Blindspot – 1×17 – Mans Telepathic Loyal Lookouts

Blindspot Mans Telepathic Loyal Lookouts MAIOR
Imagen: Entertainment Weekly

 

Continua após publicidade

Apesar de vir de constantes elogios para o que Blindspot vem nos apresentando semanalmente, tinha certeza que o roteiro seguiria no roteiro automático com certos plots, o dos coadjuvantes principalmente, com algumas reviravoltas e deixaria o melhor, de fato, para o final com o intuito de atrair telespectadores para a segunda temporada já confirmada. Normal, bem porque, todo mundo faz isso. Entretanto, a novidade é que eu subestimei capacidade deste drama continuar nos impressionando positivamente.

Continua após a publicidade
Imagem: New Episodes
Imagem: New Episodes

Lembram que exaltei a ideia de deixar um personagem morto na história? Pois bem, após ver o que os roteiristas fizeram com a imagem de David aqui, foi algo que nem eu, poderia esperar que trabalhariam tão bem em uma ideia que, à princípio, soou um tanto quanto amadora na visão daquelas que esperam por um amadurecimento maior de uma série que entra na sua reta final. Entretanto, não pensem que me refiro apenas ao aspecto sério da história, isto é, o principal, como também ao alívio cômico.

Continua após publicidade

Deixando, felizmente, os personagens principais um pouco de lado, até porque eles andam um pouquinho perdidos com essa vontade de serem encaixados com um interesse amoroso, o episódio foi inteiramente e unicamente de Ashley Johnson, intérprete de Patterson, que conseguiu agarrar essa oportunidade e mostrar que tem sim bastante talento e pode proporcionar grandes momentos em Blindspot, basta que os roteiristas deem-lhe uma chance. É claro que a atriz teve ajuda de Joe Dinicol, que rouba a cena sempre quando lhe convém. 

Todavia, outra coisa me surpreendeu além dessa nova onda criativa que tomou conta de Mans Telepathic Loyal Lookouts, foi o espaço aberto aqui para tratar de temas políticos com bastante sutileza e suavidade, mas sem entrar no mérito de tudo aquilo que vem acontecendo na vida real. Acredito que ao inserirem um senador na história, toda aquela trama que vinha sendo construída envolvendo astros e constelações, adquiriu uma característica empolgante, pelo menos ao meu ver.

Continua após publicidade

Em síntese, observa-se que Blindspot consegue se sair muito bem quando sai do lugar comum e foca em personagens e/ou temas que sempre estiveram ali, esperando um sinal positivo para entrar em cena, mas eram colocados de lado por, aparentemente, não serem apelativas para o telespectador. Faltam apenas cinco episódios para a Season Finale, mas fico feliz desde já por perceber que o melhor está sendo trabalhado desde já e não sendo empurrado lá para o final.

Catarinense e bacharel de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.