Chicago P.D. – 3×01 – Life is Fluid

CPD-3x01

Continua após as recomendações

 

Eba que chegou o momento de fazer as resenhas da nova temporada de Chicago P.D.. Estou contente pelo retorno da série, mas admito que a premiere foi um pouco do mais do mesmo, só que com diferentes nortes, de acontecimentos iniciais da 2ª temporada. Antonio em crise com mais uma informante e Jay em zona de risco são investidas do passado, mas repaginadas. Contudo, não nego que os desdobramentos foram eletrizantes e se concluíram com todos os méritos. Estou satisfeita!

Continua após a publicidade

Devo dizer que a NBC estragou a surpresa da trama ao liberar fotos promocionais banhadas de spoilers que entregaram o resultado do sequestro do Jay. Por causa disso, parte de mim assistiu a premiere bem desanimada. Esse agridoce de saber o que aconteceria “desvalidou” o ápice de mais uma tramoia intrincada já que tudo foi entregue semanas antes do retorno da série. Sorte de quem não acompanhou nada, pois, com certeza, deve ter se debatido diante da situação de risco do Halstead.

E com toda razão! Sempre fico mexida quando os detetives ficam perto da berlinda e foi impossível o coração não ficar na mão com relação ao Halstead. Ainda mais quando ele acabou sequestrado em um nível emocional muito delicado por estar completamente preocupado com Erin. Lutar ele lutou, mas dali para se entregar, a fim de proteger a Unidade de Inteligência, seria batata.

Ao longo da tortura, o detetive provou sua lealdade ao não dar com a língua entre os dentes sobre seu trabalho e seus companheiros. Isso para Voight é motivo mais que suficiente para fazer o que for preciso para resgatar um dos seus. Como ir prestar visita a um amigo misterioso (que já quero a história na íntegra).

Mesmo anestesiada de qualquer impacto, Erin mostrou sua bravura com uma pitada digna de sangue frio. Ela jogou bem até onde deu para cima de Derek, o inimigo da vez, a fim de salvar a pessoa que lhe colocou de volta no percurso rumo à Unidade de Inteligência. Só tenho elogios ao amadurecimento de Sophia Bush, sua personagem tem lhe oferecido riscos tanto físicos quanto emocionais, desafiando-a. Um envolvimento notável desde os últimos episódios da S2. Temi pela detetive algumas vezes e espero que essa situação sirva para um retorno mais forte.

Voight me representou em vários momentos com relação a sua “filha”. Amei todos os argumentos e a indignação dele. No fim, o Sargento provou o quanto a ama ao deixá-la simplesmente ir. Fazer o que tem que ser feito. O personagem sempre confiou na capacidade dela, independente das circunstâncias. Uma crença preciosa demais, mas que não foi o bastante para Lindsay retornar e ocupar sua cadeira como se nada tivesse acontecido.

Achei válido o pedido de barrar Bunny, o câncer da vida de Lindsay, e da série também, e exigir um tratamento completo embaixo do mesmo teto. Esse senhor não brinca quando o babado é certo.

Além de todo esse caos maravilhoso, o episódio equilibrou com excelência a problemática e a inserção de novas storylines, mantendo o ritmo eletrizante. Ninguém perdeu o fôlego enquanto o passado ou o presente queria prendê-los pelos calcanhares. Estou muito curiosa para saber como se desenvolverá a relação de Al com Michelle, mas quem me intrigou foi Roman e a seringa. Quem também chamou a atenção foi Eddie, o gancho para o passado de Voight. Quero tudo!

Só lamento por não ter sido Burgess a assumir o sequestro de Halstead. Seria um novo grande momento para a personagem que sempre mostrou o seu valor, mas não chega perto de ser reconhecida. Depois de uma gloriosa S2, espero que ela continue a crescer, que esse mistério de Roman lhe leve para caminhos obscuros e que o climão com Ruzek a amadureça no âmbito amor – lado da moeda que a policial é claramente insegura.

Foi um retorno incrível que só perde uma estrela por causa da foto spoiler. Não perdoo mesmo!

2 comentários

Adicione o seu
  1. Anderson Narciso
    Anderson Narciso 2 outubro, 2015 at 20:13 Responder

    Foiii muito bom. Eu também fiquei com um sentimento meio brochante por conta dos spoilers das imagens, mas aprendi a não buscar muito material de Chicago PD hahaha (a quem eu quero enganar, sigo instagram da série e de todos os atores hahaha).

    Mas foi muito bom o plot da Erin, estão desenvolvendo muito bem. Achei a participação dela no episódio fundamental, e o retorno dela bem arquitetado. Acho que ela sente algo realmente verdadeiro pelo Jay. Espero que explorem isso o mais rápido possível pros Linsteald de plantão vibrarem.

    E qual é desse negócio da seringa com o Roman? Entendi nada oO

    Estava com saudades de PD, muito boa essa estreia *o*

    • Avatar
      Stefs Lima 6 outubro, 2015 at 09:31 Responder

      Geralmente, não busco ver nada. No máximo a promo do próximo episódio – e nem sempre isso acontece para não afetar minha experiência hahahaha Mas nossa, foi de matar essa das fotos. Assisti querendo dar uma voadora no estagiário que fez isso.

      Tbm acho o desenvolvimento da Erin muito bacana, mas focar tudo o que acontece com ela no Halstead não é legal. Sim, ela gosta dele, mas há tantos momentos para explorar isso. Na temporada passada já me bastou Voight promover a Burgess pós-morte, e se isso acontecesse ou acontecer com Linstead, ficarei furiosa. Não é bem por aí, tem que desenvolver o romance direito. Inclusive, sem anular os outros personagens.

      Eu estou curiosa pelo Roman. Ele é tudo <3 hahahahahahaha

Post a new comment