Ginny & Georgia cria problema para Netflix e pode ser cancelada

Ginny & Georgia problemas Netflix

Série da Netflix poderá enfrentar cancelamento

Já faz três semanas desde que Ginny & Georgia estreou na Netflix e, até o momento, ela ainda se encontra no Top 10 da plataforma. Isso é uma boa notícia. No entanto, questões polêmicas envolvendo a abordagem racial da série, e piadas sexistas, criaram um grande problema para a plataforma – que poderá trazer o cancelamento para a série.

Continua após as recomendações

Os problemas

Em um clipe viral da aspirante a Gilmore Girls da Netflix, Ginny & Georgia, a estudante do segundo ano Ginny (Antonia Gentry) entra em uma briga com seu namorado Hunter (Mason Temple). O vídeo circulou originalmente no Twitter por causa de seu diálogo pesado e estranho, já que os dois protagonizam uma briga intensa, apontando insultos um para o outro a respeito de sua raça.

Dentro do contexto da série, os personagens estão discutindo sobre as diferentes maneiras pelas quais eles lutaram para ser birracial.

Continua após a publicidade

Ginny acusa Hunter, meio taiwanês, de se beneficiar do estereótipo da minoria modelo, enquanto Hunter diz que ela mal tem contato com sua própria negritude. Eles vão e voltam sobre quem vivenciou mais o racismo, até que Hunter finalmente exclama: “Olimpíadas de opressão: vamos lá!”

A cena em questão foi recriminada, principalmente por ressaltar estereótipos raciais. Mas se destacou em particular por enfatizar um caminho estranhamente frequente em relação aos personagens birraciais, um caminho, aliás, que a Netflix continua caminhando. A de que pessoas birraciais são, geralmente, criadas por seus pais brancos.

Crítica Ginny & Georgia

Imagem: Divulgação.

Problema grave

Ambos os personagens citados são birraciais, mas, enquanto Hunter vive com os dois pais, o pai negro de Ginny está praticamente fora de cena. Então, ela mora com sua mãe branca.

Isso a torna mais uma protagonista mestiça que está sendo criada por uma mãe solteira e branca.

A Netflix continua fazendo histórias com protagonistas birraciais, mas sempre com esse adendo. Em vários originais da plataforma, como Ginny & Georgia, os filmes Para todos os Garotos, A grande Luta, e o Clube das Babás, pais solteiros brancos criam filhos mestiços. O pai não branco sempre está morto antes do início da história ou inicialmente ausente da vida do protagonista.

Com isso, muitos críticos estão apontando que Ginny & Georgia é, na verdade, um desserviço na Netflix. E semelhante a outras séries como Insaciável, deveria ser cancelada.

No entanto, Ginny & Georgia encontrou sua base de fãs, então, a Netflix deverá optar entre manter uma história com questões raciais polêmicas, ou cancelar por seguir um caminho contestável e que traz uma péssima repercussão para a plataforma.

Cantora Taylor Swift também criticou a série

Outro ponto crucial está negativando Ginny & Georgia. A cantora Taylor Swift foi até as redes sociais e detonou a Netflix, após uma piada sexista na série mencioná-la, junto de sua vida amorosa.

Swift se sentiu extremamente incomodada ao ver seu nome envolvido em uma piada, durante uma cena da série da Netflix e ficou furiosa. Dessa forma, foi até as redes sociais expressar sua frustração.

Em uma das falas, dita pela protagonista da série que a Netflix lançou na semana passada, Ginny Miller (Antonia Gentry) se dirige à sua mãe, Georgia (Brianne Howey), com um comentário sexista. Tudo isso, após a mãe questionar Ginny sobre seus relacionamentos.

“Por que você se importa? Você passa por homens mais rápido do que Taylor Swift.”, diz a adolescente.

Swift, que teve seus relacionamentos discutidos publicamente durante anos, expressou sua decepção com a série no Twitter, chamando a piada de “preguiçosa”, bem como de “profundamente sexista”.

E então, você gostaria que Ginny & Georgia fosse cancelada? Deixe nos comentários e, igualmente, continue acompanhando as novidades do Mix de Séries.