Blindspot – 1×08 – Persecute Envoys

blindspot

Continua após publicidade

Começamos intensamente falando sobre o projeto Daylight. Sim, apesar do foco central do episódio não ter sido este, foi intencional abordar um pouco sobre o passado de Mayfair e seus envolvimentos políticos. Mas, sinceramente, ainda me senti um pouco desnorteado com o verdadeiro intuito do projeto. E além do mais, o relacionamento da diretora do FBI com Sofia da Casa Branca me lembrou muito um seriado sobre assassinato que temos por aí.

Continua após a publicidade

Parece que Saul Guerrero não era apenas um traficante procurado pelo FBI. Mayfair utilizava dele como um informante a respeito do mundo das drogas, e isso foi essencial para que ela conseguisse prender inúmeras pessoas perigosas. Contudo, Kurt não ficou muito contente ao saber da notícia, ameaçando denunciar a própria chefe pelos atos ilícitos cometidos.

Continua após publicidade

E para focarmos um pouco sobre o tema central associado as tatuagens, temos a corrupção na polícia de Nova York como abordagem principal. Depois de analisarem casos de policiais mortos e procurarem por prováveis suspeitos, associando toda esta confusão até com um jogador de futebol americano que não se assumia homossexual, eles finalmente perceberam que o problema se concentrava dentro da própria corporação. Tiros cruzados a todo o momento, Kurt quase ficando surdo por uma granada, mas felizmente no fim tudo deu certo.

blindspot 2E porque não comentarmos sobre o melhor de tudo, a girls night que tivemos no fim. Foi legal ver a interação de Jane, Zapata e Patterson em uma noite descontraída. Mas ainda assim não conseguimos esquecer o que Tasha fez, entregando as informações de Jane para a CIA e traindo a confiança do FBI. Sinceramente acho que ela agiu no impulso e claramente se arrependeu, mas ainda assim fez errado e vai pagar pelo ato.

Continua após publicidade

PS: Não posso esquecer de falar da cena final de Kurt bebendo com seu pai. Parece que o rapaz está considerando uma segunda chance para o velho afinal…