Crítica: Arrow traz antigo personagem de volta em 7×21 “Living Proof”

Arrow chega ao final de temporada aquecendo para o que virá ser o embate final entre os irmãos Queen

Em paralelo, o episódio conseguiu trazer de voltar um velho personagem para fechar mais um grande círculo dentro da série. Sem grandes acontecimentos à primeira vista, o episódio conseguiu trazer a sétima temporada para um confronto final convincente.

Antigos Personagens

Mais uma vez foi muito bom ver Colin Donnell retornando como Tommy Merlyn. Dessa vez através de uma alucinação, o personagem serviu como a voz interior cautelosa e amigável. Entregou um ótimo discurso emocional ao Oliver que lutava sobre o dilema moral de matar ou não Emiko. Conseguiu tocar os sentimentos de Oliver e o convenceu de que um ato violento não seria o melhor resultado. Ainda por cima, Oliver enfim colocou a limpo o que faltava dizer ao amigo, colocando um ponto final em sentimentos que estavam abertos desde a primeira temporada de Arrow. O carisma de Donnell em tela ainda trouxe certa leveza e humor, que cenas entre ele e Stephen Amell tanto tinham no início da série.

Outro ponto positivo para o episódio foi Roy Harper. Nesta temporada o personagem parece estar ganhando sua rendição. A cena entre ele e Dinah, por mais que se trate de um discurso já batido em histórias de super-heróis, foi muito boa e conseguiu trazer o sentimento necessário ao personagem. Seu “sacrifício” pode ter soado desnecessário, já que sabemos quais personagens continuam vivos no futuro de Arrow, mas foi importante para o crescimento do personagem.

Emiko teve certa melhora neste episódio. Continuo considerando a atriz não boa para o papel, mas suas cenas foram menos forçadas neste episódio. Como vilã ela já fez muito contra Oliver, acabou com sua reputação mais uma vez. Suas motivações ainda continuam insuficientes para a trama. Mas o confronto final entre Oliver e Emiko poderá ter um grande impacto na série. Ao menos a expectativa está alta.

Flashfowards

Os flashfowards infelizmente não tiveram um desenvolvimento legal perto do que foi apresentado no início da temporada. O drama familiar acabou ganhando maior destaque, inclusive neste episódio, o que tirou a força que a trama teve. Não sei o que esperar do fim dessa trama, nem se ela se estenderá pela última temporada. A produção ao menos nos pegou de surpresa ao inserir o Projeto Zeta na trama de Arrow. De todos os personagens da DC, este era um que não esperava um dia ver citado nas séries do Arrowverso. Mas fico empolgado para ver o que sairá dessa trama e se ao menos chegaremos a ver uma versão do Zeta da animação dos anos 2000.

A sétima temporada de Arrow perdeu sim potencial em alguns momentos. Então ao menos essa reta final parece ter sobrevivido a essas falhas. Felicity se prepara para se despedir da série, como sua amiga Alana sugeriu neste episódio, então muita coisa pode acontecer nesta season finale. “Living Proof” fez um bom papel ao dar as cartas para seu próximo episódio.

Imagem: The CW/Divulgação

CURIOSIDADES:

– Este episódio foi o sétimo penúltimo episódio que tem como título uma música de Bruce Springsteen.

– Alena se refere ao team Arrow como Liga da Justiça. Nos quadrinhos, Oliver Queen, Dinah Drake e Roy Harper já foram membros do grupo.

– O exército de robôs Zeta da futura Star City são uma referência ao personagem de mesmo nome. O desenho animado Projeto Zeta foi um spin-off de Batman do Futuro (Batman Beyond, no original). A animação teve apenas duas temporadas entre 2001 e 2002.

Nota do Episódio9
Review do vigésimo primeiro episódio da sétima temporada de Arrow, da The CW, intitulado"Living Proof".
9
Tags Arrow

Share this post

Álefe Cintra

Jornalista e apaixonado por séries. Tem a mesma profissão de Clark Kent, usa óculos parecido, mas infelizmente não é super-herói. Grande fã de séries de super-heróis e fantasia. No Mix de Séries escreve as reviews de Arrow e The Flash.