora Amelia Von Barlow. Aliás, o trio formado por ela, Vause e Piper se mantém como o grande alívio cômico em meio a toda tensão da rebelião. E se em “Fuck, Marry, Frieda” (5×02),  já haviam começado a apontar as incongruências de Linda, agora elas vieram com uma explicação de origem de seu comportamento e de sua formação moldada nas irmandades das universidades norte-americanas. E foi um bom ponto de  virada da personagem quando ela, do alto de seus privilégios, passa  a querer fazer parte da rebelião junto com as detentas.

Enquanto isso, Judy King continuava sua cruzada rumo ao além-muros, agora foco de Yoga Jones e companhia, completamente incomodadas com toda a mordomia de King; e os guardas, feitos reféns, se revezavam entre apontar culpados e construir uma estratégia de fuga. Houve Bayley também, tendo um comportamento esperado, se entregar diante de uma culpa que o consome, mas ridicularizado pela polícia que não deu moral para o que o rapaz falava, muito provavelmente por ser branco e bem afeiçoado.

A noite chegou a Litchfield e com ela um grande episódio que apenas indicou um início oficial de uma rebelião, que longe de acabar. Durmam se for possível.

P.S.: O texto de OITNB é tão maravilhoso que eles conseguem inserir um zoeira com a semelhança entre a Taylor Schilling e Kate Perry, além de tornar Luschek um especialista na atuação de Leonardo DiCaprio.

P.S. 2: Big Boo vestindo o terno de Caputo já se tornou um dos momentos mais icônicos da série.

P.S. 3: Já passou da hora de pararem com a romantização do relacionamento entre Dogget e Coates, mas meu palpite é que tanta delonga há de ter um motivo.

P.S. 4: Flores e Red estão ma-ra-vi-lho-sas!

Pissters!

Nota do episódio - 8

8

Review do terceiro episódio da quinta temporada de Orange Is The New Black, da Netflix, intitulado "Pissters!"

User Rating: 4.78 ( 2 votes)

Comments

comments

About Melina Galante

Melina Galante
Produtora e realizadora audiovisual, no momento em processo acadêmico. 99% seriadora com aquele 1% noveleira. Divide as fases da vida em Buffy, a Caça-Vampiros, Gilmore Girls e Grey's Anatomy. Sua menina dos olhos, porém, é Penny Dreadful. No Mix de Séries escreve as reviews de Modern Family, Orange is the New Black, Scandal e o que vier.

Check Also

Shadowhunters – 2×13 – Those of Demon Blood

Realmente não tivemos o melhor da temporada esta semana, mas o episódio ainda conservam um …

  • Felipe Cremonini

    0,8????

    • Melina Galante

      tava errado huahahuaha

    • Melina L. Galante

      tava errado huahuaha