As diversas aberturas de Fringe

O Aberturas dessa semana vai falar de uma série queridinha do público seriador que, segundo alguns, não deveria ter acabado e segundo outros, deveria ter acabado porém com um final melhor: Fringe.

Continua após publicidade

Fringe é um drama que explora a tênue linha entre a ficção científica e a realidade. Quando um acidente aéreo ocorre em Boston, matando todos os passageiros e a tripulação de forma chocante, a agente especial do FBI Olivia Dunham (Anna Torv) é chamada para investigar. Depois que seu parceiro, o agente especial John Scott, quase morre durante a investigação, Olivia procura desesperadamente por ajuda e acaba conhecendo o Dr. Walter Bishop (John Noble), considerado o Einstein de sua geração. Mas há um problema: Walter esteve internado em uma clínica psiquiátrica pelos últimos 17 anos e a única forma de questioná-lo é pedindo ajuda a Peter Bishop (Joshua Jackson), o estranho filho de Walter. Quando a investigação de Olivia a leva à manipuladora executiva de uma megacorporação chamada Massive Dynamics, Nina Sharp, esse trio improvável, ao lado dos agentes do FBI, Phillip Broyles, Astrid Farnsworth e Charles Francis, vai descobrir que o que aconteceu com o voo 627 é apenas um pedaço de uma verdade maior e mais chocante.

Continua após a publicidade

A abertura de Fringe provavelmente é bem curta, 20 segundos mais ou menos. E na teoria é bem simples: são só algumas palavras e imagens soltas que se relacionam com o universo da série. O que impressiona é como tudo é extremamente bem feito. A animação não apenas é de um bom gosto incrível, como tem um acabamento técnico surpreendente pro que a gente tá acostumado na televisão. A música-tema com um pianinho simples é outro destaque e foi composta pelo próprio J.J. Abrams, que já tem tradição de colocar seus dotes musicais em prática nas aberturas de suas séries — compôs a de Alias, a de Lost (que não é exatamente uma música, mas enfim…) e foi um dos compositores na de Felicity.

Continua após publicidade
Ao todo são sete aberturas, até então. Interessante notarmos que elas não vêm por acaso e sempre trazem indícios em imagens, palavras e frases impactantes do que virá pela frente, especialmente no episódio em questão.
A abertura exibida no primeiro episódio da série foi vista apenas uma vez. Em tom dourado e com um certo zoom, a abertura exalta o que viríamos em síntese na série. “Ciência, transmutação, psicosinese, teletransporte, inteligência artificial, profecia e matéria escura.”
  • Azul
A abertura clássica, que abre a maioria dos episódios da série. Nanotecnologia, teleporte, Inteligência Artificial, psicocinese e matéria escura são algumas das palavras, a maioria tema recorrente alguma vez durante as cinco temporadas. O azul representa o nosso universo, o Lado A,  por isso é esta a abertura usada nos episódios que se passaram aqui e na linha do tempo inicial.
[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=20EO4XMBQgM[/youtube]
  • Vermelha
A abertura vermelha deu as caras pela primeira vez na season finale dupla da segunda temporada, Over There, o episódio responsável por nos apresentar “o lado de lá” e seguiu sendo exibida durante toda o terceiro ano, nos episódios que eram situados no Lado B. Os nomes como mutação, projeção astral,  hipnose, consciência coletiva (Hive Mind) ecriogenia sugerem o avanço tecnológico do mundo de Walternativo com relação ao nosso.
[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=Kp0e4NipKzY[/youtube]
  • Anos 80
Usada nos episódios passados nos anos 80 (no caso, 2×16 e 3×15), a abertura é genial por remeter a dita época em tudo:  O visual retrô, a música remixada para lembrar a década, o logo que ganhou uma nova cara… Tudo pensado em detalhes. Até as palavras tem relação com o período, como fertilização in vitro (que teve início no ano de 1978), engenharia genética, clonagem (ainda um tabu), cirurgia a laser (que ganhou força no fim da década). Os episódios em questão dão um show na reconstrução da época e são importantes para a mitologia. No 2×16, descobrimos que Peter foi sequestrado por Walter ainda criança e que ele não pertencia ao nosso lado, enquanto no 3×15, quase que em uma continuação, vemos o primeiro encontro de Peter e Olivia, ainda crianças, e como a então garota foi responsável por Walternate descobrir o paradeiro do filho.
[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=TV3E8kEP7Aw[/youtube]
  • Azul/Vermelha
Usada apenas uma vez, durante o episódio 3×08, que se passou nas duas realidades, esta abertura mescla o azul e o vermelho, para mostrar a mistura de universos que aquela semana nos apresentou. Vemos palavras como buracos de minhoca, telepatia, sinestesia, transhumanismo e redes neurais, temas que aparecem nos 2 universos. No episódio em questão, Peter finalmente já sabe da troca das Olivias e assistimos toda a luta da nossa Olivia para atravessar de volta. Ao final, a troca é desfeita, mas não sem perdas. Do lado de lá, B-Broyles morre.
[youtube]http://www.youtube.com/watch?time_continue=5&v=vB-7J2qfDKs[/youtube]
  • Cinza

Também só foi usada uma vez, na season finale da terceira temporada, que nos mostrou um futuro onde o Peter ativou a máquina e causou a destruição total do Lado B. Nele, vemos (nós e o Peter) um futuro destruído, um mundo no qual o caos e a desordem reinam, quase que um mundo pós apocalíptico mesmo. A abertura em tons de cinza combina perfeitamente com o momento e o clima dark que nos foi apresentado. As palavras apresentam tanto tecnologias avançadas, como extração de pensamentos, regeneração celular e biosuspenção, além de outras que tratam do clima daquele futuro, como estrutura do caos, esperança e água (que provavelmente estava escassa).

 

Continua após publicidade

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=YREeuSEp1OA[/youtube]

 

Continua após a publicidade
O MIX DE SÉRIES atingiu 10 milhões de visitas mensais e vamos ensinar tudo que aprendemos nessa caminhada! Aumente o tráfego do seu site com técnicas avançadas de SEO.
Faça seu pré-cadastro aqui!
  • Âmbar
Nova temporada, uma linha do tempo totalmente reescrita… nada mais justo do que uma nova abertura, agora em tons de âmbar (pra onde todos iriam após o Expurgo). Algumas das novas palavras são pedra filosofal, paradoxo temporal (que foi um dos grandes temas da quarta temporada), terapia viral, psicogênese e gravitação. A abertura foi usada durante toda a quarta temporada, excetuando-se o episódio 4×19, que se passa no futuro.
[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=a1tr2XwVilo[/youtube]
  • Futuro
A atual abertura da série representa com perfeição o atual momento: A luta contra os Observadores, que dominaram o planeta. Estamos em 2036, lutando contra uma dominação, e por isso mesmo as palavras como Individualidade, Comunidade, Pensamentos Privados (Os Observadores conseguem arrancar pensamentos, vale ressaltar), Livre Arbítrio e, sobre tudo, LIBERDADE funcionam perfeitamente. Chama-se a atenção também aos Observadores que aparecem em bando e ao fato do nome “Liberdade” estar preso em uma cerca.
[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=90RUvkAsiV8[/youtube]
E ai, qual a sua preferida?