Crítica: Upton ensina Burgess a trabalhar no episódio 5×11 de Chicago PD

Imagem: Captura de tela
Imagem: Youtube/Reprodução

[spacer height=”20px”]

Continua após publicidade

Talvez essa review poderia se resumir em: Burgess matou sua primeira CI – Informante Confidencial. Eu realmente não entendi o que aconteceu com nossa Kim, ela está tão bruxinha, não faz o tipo dela todas as coisas erradas que rolaram nesse episódio chamado Confidential.

Continua após a publicidade

Upton, entretanto, está crescendo em nossos corações. Parece que ela veio para salvar a carreira do time todo. Talvez Kim estava tentando incorporar o Voight, sendo muito dura, o que acabou matando sua CI. E como já mencionado, Upton ensinou Burgess a trabalhar. Nem sempre as regras se aplicam no trabalho policial. Às vezes eles tem que usar o instinto. Enquanto Burgess estava totalmente aberta para arriscar sua CI, Upton já disse, “anos pegando informações com essa pessoa, ele tem família, é uma pessoa, um amigo”. Passamos a vida usando pessoas e valorizando as coisas, quando deveria ser ao contrário sempre!

Continua após publicidade

O mais impressionante da Upton é que, ao mesmo tempo que ela mete o nariz no serviço de todos, tendo as melhores das intenções, ela permanece, ainda assim, leal ao Voight, seu chefe.

O caso foi pesado, envolvendo tráfico de mulheres, cirurgias estéticas estranhas. E um caso bizarro em que a sequestrada gostava do sequestrador, Isabelle, uma das mulheres do caso, tentando salvar Damien, sem saber nem lá no fundo que ele venderia ela sem hesitar. Burgess teve a sensibilidade de notar e utilizar isso a favor deles. Talvez a única bola dentro dela no episódio, porque no final ela resolveu agarrar Rusek, e não vejo nada bom vindo disso.

Continua após publicidade

Jay, ainda abalado do episódio passado, está com trabalho de escritório, o castigo dos policiais. Mas, francamente, até gostei, e Upton em cima dele ainda, ajudando. Quem sabe essa terapia o ajude de verdade. Ele precisa expressar. Ficou legal esse lado sendo mostrado, a ajuda psicológica, pois policiais precisam de muita inteligencia emocional.

Olinsky e Voight voltaram na sua dupla interrogação. É muito agradável a atuação de ambos com os suspeitos e culpados, porque eles são eficientes.

Louca para um episódio mais intenso, um desfecho com Woods… Aguardemos.