Crítica: 10×19 de The Walking Dead trouxe questões pessoais de Gabriel e Aaron

Crítica: 10x19 de The Walking Dead mostrou as questões pessoais de Gabriel e Aaron

Se você acompanha essa série há uma década, já sabe que não existe o “mocinho” da história. Caso não, descobriu neste episódio!

The Walking Dead seguiu com os episódios extras focados em seus núcleos específicos, desta vez com Padre Gabriel (Seth Gilliam) e Aaron (Ross Marquand) em busca de suprimentos nos poucos lugares que restaram, graças à Maggie (Lauren Cohan) e seu mapa cheio de marcações.

Continua após as recomendações

Afinal de contas, após a batalha dos Sussurradores, era nítido que os sobreviventes teriam que lidar com a falta de comida e outros recursos, visto que praticamente todas as comunidades foram destruídas em meio ao ataque de seu último inimigo.

Gabriel e Aaron em uma missão

A primeira metade do episódio seguiu um tanto monótona e sem nenhum acontecimento relevante, apenas com a dupla andando quilômetros, acabando com alguns Walkers no processo e encontrando lugares vazios e inabitáveis. Parece que o mapa de Maggie não era uma mina de outro como parecia.

Continua após a publicidade

Gabriel chegou até mesmo a cair em uma poça de lama e derrubar o mapa, o que deixou Aaron furioso. No entanto, a dupla estava próxima do último ponto do mapa e decidiram continuar trilhando o caminho. O que nenhum dos dois esperava era encontrar um galpão no meio do caminho.

Coincidentemente, esse galpão ainda mantinha alguns mantimentos como comida e até mesmo uma garrafa de Whisky. Foi o necessário para os dois homens passarem uma boa noite descansando e enchendo a cara. Mas vamos ao vacilo do episódio?

Sério mesmo?

Crítica: 10x19 de The Walking Dead mostrou as questões pessoais de Gabriel e Aaron

Imagem: AMC / Divulgação

O grande vacilo para uma dupla sobrevivente há anos do apocalipse é somente um: como não perceberam que alguém poderia viver naquele galpão, visto que era o único lugar com mantimentos? E mais! Nenhum dos dois se preocupou em observar cada canto do galpão? Uma mancada dessas custa vidas  – bem, quase custou, né?

Os dois descobriram da pior forma que Mays (Robert Patrick) vivia lá sozinho e acreditava que os protagonistas do episódio estavam lá para saqueá-lo. Pior ainda, pois o homem obrigou os dois a participarem de uma roleta russa, já que não acreditava em tanta benevolência.

[adinserter name=”Anúncio In-Article 2″

Tanto Gabriel quanto Aaron se recusaram a mirar no companheiro, aceitando sua possível morte e perdendo a chance de ver suas filhas novamente. Mays então contou que seu próprio irmão o traiu, o que fez com que ele não confiasse em mais ninguém.

O padre fez o que precisava

Entretanto, desde o começo Gabriel tentava dialogar com Mays de forma que o rapaz entendesse que ainda existia bondade num mundo como aquele. Quando finalmente o padre conseguiu tocar o coração do homem, aproveitou o momento de fragilidade para golpeá-lo na cabeça com a clava que Aaron usa em seu braço.

Gabriel usou da maldade sabendo já que Mays estava omitindo fatos. Seu irmão estava vivo e preso em cativeiro, com sua família morta ao seu lado. O que reforça ainda mais a dor de Mays é que eles são gêmeos. Gabriel o soltou, mas só fez com que o homem tirasse sua vida assim que teve a chance.

O episódio então terminou com os dois protagonistas seguindo seu caminho. Um episódio bem mediano, mas interessante de ver pelo contraste entre o que é considerado “bem” e “mal”. Contudo, nada que indique um desenvolvimento maior ou algo que será trabalhado a longo prazo. O plot começou e terminou ali mesmo.

[adinserter name=”Anúncio In-Article 2″

E você, o que achou deste episódio? Nos conte suas impressões para essa terceira parte da décima temporada de The Walking Dead e continue acompanhando o Mix de Séries!

Nota do Episódio5.5
Review do décimo nono episódio da décima temporada de The Walking Dead, da AMC, intitulado "One More". Episódio exibido pelo Star Channel.
5.5