The Originals – 4×10 – Phantomesque

Imagem: YouTube/Reprodução

The Originals segue em sua quarta temporada mantendo o ritmo e dando continuidade a cruzada do Hollow por vingança. Depois de sofrerem mais uma derrota, nossos Originais vão precisar de toda a força para tentar sobreviver a essa ameaça, e claro, tentar resgatar Elijah do pingente de Freya.

“Phantomesque” trouxe as consequências imediatas ao retorno do Hollow ao mundo dos vivos. Vimos a linhagem de Elijah perecer junto com seu criador, o que serviu para trazer dois outros Mikaelson de volta a série: Rebekah e Kol. E embora nem tenha mais graça comemorar o retorno desses dois – sabemos que, devido a disponibilidade dos atores, as participações deles se limitam a alguns poucos episódios por temporada – ver que eles continuam fieis ao always and forever foi uma boa escolha da produção.

Também foi interessante a manutenção do ritmo de impending crisis. Durante todo o tempo, os nossos Originais estavam no mesmo frenesi, tentando solucionar todos os problemas mesmo sabendo que esses são problemas maiores que os usuais. A urgência de Freya em contatar Elijah e restaurar o pingente são um perfeito exemplo desse momento.

Infelizmente, Marcel não recebeu o mesmo cuidado da produção. O personagem terminou a temporada passada e começou essa como um perfeito babaca, mas teve momentos de verdadeira beleza em cena, confrontando com Elijah e Klaus os problemas da relação paternal deles. Mas, desde que o Hollow se apoderou de Sofya, o almighty Marcel, aquele com o poder para abater os temidos Originais, simplesmente se comporta como um bocó que se preocupa mais em não ser como os Mikaelson que acabou por se preocupar mais com salvar esse encosto – que claramente foi feita para ser colateral damage – do que com as consequências dessa insistência estúpida, e claro, a batalha contra a Hollow.

E, para piorar, Rebekah e Kol cometem erros parecidos. Mas vamos relevar isso por um tempinho, porque pelo menos esses dois voltaram com estilo. “I could do with a bit of murder and mayhem.”, “Can we slaughter someone now?”, “so we burn them all and then we murder that wretched bitch.” e “Lethal thorns, resurrected witches what could possibly go wrong?” são alguns dos exemplos das maravilhas que sempre surgem quando esses dois aparecem na trama, o que dá a eles um desconto – mas não um passé livre – pelas idiotices.

Imagem: YouTube/Reprodução

Nesse meio tempo, e que surpresa não foi essa, Freya realmente entrou nas lembranças fragmentadas de Elijah. Gostei que a mente dele tenha mantido a aparência de organização e frieza que beiram a psicopatia – embora essa coisa de corredor tenha me lembrado d’O Iluminado, o que acrescenta todo um nível de assustador a situação. Contudo, não é só isso que merece atenção. Freya recebe um golpe após o outro nessa temporada, e toda essa devoção e zelo dela pela família são confrontados com os surtos de Klaus e agora, com os cantos mais escuros da mente de Elijah. Quanto mais será que a bruxinha pode aguentar? Será que ela se voltará contra a família ou será destruída por ela?

Há outro exemplo do frenetismo que aludi mais acima que merece menção. Enquanto os planos da Hollow seguiam calmos, os Originais continuavam a toda velocidade em sua caçada por objetivos. Seja pela mente de Elijah ou pelos espinhos, a corrida continuou sendo uma constante do episódio.

Mas nessa pressa, nossos Originais cometeram erros. Kol, em sua burrice – causada pela maldita Davina Claire – acabou fornecendo as bruxas os meios para se tornarem outro problema. E Rebekah, ah Rebekah, como você pode entregar o que sobrou dos espinhos para Marcel? Sério, só eu lembro do que aconteceu anteriormente? Bruxas com dark objects? Os Originais morrem. Sobras de uma arma que pode matar os Originais? Os Originais morrem. C’mon!

Talvez por isso as cenas da luta entre Elijah e Hayley tenham sido tão intensas. Num dos recantos mais sombrios da mente do Original, ver tanta ação e mais, temer pela sobrevivência da lobinha e até mesmo de Hope meio que desvia a atenção desses erros de Kol e Rebekah.

Agora as coisas tomam uma nova forma e cor. Kol mais uma vez está de volta ao seu papel de someone’s bitch, mais uma vez por causa de Davina Claire. Freya tem um plano que, como sempre nessa família, requer um sacrifício absurdo. Hope mais uma vez deu um show-off de poderes, o que faz ainda mais necessário que o treinamento dela e até mesmo os limites dos poderes dela sejam explicados. Marcel tentou se redimir admitindo que é um bocó e precisa de ajuda e Klaus, Klaus mais uma vez admitiu que as atrocidades acompanham o fardo da família. Não sei vocês, mas eu mal posso esperar pelos desenrolares dessa história.

Anotações de um Vampiro, registro 01: Esse episódio foi dirigido por ninguém menos que Daniel Gillies, a.k.a. o próprio Elijah Mikaelson.
Anotações de um Vampiro, registro 02: “Phantomesque”, título do episódio, é também título de uma música de Coleman Hawkins.
Anotações de um Vampiro, registro 03: Imortal, superpoderosa, um tipo bizarro de bruxa criada/fabricada por clãs de lobisomens, transforma o sangue em ácido e agora vem com grito de banshee. Os outros poderes são vendidos separadamente ou é um kit Hollow?
Anotações de um Vampiro, registro 04: Eu SABIA que essa maldita Davina Claire voltaria. E digo mais, voltou como eu imaginava, completamente sem propósito. Afinal – e se alguém tiver uma explicação, por favor, deixe nos comentários – porque a criatura mágica mais poderosa já criada, essa criatura com 1500 anos de magia e que não pode ser morta se ligaria a alguém como Davina Claire?! Simples: 1) é a brecha que será usada para matar ela ou 2) para trazer a bruxa mais irritante do universo de volta. Mark my words.
Anotações de um Vampiro, registro 05: Outro de meus pequenos palpites acabou por se concretizar aqui também. A porta vermelha de Elijah realmente fez uma aparição.

Phantomesque

Nota do Episódio - 10

10

Review do décimo episódio da quarta temporada de The Originals, da emissora CW, intitulado "Phantomesque".

User Rating: Be the first one !

Comments

comments

About Richard Gonçalves

Richard Gonçalves
Estudante de Letras, apaixonado por quadrinhos, música e cinema. Viciado em séries desde sempre. Fã de carteirinha de Doctor Who, House, Battlestar Galactica, Sherlock, 24 Horas, The Borgias, Penny Dreadful, E.R. e Lost. Aqui no Mix de Séries é editor de reviews, além de escrever as reviews de Marvel's Jessica Jones, Marvel's Agents of S.H.I.E.L.D. e The Originals.