Globo de Ouro 2016: Quem são os melhores atores coadjuvantes?

faixa ator coadj

Continua após as recomendações

 

Depois das categorias dramáticas, é a vez das nossas considerações para os melhores atores e atrizes coadjuvantes.

Continua após a publicidade

No Globo de Ouro a coisa é diferente, drama, comédia telefilme e minissérie competem juntos nesta categoria, para tornar a coisa ainda mais difícil.

Então, vamos lá. Quem será que leva a melhor nessa?

 

Melhor Ator

 

eli gold the good wifeAlan Cumming – The Good Wife como Eli Gold

Por Amanda Moés

Que The Good Wife já teve temporadas mais douradas, isso não é novidade para os fãs, novidade mesmo foi a série de fatos que aconteceram na vida de Eli Gold e como vimos Alan Cumming desdobrar todas essas transformações de Eli. Primeiro vemos o rei da assessoria política de Peter perder seu trono, e como isso o levou à uma série de tramas para continuar no controle, ou ao menos tomando decisões também em relação a campanha do governador Florrick para presidente. Depois temos uma reviravolta imensa na vida pessoal de Eli, coisa que não havia sido mostrada anteriormente, a paixão e o amor por Courtney Paige (Vanessa Williams). Em resumo, essa sétima temporada de The Good Wife deu uma perspectiva nova ao personagem de Alan, que teve que se desdobrar para dar conta dos planos, dos jogos políticos, das manipulações e a nova descoberta de Eli, o amor, e como esse que mais importante, que traz felicidade, deveria ser prioridade, levando a uma última cena de midseason de tirar o fôlego, com Eli revelando o que fez no passado durante o tiroteio em que Will Gardner havia morrido.

 

Damian Lewis – Wolf Hall como Rei Henrique VIIIwolf-hall-s1-damian-lewis-5-things-icon

Por Matheus Pereira

Damian Lewis talvez seja o que represente o programa menos conhecido dentre os indicados e isso pode prejudicá-lo na corrida. Primeiro porque vários dos votantes não devem ter assistido Wolf Hall, segundo porque a minissérie parece não ter tido o mesmo apelo nos EUA do que teve em terras britânicas. A seu favor está o papel poderoso. Lewis personifica um personagem histórico importante e cria sua própria versão para um sujeito que muitos “acham” que conhecem. O ator, aliás, já declarou em entrevistas que sua vontade era justamente trazer ao público detalhes históricos que o público desconhece. Essa abordagem diferenciada para o papel pode lhe ajudar. Ainda assim, a corrida é árdua. Em seu caminho, os favoritos Ben Mendelsohn e Christian Slater o ofuscam, além disso, Alam Cumming corre por fora. Se ganhar, vai ser surpresa.

 

BloodlineBen Mendelsohn – Bloodline como Danny Rayburn

Por Caroline Marques

Este homem que fumou uma chaminé durante a primeira temporada de Bloodline fez um talentosíssimo papel de coitado babaca. Sabe aquela pessoa que não tem como defender? Que todos até tentam ajudar mas ele se atrapalha mais? Ele foi supremo na arte de fazer coisa ruim. Em nenhum momento ele desliza na interpretação e durante a lenta descoberta do que tão grave aconteceu com os irmãos você se torna parte de uma quadrilha familiar. Nomeado ao Emmy ano passado espero que agora ele leve esse prêmio porque apesar do não sucesso da série, Bloodline é de uma qualidade incrível. Ben diplomou em cara de coitado e sentimento de culpa para nos presentear com um personagem perturbado e perdido na vida. Sem rumo ele acaba voltando para incomodar a família que tem tudo contra ele, uma pessoa que incomoda, atrapalha. Bloodline facilmente poderia se chamar: Precisamos falar sobre Danny.

 

Tobias Menzies OutlanderTobias Menzies – Outlander como Frank Randall/Jonathan “Black Jack” Randall

Por Caroline Marques

Não tem como gostar do personagem de Tobias, e não gostando de um você acaba não gostando do outro. Sim, ele representou DOIS, um totalmente oposto do outro. Frank é o marido atual e Black Jack o vilão do passado, que não economizou em nudes para fazer desse personagem a pessoa mais nojenta e vingativa dos levantes jacobitas. Ele se encanta do jeito errado com Claire, mulher ousada e a frente do seu tempo mas acabou tropeçando em Jamie, marido dela, e foi ali que ele se apaixonou porque era essa fruta que ele apreciava. Até que ele não prendeu o rapaz, torturou e fez tudo o que você imaginar ele não sossegou. Essa parte, do encarceramento de Jamie foi muito dolorida de assistir, foi muita realidade nas cenas e como Outlander foi lembrada como série dramática, Tobias não poderia faltar aqui, o supremo na arte das trevas, o escolhido do mal, o desgraçado. Merece muito esse Globo de Ouro mas espero não vê-lo na série tão cedo.

 

Mr robot christian slaterChristian Slater – Mr. Robot como Mr. Robot

Por Leo Sousa

Embora Christian Slater tenha reagido como se fosse uma grande surpresa, não é de se espantar sua posição nessa lista. Ele, que já estava desacreditado na academia, recebeu um papel com um tom misterioso, que a té então tem uma presença vaga, mas fundamental para as reviravoltas de Mr. Robot. Quem poderia imaginar que seu personagem era na verdade fruto da imaginação de Elliot de tão real que era sua presença na trama? Ou que na verdade ele era pai do rapaz, mesmo com toda distância que vimos desde o primeiro episódio? Só um bom ator para manter o mistério por tanto tempo, sem deixar o papel cansativo. Slater não só tem um lugar merecido na lista de indicados, como, com certeza, é um dos fortes candidatos a levar o prêmio.

 

Melhor Atriz

 

Uzo Aduba OITNBUzo Aduba – Orange Is the New Black como Suzanne “Crazy Eyes” Warren

Por Leo Sousa

A terceira temporada de Orange is The New Black teve seus altos e baixos, mas Suzanne foi um dos maiores destaques, com uma história ampliada em relação aos anos anteriores. Provavelmente uma das favoritas, e realmente merecidamente quando você olha para o seu trabalho global na série da Netflix. Não importa se OITNB navega entre o drama e a comédia, as vezes no mesmo momento, e sem uma linha que determine os dois; Crazy Eyes ainda reina suprema como um dos personagens mais fascinantes na TV atualmente. Ela pode não ser a protagonista, mas certamente é uma recompensa para os amantes de séries de TV – em ambos os gêneros.

 

Joanne Froggatt Downton AbbeyJoanne Froggatt – Downton Abbey como Anna Bates

Por Leo Sousa

Antes de Downton Abbey dizer adeus de vez (a sexta temporada apenas começou na América), Joanne Froggatt ainda teve tempo de mostrar o seu talento como Anna Bates. É bem verdade que ela não é a única – e talvez não seja merecedora – a ter um destaque individual, mas a duas últimas temporadas da série britânica foram cruciais para sua personagem. Desde o estupro até o estabelecimento de uma vida de casada com o Sr. Bates, Joanne sempre imprimiu uma Anna corajosa, que atravessava o seu tempo para dar uma guinada na sua própria história. Assim como Maggie Smith e sua Condessa Viúva foram, por um bom tempo, a cara de Downton Abbey, Joanne Froggatt fica como uma das interpretações inesquecíveis da atração épica da ITV.

 

regina king american crimeRegina King – American Crime como Aliyah Shadeed 

Por Leo Sousa

Para quem viu 12 Anos de Escravidão, sabe a profundidade que John Ridley trata seus personagens. Pode não ter uma trama completa, mas você se move pela paixão de cada espectro representado na tela. Assim foi com Aliyah na primeira temporada de American Crime. A muçulmana, negra, que aparece para ajudar seu irmão, Carter. Regina King conseguiu imprimir grandes emoções em suas cenas, e sua abengação, mesmo com o relacionamento complicado com o irmão, envolveu o espectador.

 

transparent-05Judith Light – Transparent como Shelly Pfefferman

Por Matheus Pereira

Quem é Judith Light? Quem não acompanha Transparent talvez tenha que jogar o nome da atriz no Google para conhecê-la. E ela não é estreante. Vencedora de dois Tony, Light é uma poderosa ativista no mundo real. Além de lutar pelos direitos LGBT, a atriz é conhecida por passar anos engajada na causa da AIDS, conscientizando a população e ajudando aqueles que sofrem com a doença. Estas suas características parecem cair como uma luva em Transparent. Suas chances são boas. Caso os votantes queiram novamente premiar a série, um prêmio para ela viria acertadamente. Caso o Globo não queria repetir figurinhas, premiar Light também é uma boa opção, já que a atriz concorre pela primeira vez e seria uma boa forma de não deixar o programa passar em branco. O mesmo que acontece para Maura Tierney, porém, ocorre pra ela: a concorrência é forte. Uzo levou o Emmy de Atriz Coadjuvante em Drama e Regina venceu como Coadjuvante em Minissérie. As duas parecem correr cabeça a cabeça rumo ao prêmio, o que deixa as demais atrizes correndo por fora. Caso vença, pode esperar um bom discurso de Judith.

 

Maura Tierney – The Affair como Helen Sollowaymaura-tierney-the-affair

Por Matheus Pereira

Em sua segunda temporada, The Affair apostou no aumento dos pontos pontos de vista. Se antes víamos a história sob a ótica dos dois protagonistas, agora temos a visão dos dois principais coadjuvantes. E isso enriqueceu a série consideravelmente. Primeiro porque os tais coadjuvantes são excelentes. Joshua Jackson é um ator talentosíssimo, que exala confiança. Maura Tierney é o tipo de atriz que aposta na simplicidade, na atuação contida. E ela não decepciona. Ao tornar-se ponto vital dentro da trama, Tierney aproveita para desenvolver o papel e mostrar-se relevante no contexto. Ainda assim, é a que parece ter menos chances na corrida. Primeiro porque The Affair foi duramente esnobada pela premiação, o que é irônico, já que foi a grande vencedora da edição passada. Para completar, a concorrência contra Uzo e Regina é fortíssima. Sua atuação minimalista, de poucos estouros, não deve vingar em uma categoria tão disputada. Se ganhar, porém, será uma grata surpresa.

 

Quem foi esquecido?

Hugh Dancy de Hannibal faz uma tremenda falta ai! (Carol)

Billie Piper, gente? E Rory Kinnear?! Penny Dreadful podia levar mais indicações, hein.

Mesmo que Joanne Froggatt mereça a indicação, Laura Carmichael também foi uma das grandes surpresas nas temporadas mais recentes de Downton Abbey e deveria compor a lista. (Leo)

Cadê Michael Kelly, que roubou cenas em House of Cards? E pior: cadê Jonathan Banks, uma das melhores coisas de Better Call Saul? Na ala feminina não o que reclamar, já que o Globo de Ouro não caiu em armadilhas fáceis como Emilia Clarke. (Matheus)

Quem vai ganhar?

Slater eu queria que levasse, mas Lewis é capaz de ganhar. Nas mulheres lindas eu gostaria que Aduba ganhasse mas Froggatt está melhor segundo a crítica. (Carol)

Dentre os atores, Ben deve ser o vencedor, com Slater ameaçando a vitória. No lado das atrizes, a briga está entre Uzo e Regina, com ligeira vantagem para a primeira. (Matheus)

Entre os homens, Ben Mendelsohn fez um bom trabalho em Bloodline, mas quem deve levar é Christian Slater. Para as mulheres, minha aposta é para a brilhante Uzo Aduba. (Leo)

Gente, as mulheres tão varrendo as categorias ou é impressão? Apostar em uma só, mesmo com algumas que já ganharam anteriormente ou em outros prêmios, parece sacrilégio! (Amanda)

 

E você, qual sua aposta para melhor ator e atriz coadjuvantes? Compartilha com a gente!

Equipe Mix

Equipe Mix

Perfil criado para realizar postagens produzidas pela equipe do Mix de Séries.

No comments

Add yours