Crítica: 4ª temporada de 911 foi fraca e enganou fãs

Crítica 911 4 temporada

911 acabou ficando fraca!

911 é um tipo de série que sempre me atraiu. O gênero, que engloba policiais, paramédicos e bombeiros é algo que já vinha sendo explorado na TV há algum tempo. Aliás, Chicago Fire é uma pioneira ao dar foco exclusivamente para bombeiros, assim como Third Watch fez, uma década antes.

Continua após publicidade

No entanto, 911 soube aproveitar o melhor dos seus antecessores e criou algo único. Um formato que partiu da visão de Ryan Murphy e alcançou notas excelentes nos seus dois primeiros anos. Só que, desde a terceira temporada, vim sentindo uma queda na qualidade dos roteiros da série, e essa quarta temporada para mim foi a confirmação de que isso está mesmo acontecendo.

Continua após a publicidade

Histórias bobas e pouco desenvolvimento

911 sempre inovou nas histórias, e a particularidade de cada uma delas é o que chamava atenção do público. Mas a quarta temporada foi muito fraca nesse sentido.

Continua após publicidade

Primeiro, ela passou a ignorar a pandemia que vivemos, ficando extremamente como um pano de fundo coadjuvante. Acredito que se tivessem dado espaço para este problema real, boas histórias poderiam ter saído dali. Mas, em vez disso, a série preferiu investir em casos bobos, sem qualquer apelo.

Critica 911 4 temporada
Imagem: Divulgação

Talvez, os episódios que mais chamaram atenção foram aqueles em que menos esperávamos que fosse render algo, como o episódio que contou o passado de Josh e Sue. Acredito que esse foi um dos mais emocionantes e que valeu a pena para o público que ainda acompanha a série.

Continua após publicidade

Outro episódio um pouco interessante foi o do engavetamento de carros, que poderia ter tido mais apelo, se o acidentado da vez fosse alguém do elenco regular, e não o irmão de Chimmy.

Só que, em contraponto, tivemos que lidar com plots extremamente bobos, como o episódio do caça-tesouro, que causou uma série de conflitos em Los Angeles. Haja paciência!

O que aconteceu com os personagens?

Alguns personagens que eram o destaque da série acabaram se perdendo em tramas rasas e não tiveram qualquer evolução.

Buck, por exemplo, acabou protagonizando no início uma trama até interessante sobre seu passado. Mas, logo depois, caiu no esquecimento e passou a viver um relacionamento com a jornalista que soa extremamente forçado.

Da mesma forma podemos dizer do casamento de Bob e Athena, que passou a criar conflitos e picuinhas que acabaram soando como se fossem plantados, apenas para criar conflitos, porque a série precisa. Nada disso combinava com o casamento honesto e com a relação de companheirismo que eles sempre tiveram um com o outro.

Imagem: Divulgação.

“Plot” final foi muito bom… Mas com um péssimo final

Para completar, 911 acabou enganando o público no final da quarta temporada. Em um episódio bem interessante, o penúltimo, tivemos uma mãe que drogava o filho para conseguir doações. Mas ele acabou com Eddie sendo baleado, em uma história sem qualquer conexão com ela.

No último, então, entendemos de onde veio o atirador e os seus motivos – algo interessante e até próximo de um incendiador que protagonizou uma trama de 911 Lone Star.

Além disso, 911 deu todos os indícios de que iria matar Eddie, algo que poderia fazer muito bem para a série. Mas, nos 48 do segundo tempo, isso não aconteceu. 911, infelizmente, perdeu a coragem e a oportunidade de fazer uma trama excelente para fechar com chave de ouro uma temporada morna.

Assim, terminei o quarto ano da série sem qualquer empolgação para o quinto, e somente comparando o quão a derivada 911 Lone Star está melhor.

Agora é torcer para que os roteiristas repensem a forma de conduzir a série e, quem sabe, criem uma quinta temporada à altura. Pois esses personagens e esse universo merecem!

No Brasil, a temporada estreará em breve no streaming do Star+, que chega no nosso país em agosto.

E então, o que você achou da temporada de 911? Deixe nos comentários e, igualmente, continue acompanhando as novidades do Mix de Séries.