Gotham – 2×17 – Into The Woods

Gotham 2x17 review
Imagem: FOX

 

Continua após publicidade

Após escapar de Blackgate, o detetive Gordon tinha apenas um propósito: provar ao mundo de que era inocente às acusações da morte de Pinkney. E foi exatamente atrás desta prova que Jim correu atrás durante “Into The Woods“. O episódio desta semana conduziu muito bem o terreno preparado nos dois episódios anteriores e, ainda bem, recuperou o fôlego que a temporada vinha tendo. Foi um episódio que, em muitos sentidos, avançou e concluiu alguns arcos.

Continua após a publicidade

Gotham tem mostrado nesta temporada que sabe dosar seu texto entre a leveza do humor e o peso do drama. Cenas como a de Bullock tendo que ficar com uma policial da corregedoria, para conseguir a gravação da denúncia à Gordon, trouxeram a graça que equilibrou muito bem com a tensão para saber se Jim descobriria que fora Edward a pessoa que o incriminou.

Continua após publicidade

Confesso que, assistindo ao episódio, achei que Ed fosse conseguir escapar, ou que, arrastariam o arco para mais um episódio. Porém, algo está claro no texto da série – eles são curtos e grossos. Estou começando a enxergar isso com bons olhos, afinal, quem aí gosta de série arrastada não é verdade? Com a ajuda de Barnes e Bullock, Jim conseguiu mostrar que o “Charada” matou a srta. Kringle e ainda incriminou para o detetive. Agora, com o vilão preso e sua licença de volta, Jim ainda tem mais um grande desafio a enfrentar: fazer com que Lee volte para ele, mas não sem antes finalizar o caso dos Wayne. Ainda tem pano para manga aí, hein?

Já no outro núcleo vilanesco, tivemos a libertação de Barbara do Asilo Arkham, que Hugo Strange revelou nem ele mesmo saber o porquê. Fazendo parte de um experimento, acontece que, Barbara foi parar na porte de Jim, e estou até curioso para saber o que irá acontecer ali.

Continua após publicidade

Porém, desta vez, Pinguim voltou a roubar a cena de Gotham. E já era tempo não? Estávamos com saudades do psicopata que aprendemos a amar desde o piloto e, após descobrir que a esposa de seu pai foi a culpada pela morte do patriarca Cobblepott, Oswald voltou a ser o que era. Achei de uma frieza sem tamanho ele matar os jovens e cozinhá-los para Grace, que acabou morrendo pelo próprio veneno. Foi bacana a participação de Melinda Clarke na série, mas uma pena ela não ter contracenado com Ben McKienzie e proporcionado uma reunião de The O.C. para o público.

Ah, não posso esquecer de Bruce que, além de ajudar na trama de Jim, conseguiu acessar o computador do pai e decidiu voltar a morar na Mansão Wayne, abandonando Selina de uma vez por todas. Ainda não consigo achar graça no plot do pequeno Bruce orelhudo (sim, as orelhas dele me incomodam), que a cada episódio mostra saber mais do que deveria saber. Até pular de prédio ele já está pulando. Mais uma vez, cadê o Bruce com medo de morcego? Assim vai ficar difícil ele virar o Batman!

Mais um bom episódio que colocou Gotham nos trilhos novamente, após dois episódios um tanto mornos. Valeu a pena esperar e já estamos em ritmo de reta final. Faltando quatro episódios para a season finale, as coisas parecem que vão esquentar – ou esfriar (com o retorno de Mr. Freeze) ainda mais. Estamos animados e vocês?

 

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=Cxbi8kyhY4A[/youtube]

Criador do Mix de Séries, atua hoje como redator e editor chefe do portal. Especialista em SEO e construção de textos para internet, também atua como webwriter com foco em textos para o Google. Autor na internet desde 2011, passou pelos portais TeleSéries e Box de Séries. Fã de carteirinha de Friends, ER e One Tree Hill, é aficionado pelo mundo dos seriados. Também é fã de procedurais, sabendo tudo sobre o universo das séries Chicago, Grey's Anatomy, e séries de sucesso como La Casa de Papel e Lucifer. Também é fã da DC Comics, e acompanha produções inspiradas em personagens da editora, como Titans e até o mais recente produto da editora, Sweet Tooth.