A&E promove coletiva sobre a nova temporada de Desaparecidos

Imagem: Mix de Séries/Gabriella Siggia

A cada dois minutos alguém desaparece. Essa é a premissa da segunda temporada de Desaparecidos e a realidade do nosso país. Com vinte e seis casos diferentes e reais, a nova temporada do seriado/documentário da A&E estreia no dia 25 de outubro deixando vários familiares angustiados com o sumiço de algum ente querido. Nós do Mix de Séries tivemos a honra de conhecer um pouquinho sobre esses novos casos na coletiva de imprensa promovida pelo canal no dia 23 de outubro, e podemos dizer que a nova temporada vai mexer com todos.

Mostrando fatos verídicos, iremos conhecer um pouco mais sobre os dramas de famílias que viram alguém desaparecer e nem sempre podem contar com a ajuda das autoridades brasileiras. Infelizmente, o Brasil ainda não deu valor para o desaparecimento de pessoas e está longe de conseguir êxitos em suas buscas. Recentemente, o Estado de São Paulo desfez um acordo com a USP (Universidade de São Paulo) cujo o objetivo era colher DNAs e digitais das pessoas para futuramente verificarem se existe alguma probabilidade de localizarem os desaparecidos. Tal decisão demonstra a falta de interesse em contribuir para a sociedade e atrapalha o órgão público de localizar tais pessoas.

Imagem: Mix de Séries/Gabriella Siggia

Continua após a publicidade

Críticas como esta foram feitas no painel que contou com a presença de autoridades, representantes de ONGs e mães, além do diretor Anderson Jesus. Com a difícil tarefa de mostrar a pura realidade e o drama vivenciado pelas famílias e amigos dos desaparecidos, a segunda temporada tem tudo para nos deixar abalados pelos depoimentos e, também, revoltados pela falta de interesse do governo em solucionar os casos e dar um fim às angústias das famílias.

“Todos os casos são muito emocionantes. Mas, nesta temporada, não poupamos esforços para ir um pouco mais a fundo. Casos muito impactantes chegaram até nós, solucionados ou não, com a ajuda das ONGs. Procuramos representar todas as histórias com o máximo de detalhes possível, durante quase um ano de produção. Usamos mais de 300 atores e figurantes para dramatizar as histórias, além de contar com uma equipe ainda maior de produção, se comparamos com a primeira temporada. Agora estávamos mais seguros do que faríamos e tivemos muito mais apoio e suporte. Trata-se de um serviço de utilidade pública, não só dar voz à essas famílias, mas dar cara aos desaparecidos do Brasil, tão esquecidos pelo poder público.” (declarou Anderson Jesus sobre a nova temporada)

Assim como na temporada anterior, a nova temporada mostrará em cada episódio dois casos de pessoas que sumiram sem deixar rastro. Depoimentos de policiais, investigadores, amigos e parentes dos desaparecidos, além de dramatização, mostram a luta dos familiares que nunca perdem a esperança de encontrar seus entes queridos e que sofrem a cada instante sem poderem fazer nada para achá-los. No final do programa, o telespectador saberá qual deles foi solucionado e quem foi encontrado. Além disso, é divulgado um telefone de contato, para que os telespectadores deem informações e possam colaborar para solucionar o caso que ainda está em aberto.

O seriado já tem encomendada uma terceira temporada que falará exclusivamente sobre os casos de desaparecidos vivendo no Iraque. Caso saibam sobre algum desaparecido, entrem em contato com a polícia civil da sua região o mais rápido possível.

E não se esqueçam: a segunda temporada de Desaparecidos estreia hoje, 25 de outubro, às 23h15 no canal A&E.

Avatar

Gabriella Siggia

Quem eu sou? Eu sou uma em um milhão: escritora nas horas vagas, seriadora de coração, cinemática de plantão e amante da literatura. Divertida, alto astral e bastante bem humorada. Só não achei ainda minha outra pessoa. Ah, música faz parte da minha vida.

No comments

Add yours