The X Factor UK – 14×23/24/25/26 – Top 10/Semifinal

Imagem: iTV/Divulgação

Olar, amigos!

Está chegando a grande final de The X Factor UK com apresentações incríveis e competidores mais incríveis ainda. Nessa review você encontra os resultados do Top 10 e da Semifinal do reality. Vamos ver como foi, então?

 

PERFORMANCES – TOP 10

Sam Black – “Oops”

Carol: Tinha algo estranho, algo morto, sei lá.

Edu: Some embuste!

Let: Meu Deus como esse cara é ruim, péssimo, desafinado sempre. Dá uma dor ouvir ele cantar fora do tom toda vez! E essas apresentações sempre no estilo rockabilly? Já deu, tchau!

Luke: Depois de detestar as últimas performances do Sam, vale dizer que essa foi aquela que eu não detestei por inteira. Ainda acho que ele deveria ter sido eliminado a um tempo atrás, mas foi a que mais gostei.

 

Sean & Conor Price – “Issues”

Carol: Musiquinha parada, com a duplinha parada, ficou meia boca. Não achei uma boa escolha para a voz deles.

Edu: Não sei se é pelo fato dessa música me dar preguiça, não achei essa apresentação tudo isso. Com uma eliminação dupla a caminho em cada noite, esperava mais por parte dos irmãos.

Let: Foi tudo horrível, como sempre. Sinceramente não sei onde vocês veem algo de bom nesses dois. Nem vou falar mais nada deles, cansei. PS: GRAÇAS AO SENHOR não teve rap.

Luke: Realmente os meninos escolheram uma baita música e conseguiram sim fazer uma ótima performance, mas ao contrário do que disseram lá, eu não achei que foi a melhor deles na competição. Senti falta daquela rap no meio e tals, mas foi sim muito boa.

 

The Cutkelvins – “Saved Me From Myself”

Carol: Música autoral, achei a melhor apresentação deles até aqui. Era o momento que eles precisavam.

Edu: Nem perderei mais meu tempo falando do trio, pois será sempre as mesmas reclamações. Música bacana, energia boa, mas o mesmo problema que nunca mudam.

Let: Adorei a apresentação principalmente porque os meninos foram para o palco do lado dela, cantaram bastante, fizeram aquilo que desde o início não rola mais e eu queria ver faz um tempo: um trio. Ok que a música era fraquinha, mas adorei o estilo, as vozes, a mistura e ainda acredito no potencial de sucesso do grupo fora do programa. Voltei a me animar com ele.

Luke: Esse grupo sim entregou a que pra mim foi a melhor apresentação deles até aqui no programa. Arriscaram cantando uma música original e olha, valeu super a pena, porque além de ser uma ótima música, toda a performance foi boa. Gostei muito daquele começo com um dos meninos cantando e depois toda a energia dos três.

 

Lloyd Macey – “From This Moment On”

Carol: É o estilo dele não adianta, O Celino Diones do X Factor. Ele canta bem, palmas. Mas não rola comigo.

Edu: Foi tudo muito dramático, pesado e me incomodou profundamente. “From This Moment On” é um hino sobre amor, uma das músicas mais genuínas que existe, e o cara transformou em algo muito dark, e não colou.

Let: Realmente, pra que essa roupagem dark nesse clássico sobre coisas maravilhosas? Ele cantou bem e tal, como sempre, mas ficou pesado. Sem contar que terminou de um jeito estranho, parecia que ele ia continuar cantando e pá, acabou.

Luke: Dessa vez eu vou concordar com o tio Simon, porque pra mim Lloyd também não conseguiu passar emoção com essa performance. Não achei que foi uma escolha de música muito boa pra ele, pois apesar de ter essa voz ótima, pra mim ficou faltando algo ali.

 

Rak-Su – “Mona Lisa”

Carol: Quando eles cantam juntos fica legal, mas além disso ainda acho meio desconexo, mas foi divertidinho.

Edu: Um dia tentarei entender essa melação toda pra cima dos caras.

Let: Mais um hit. Mais uma música original simples e que fica muito maior do que é porque os meninos arrasam sempre. Não foi a melhor apresentação vocalmente falando, mas fora isso foi tudo de bom. Outro grupo que terá muito futuro pela frente sim!

Luke: Mais uma farofona que me ganhou total aqui. Já disse que os meninos conseguiram conquistar minha torcida, pois novamente surpreenderam com a performance. Ótima música e pra variar toda aquela energia me deixou com vontade levantar e sair dançando junto. Prova disso é que mais uma vez os meninos dominaram o iTunes!

 

 

Rai-Elle Williams – “Mr. Big Stuff”

Carol: Musiquinha anos 70, ela me pareceu bem mas o som não foi desafiador certo? Não foi o suficiente para mostrar o potencial dela.

Edu: Depois de ter arrasado na semana anterior, Rai-Elle decepcionou legal dessa vez. Não gostei de absolutamente nada da sua performance, e com uma eliminação dupla a caminho, não será surpresa alguma da garota ser uma das vítimas.

Let: Foi uma apresentação divertida, bem Jackson’s Five, mas não entendi essa escolha para a menina, foi fraca, bobinha, por que não escolher algo que desafiasse mais todo o vozeirão que ela tem? Fiquei bem receosa agora com o que pode acontecer.

Luke: Gente, só eu não consegui achar que a performance foi tudo isso? Pra mim não rolou, uma pena, pois gosto demais da Rai-Elle.

 

Kevin Davy White – “I Will Always Love You”

Carol: Sinto que essa apresentação durou 20 anos, que preguiça, ele sabe que é bom, inventou demais e sentou na jaca.

Edu: Kevin, amigo, que tiro no escuro pisar na bola a essa altura do campeonato. Ele tentou fugir da versão aclamada por Whitney Houston, e meio que passou de raspão na versão de Dolly Parton, mas com uma pitada de tragédia. Foi tudo muito horrível!

Let: Vocês não gostaram? Que isso, gente! Olha, foi simplesmente incrível, bom demais mesmo. Aprenda Lloyd! Ele pegou uma das músicas mais batidas do universo dos realities e fez uma versão simples e poderosa. E com aquele vozeirão que arrepia até a alma, uau!

Luke: Sim, eu concordo que não foi melhor que as duas performances anteriores do Kevin, mas gente, mesmo assim o cara me surpreendeu demais. Pegou um monstro de música e conseguiu colocar seu próprio estilo, que por sinal só pelo fato de ter esse vozeirão todo, já merece muitos pontos.

 

Matt Linnen – “Fallin’”

Carol: Ele aprendeu a arte da performance, e como uma cobra foi agarrando a gente, e envolvendo para o bote final. Que voz (que corpo)!

Edu: O QUE? Essa foi simplesmente A MELHOR PERFORMANCE DE MATT NA DISPUTA. Já pensei que viria algo chato, sem sal, e que desse sono. Me enganei totalmente, pois ele veio então com algo poderoso, que casou perfeitamente com sua voz. As suas jogadas foram geniais, e rendeu um resultado brilhante. Uma das melhores performances da noite também.

Let: Eu achei gritado demais, se ele tivesse que cantar outra música depois estaria morto. Foi uma boa apresentação, mas sei lá, meus ouvidos ainda estão latejando.

Luke: Olha, eu fiquei meio que irritado com o começo da performance, sei lá… Mas no decorrer da coisa, o Matt foi me ganhando novamente e no final achei que foi até bem.

 

Holly Tandy – “Love Me Harder”

Carol: Não gostei da queridinha, essa música não funciona nesse tipo de apresentação, se fosse um acústico, solo violão, iria ser show, mas assim, não.

Edu: Não gosto dessa música, por conta do ranço eterno que tenho por The Weeknd. Holly deu o seu melhor, isso foi evidente, mas essa chatice não casou com o poder da sua voz. Medo!

Let: Ela cantou bem, como sempre, mas não foi a melhor escolha para o vozeirão de Holly. Por que não algo da Sia? Da Bey? Fora isso, não entendi a falta de dançarinos no palco. Holly não dança nada e precisava de um apoio. Todo mundo que cantou algo “dançante” teve dançarinos, ela não merece?

Luke: Mas Holly, por que escolher essa música filha? Ainda mais numa semana onde duas cabeças vão rolar. Errado do começo ao fim. A voz dela é maravilhosa, mas a música não ajudou em nada.

 

Grace Davies – “Hesitate”

Carol: Isoladamente na liderança dessa temporada, e do nosso coração. Ela já tem uns 2 CDS prontos, só lançar. Voa mulher, tu ta pronta!

Edu: Rainha da temporada voltou a cantar música autoral, e eu amei. Novamente ela voltou ao patamar que nunca devia ter saído, e proporcionou a melhor apresentação da noite. Os haters piram, mas nossa futura sucessora de Adele está sedenta por vitória.

Let: O tema da semana foi feito pra ela, né? E aposto que ela fez essa música na hora que descobriu qual seria. Essa menina arrasa e não cansa de arrasar. Mais um hino prontíssimo para fazer sucesso.

Luke: Essa é a Grace que eu estava sentindo falta. Música maravilhosa pra variar, com direito a uma performance cheia de cores e ela dominando o palco. Achei que cantou bem demais e compensou um pouco as derrapadas das duas semanas anteriores.

 

RESULTADOS

Carol: Fizeram um saldão e uma limpa, adorei! E a favorita Hollizinha foi embora, eliminações justíssimas, mas verdade poderíamos cortar a lorota, e mandar todos do primeiro dia embora e partir para a final com Grace, Kevin e Matt.

Edu: Depois de tanto adiarem, finalmente aconteceu a eliminação dupla em cada noite. Não entendi porque a boyband clichezinha de Simon levou a melhor no sábado, por mim  ninguém levava, mas enfim… Pelo menos justiça foi feita, e o embuste do Sam finalmente saiu, e levou a dupla de irmãos leite ninho juntos. Infelizmente acho que esses caras que tanto tenho ranço chegarão à final, mas vida que segue. Já na segunda noite, Grace foi merecedora, obviamente, da melhor apresentação, sendo que ficaria satisfeito também se Matt tivesse sido o escolhido, pois ele deu um verdadeiro show. Na disputa do melhor da semana, minha young Adele perdeu para o grupinho de embustes, vida que segue, Deus no comando. Agora as eliminações, doeu ver Holly indo embora. Foi um baque muito grande, pois pra mim apenas Rai-Elle foi merecedora da eliminação, nem mesmo Kevin após sua pior apresentação deveria estar na zona de risco. Tudo bem que Holly teve a apresentação mais mediana da noite, já que as duas melhores foram de Grace e Matt, enquanto as duas piores de Kevin e Rai-Elle, mas doeu mesmo assim a jovem tendo que sair.

Let: Na primeira noite, eliminações justíssimas, a duplinha e Sam estavam no lugar errado faz tempo. Mas na segunda noite, só dor e sofrimento. Em que universo Matt é melhor que Holly? Ah por favor né! Era pra essa menina estar na final. Sobre os vencedores, foi justíssimo Rak-su, eles arrasam sempre.

Luke: Infelizmente nessa semana rolaram mesmo as quatro eliminações e pra mim foi bastante injusto, pois o talento está bem forte por ali. Na noite de sábado eu fiquei bem na dúvida de quem poderia sair, claro que um dos dois eliminados tinha que ser o Sam, então nem vou discutir a respeito, mas senti por Sean and Connor, pois realmente gostava da dupla. Estava com medo aqui do The Cutkelvins acabar sendo eliminados, mas eles seguiram pra próxima fase, felizmente! Eu bem sabia que iria ser pesado o resultado de domingo, porque entre os cinco não conseguia escolher um único indivíduo aqui. Por isso digo que fiquei chateado com as duas eliminações, mas seria o mesmo com qualquer outro que saísse. Rai-Elle vai fazer falta com toda aquela energia, mas Holly gente, com essa baita voz ela merecia chegar mais a frente, uma pena que não soube escolher bem a música nessa semana.

PERFORMANCES – SEMIFINAL

The Cutkelvins – “Nothing Like You”

Edu: FINALMENTE! A canção é contagiante, pra cima, amei tudo. Depois de muita implicância, enfim deu para ver que os rapazes não são meros backing vocals, mas não sei se isso seja o bastante para levá-los à final.

Let: Eu adorei! Coisa boa ver os meninos participarem mais, até porque as vozes deles são ótimas também, não é só ela que arrasa. Já quero dançar essa música nas baladinhas da vida. Se leva eles pra final ou não, nem importa, porque esse grupo já tá fadado ao sucesso. Vamos ouvir falar muito deles ainda,

Luke: Eu particularmente gostei dessa música original do grupo, mas pra mim não foi suficiente pra aumentar as chances deles de chegar na final.

Matt Linnen – “Gimme Shelter”

Edu: Depois de ter entregue a sua melhor apresentação, Matt voltou ao seu modo genérico automático. Aquela explosão, atitude e tudo mais se foi, e seguimos com nossa programação normal.

Let: Agora vejam isso e pensem se Holly não merecia muito mais esse posto? Pois é! Matt grita, se esforça, dança, sapateia, e tudo que eu sinto é sono. Tava aqui mexendo no celular enquanto ele cantava. Cara chato e sem futuro, se ganhar será só mais um que vai bater o recorde de contrato encerrado com a gravadora por causa do flop. Muito chato.

Luke: Vejo as performances do Matt e parece mais que não é mais aquele mesmo act que eu peguei gosto nas primeiras fases do programa. Não estou dizendo que a performance foi ruim, porque realmente não foi. Ele colocou uma baita energia ali no palco e fez um ótimo trabalho, mas pra mim não foi a melhor dele.

 

Rak-Su – “Flowers”

Edu: Ranço e a preguiça ainda prevalecem, mas foi uma apresentação até que bacana e contagiante.

Let: A música não é deles, mas parece né! Sou fã dos meninos, isso todo mundo sabe, e de novo eles foram ótimos. Final pra eles, por favor!

Luke: Gente, mais uma farofa que eu gostei demais. Nem sei mais o que dizer sobre minha mudança de opinião sobre esse grupo. Me julguem.

 

Grace Davies – “Life On Mars?”

Edu: Minha linda, maravilhosa! Mais uma apresentação espetacular, e mesmo não tendo vindo com algo autoral dessa vez, ela soube honrar de forma incrível esse clássico de David Bowie.

Let: Ok que Grace copiou TUDO da versão da Aurora pra essa música, até as rasgadinhas da voz, as melodias no piano, a finalização. Tudo mais dark, mas não tão profundo como menina Aurora faz, sério, ouçam aqui. Grace é esperta e soube escolher bem,

Luke: Que coisa linda de performance gente! Essa música é um verdadeiro tiro e a Grace simplesmente fez jus com essa apresentação maravilhosa.

 

Lloyd Macey – “Don’t Let the Sun Go Down On Me”

Edu: Confesso que no começo a voz dele me incomodou, mas sabe o que foi legal? Mesmo estando mal, Lloyd foi lá, não se intimidou, e cantou com a alma, com o coração. O rapaz uma apresentação tão linda, sincera, que não consegui segurar a emoção. Uma das melhores apresentações da noite, com certeza.

Let: Essa música é maravilhosa e master batida, mas tem tudo a ver com ele. Lloyd não estava com a sua melhor voz, mas conseguiu fazer uma apresentação boa. Só pena essa insistência na escuridão que eles tem com o menino, é sempre dark o palco.

Luke: Olha, pra quem estava doente o Lloyd definitivamente cantou muito bem. Gostei da song choice, foi uma música que serviu bem pra ele, mas será que foi o suficiente?

 

Kevin Davy White – “Come Together”

Edu: MEU DEUS! Kevin simplesmente fez a melhor performance da noite, mostrando que tem grandes chances sim de levar a temporada. Mais uma vez ele destruiu quaisquer estruturas, e ainda estou processando todo esse tiroteio proporcionado por Kevin. Vai que é tua, que a final já lhe pertence.

Let: EITAAAA!!! Kevin de novo não parece um competidor, ele parece convidado do programa. Arrasa na performance, arrasa na voz, arrasa até nessa música que já encheu todos os limites de tanto que toca em tudo que é lugar. Nem tem o que falar, tava tudo perfeito, quero casar com esse homem. Vai logo pra final.

Luke: E que tiro foi esse gente? Kevin simplesmente derrubou a casa toda com essa performance! O cara definitivamente não cansa de surpreender e realmente foi a melhor apresentação dessa primeira noite.

 

Lloyd Macey – “Fix You”

Edu: Assim como meu amigo Luke, essa música sempre me derruba toda vez que ouço. Depois de tanta emoção em sua apresentação passada, parece que boa parte ficou lá, pois senti falta disso dessa vez por parte de Lloyd. Achei o rapaz meio frio na hora de cantar, mas mesmo assim me comoveu, por ser “Fix You”.

Let: COMO ELE OUSA CANTAR MINHA MÚSICA FAVORITA DA MINHA BANDA FAVORITA? Foi totalmente sem emoção, não senti nada, e não tem uma vez que essa música não me faz chorar, bom, tinha né! E de novo, por que tudo tão black? Essa música fala de como transformar situações difíceis, e não senti nada com essa performance. Adeus!

Luke: Abrir o episódio com Coldplay chega até ser sacanagem gente. Como sempre essa música me derrubou aqui, porque olha, foi uma baita performance linda! Lloyd me surpreendendo demais dessa vez.

 

Rak-Su – “I’m Feeling You”

Edu: Ai tchau, bando de embustes.

Let: Melhor música deles. Essa gruda na cabeça e não sai mais, e tá pronta para o sucesso né! Arrasaram, como sempre. Quero logo na final.

Luke: Foi mesmo pra me lembrar que em outro momento não era muito fã do grupo, pois lembro muito bem o quanto não topei muito com essa música, mas os caras realmente me ganharam ao longo da temporada e por mais que continue achando que essa não é a melhor deles, gostei da performance.

The Cutkelvins – “Show Me Love”

Edu: Nem prestei atenção, de tão chato que foi. Pelo menos finalmente estão agindo como um grupo de verdade, não é mesmo?

Let: Escolheram a pior música que eles cantaram até agora, não entendi porque escolherem essa para a semifinal. Meio que querem sabotar o grupo, sei lá. Uma pena! Mas como já falei, o futuro deles na competição não importa, porque aqui fora o sucesso tá garantido.

Luke: Nossa gente, só eu que senti que eles finalmente pareciam um grupo ali? Foi uma ótima apresentação, de longe uma das melhores deles, com todos cantando, literalmente dominando o palco. Estão de parabéns!

Kevin Davy White – “Voodoo Child”

Edu: Kevin veio com algo mais singelo para seus padrões, e conseguiu acertar em cheio. O melhor disso tudo foi seu momento na guitarra, montando um pacote completo de genialidade e música da mais extrema qualidade. Amei e não foi pouco.

Let: Lá vem o convidado semanal para mais uma apresentação incrível. Não foi a minha favorita, achei até bem Team Blake, mas ele pode, né!

Luke: Rapaz, Kevin detonando na guitarra ein! Novamente roubou a cena ali e embora não tenha sido a minha performance preferida dele, por motivos da song choice, ele definitivamente garantiu uma vaga na final depois dessa e merecidamente.

 

Grace Davies – “Wolves”

Edu: MAS ESTOU BESTA! Nossa Adele new generation também faz músicas com vibes mais “alegres”, e eu curti por demais. Foi lindo, inspirador, e com uma energia única. Como sempre digo, ela é a dona da temporada, restam aceitarem isso.

Let: Essa música é uma das melhores dela, até por ser diferente, mais animada. Mas não uma animada estilo Adele que é sempre chato. Grace mostrou, de novo, que domina o palco como gente grande. Merece ir para a final desde o dia que pisou na audição.

Luke: Gente, Grace cantando uma música original que não é melancólica e eu tipo aqui, adorando do começo ao fim. Gosto do lado deprê dela, mas sério, adorei essa vibe mais viva que ela trouxe com essa música. Performance foi ótima!

RESULTADOS

Edu: Vamos lá! Nada aqui me surpreendeu, sinceramente. Matt pareceu aquelas pessoas que estão no pé da cova há tempos, e então tem uma inusitada melhora antes da morte. Depois de suas apresentações padrões, ele veio com algo que surpreendeu na etapa anterior, porém voltou à sua zona de conforto. É claro que ele não sobreviveria a essa semifinal, aliás, ele só chegou até aqui justamente pelo que rolou na semana anterior. Na segunda noite também não foi surpresa as eliminações que tiveram. Lloyd começou os lives bem meh, mas foi tendo sua evolução. Suas apresentações dessa semifinal foram bem emocionantes, mas o rapaz pecou em sua segunda apresentação, o que com certeza foi fator decisivo para sua eliminação. The Cutkelvins estavam datados desde o começo para chegarem no máximo a semifinal, portanto nada de novo por aqui. Os finalistas também foram bem previsíveis, pois os três são os mais populares e queridos pelo público britânico, mas a final dos meus sonhos seria mesmo entre Grace, Kevin e Holly. Vida que segue…

Let: Eliminações previsíveis, coisa boa que dessa vez não tivemos surpresas ruins, foi quase tudo justo (menos a eliminação de Holly). Esse trio da final mereceu estar aí desde o início, e foram destaque desde sempre. Todas as semanas foram eles e só eles que revezaram entre os melhores, então nada mais justo que eles disputarem o grande prêmio. E confesso que, pela primeira vez, não tenho torcida, amo os três e quero um grande futuro para todos. Então, que vença o melhor.

Luke: Que difícil esse negócio, gente. No episódio de sábado não conseguia enxergar outra eliminação que não fosse do Matt. Ele é bom e talentoso, mas o negócio ali estava bem apertado e achei que foi justo. Agora no domingo eu estava surtando aqui, porque TODO MUNDO cantou bem e a ideia de serem duas eliminações estava acabando comigo aqui. Felizmente o resultado foi exatamente igual a minha torcida, então vale dizer que fiquei feliz por saber que Grace, Kevin e Rak-Su vão disputar o prêmio, mas foi sim um pouco triste ver o Lloyd ir embora e até mesmo The Cutkelvins, que surpreenderam bastante com a performance desse episódio.

E vocês, o que acharam das escolhas? Estão torcendo por quem? Comentem.

 

About Team Mix Reality

#TeamReality no Mix de Séries é responsável pelos realities shows.