Os bastidores de Chicago Fire: curiosidades por trás das câmeras

Chicago Fire

Depois de uma pequena pausa para este que vos escreve aproveitar um pouquinho o recesso de julho, a coluna Bastidores está de volta com ainda mais fôlego, novidades e atrativos para os queridos leitores. Nesta semana tenho que confessar pra vocês que a decisão foi uma das mais fáceis até aqui. Não só pela facilidade em encontrar as informações, como também de unir o útil (popularidade) ao agradável (informações interessantes). Sendo assim é com grande prazer que nossa série de destaque de hoje é nada mais, nada menos do que Chicago Fire.

Por isso, eu te convido para continuar conosco e ler nossa coluna. Além de comentar, criticar, elogiar e propor mudanças… Afinal, precisamos da ajuda de vocês para melhorar.

Real demais

Apesar de alguns problemas que traremos abaixo, Chicago Fire tenta se manter o mais autêntica possível. Seja nas situações, assim como na vida de cada personagem. Contudo uma cena em particular parece ser real demais, causando um grande mal entendido. Em novembro de 2012, a emissora local, WGN-TV, noticiou um acidente de avião entre a 29th e a Martin Luther King Drive. O noticiário inclusive exibiu imagens do acidente. Eventualmente, soube-se que não se tratava de acidente nenhum. Tal sequência era na verdade uma gravação de Chicago Fire.

Comprometimento

Muitos dos acidentes não são reais, diferentemente da proposta de 9-1-1. Contudo, o quartel, que é praticamente um personagem, é bastante real. O prédio faz parte do Departamento de Incêndio de Chicago e faz parte da Estação 18, localização na Avenida 1360 South Blue Island. Além disso, os dublês e figurantes usam seus próprios uniformes e ferramentas durante as gravações. “Eles trazem seus próprios materiais,” ressaltou o co-criador Michael Brandt. “Eles trazem até as mangueiras e nós fizemos de tudo para incluí-las,” completou.

Autenticidade é tudo

A série, assim como as outras da franquia, tem muito orgulho de ser filmada em Chicago. A própria NBC afirmou, antes mesmo da concessão de um gordo incentivo fiscal, que prefere manter a autenticidade ao invés de filmar num estúdio em Los Angeles. A produção conseguiu convencer o então prefeito Rahm Emanuel a fazer uma participação no episódio piloto. Ele topou, mas com uma condição. “É mais fácil interpretar um prefeito do que ser um prefeito. Eu disse pra eles que faria sob uma condição: série teria que fazer um investimento no fundo dedicado a viúvas e órfãos de bombeiros,” disse.

Atração Turística

1360 South Blue Island, Station 18

Imagem: Divulgação

Em virtude da grande popularidade da série em todo os Estados Unidos, a Firehouse 51 (ou Estação 18 na vida real) se tornou uma espécie de atração turística. Algo similar feito por American Horror Story Sex And The City. Steve Chikerotis, que além de consultor da série também é chefe daquele departamento de incêndios de Chicago, afirmou que a produção usa o quartel para gravação mais ou menos umas vinte e duas vezes por ano. Mas sempre atrai uma grande audiência. “Pessoas vem de todos os lugares do mundo. É provável que tenhamos visto umas 200-300 pessoas por aqui. Percebi um grande crescimento no número de turistas que vem nos visitar,” disse.

Onde há fumaça há fogo. Ou não.

A reclamação mais comum que bombeiro tem em relação a Chicago Fire é a fumaça. Ou melhor a falta dela. “O mundo na qual nós trabalhamos tem temperaturas que excedem a marca de 1300 ºC,” disse Steve Chikerotis, um dos consultores da série. “Além disso, nós também temos zero de visibilidade, o que tornaria algo perfeito para o rádio e não para televisão. Eu penso que (os bombeiros) entendem que Chicago Fire não pode ser uma série que simplesmente nega a realidade,” disse numa entrevista ao ser questionado sobre a diferença entre o mundo real da televisão.

Detalhes

Algumas das cenas da cozinha da Firehouse 51 são realmente gravadas numa cozinha de quartel. Outras, contudo, são filmadas num estúdio de gravação comum. Mas para aqueles telespectadores mais atentos e apegados a detalhes, há uma dica para identificar essa situação. Caso você perceba uma porta à esquerda na cozinha, a gravação foi feita num estúdio; mas se existir um bebedouro perto das mesas, eles gravaram num quartel.

Rapidinhas

– O título para cada episódio é retirado de um diálogo do mesmo

– Taylor Kinney e Steven McQueen já trabalharam juntos em The Vampire Diaries

– O elenco gosta de dirigir por Chicago com motos. “Sempre que nós podemos, eu coloco um capacete para que ninguém sabe quem eu sou e então eu dirijo pela cidade,” disse Eamonn Walker numa entrevista.

– Dublês e figurantes que interpretam bombeiros são realmente bombeiros da vida real.

Em suma,

Chicago Fire nunca esteve na minha lista de séries favoritas. Na verdade sequer entra no meu Top 05 por não ser exatamente o meu gênero. Contudo, a série é inegavelmente um dos maiores acertos do NBC nos últimos anos. Por isso nós decidimos expor seus bastidores e buscar informações relevantes e interessantes. Para minha surpresa, como vocês puderam ver, grande parte das curiosidades da série vem justamente do mundo real. Onde não só a cidade de Chicago é um personagem firme, mas também seus heróis de todos os dias.

Sendo assim, agradeço pela sua leitura nesta semana. Aproveito ainda para lembrar que da próxima vez vamos falar sobre os Bastidores de True Blood. Espero vocês!

Avatar

Bernardo Vieira

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.

No comments

Add yours