Mix Lista: 6 séries canceladas na primeira temporada

Todo ano temos uma lista enorme de séries canceladas. Algumas merecem acabar, outras, contudo, merecem uma segunda chance. Mas a TV é território difícil e muitas vezes injusto. Com o passar dos anos, ótimos programas ficam pelo caminho deixando diversos fãs órfãos. Há algo bom nisso: séries canceladas prematuramente acabam se tornando cults, sendo revistas e debatidas por anos sem que pontos fracos sejam abordados (muitas são canceladas muito antes de qualquer eventual tropeço); além disso, esses programas se tornam ótimos para maratonas, já que poucos capítulos foram produzidos. Assim, confira nossa lista com 6 (dentre várias) boas séries canceladas ainda no primeiro ano.

Firefly

Fonte: Fox

Quando falamos em séries canceladas muito cedo, logo lembramos de Firefly. Esta talvez seja a série de apenas uma temporada mais aclamada e discutida da história. Além da qualidade inquestionável, Firefly levanta algumas importantes discussões sobre a televisão e suas engrenagens. Pra começar há a principal e mais dura constatação: a TV não está preocupada com qualidade. Parece exagero, e a verdade é que a indústria tem mudado muito nos últimos anos, mas no fim, para os grandes empresários e produtores, o que vale é a audiência, não o roteiro do programa. A ficção de Joss Whedon era impecável narrativa e tecnicamente, mas o canal começou bagunçando tudo ao exibir capítulos fora de ordem. A audiência, embora quisesse, não conseguia acompanhar. O custo de produção elevado, a audiência baixa e a total falta de noção fizeram Firefly não ser renovada.

Continua após a publicidade

Freaks and Geeks

Imagem: NBC

Freaks and Geeks é outro ótimo exemplo de série cancelada ainda na primeira temporada. A diferença desta para Firefly, por exemplo, é que Freaks teve, de certa forma, uma conclusão. Não foi o desfecho ideal, mas ao assistir a série é possível ter um ótimo sentimento de narrativa completa, com início, meio e fim. Isso não muda o fato deste ser um dos cancelamentos mais injustos da televisão. Freaks é um dos mais belos retratos da juventude, e seu maior acerto é saber falar sobre os jovens sem fixá-los em um período temporal específico, ou seja, o programa atinge adultos que já foram adolescentes e jovens que recém entraram nesta fase. Isso porque há amor e sensibilidade em cada palavra e cena deste incrível projeto.

Invasion

Fonte: ABC

Invasion surgia em 2005, na efervescência de Lost, e embora não tivessem quase nada em comum, Invasion tentava ir no embalo, segmentando o boom da TV aberta. Pois goste ou não, Lost foi para a TV aberta moderna o que The Sopranos foi para a TV a cabo: uma reinvenção. Invasão, como foi chamada no Brasil, tentava seguir a ideia de série longa (mais de 20 capítulos) com roteiro intrincado e inteiramente conectado. Não havia espaço para procedural, para o monstro da semana. Assim como na série da ilha, Invasion investia em capítulos intimamente conectados entre si: o início de um era o fim do anterior e assim a história se desenvolvia, criando um longo arco, semana após semana. A audiência talvez não tenha se convencido e a emissora não viu ali uma mina de ouro. Resultado: cancelamento de uma série viciante.

Reunion

Fonte: Fox

Se a televisão fosse feita de boas ideias ou intenções, não existiriam tantas séries canceladas. Reunion, por exemplo, de 2005, tinha uma ideia genial: na trama, um grupo de seis amigos se encontra para o vigésimo aniversário de formatura. Tudo vai bem até que um deles morre e os outros tornam-se suspeitos. Parece clichê e é, mas a série oferecia uma estrutura até então inédita ou pouquíssimo explorada: cada episódio se passaria em um ano diferente, começando em 1986, logo após a formatura. Assim, veríamos um pouco sobre os personagens, a amizade entre eles e seus segredos, tentando montar um quebra-cabeças engenhoso e buscando a verdade. Com 13 capítulos, Reunion chegou até o ano de 1993, não sendo renovada e deixando muita coisa para trás.

Flashforward

Fonte: ABC

Em 2009 muitas séries já tentavam ser a “nova Lost“. E não há mal nenhum nisso! Embora alguns teimam em criticar, é natural que novas produções queiram seguir caminhos já estabelecidos e seguros. Não foram – e não são – poucos os programas que tentaram surfar no sucesso de Lost. O grande barato é que muitas não dividiam quase nada em termos de narrativa, mas possuíam certas características em comum: Flashforward, por exemplo, ia e voltava no tempo incessantemente, montando um quebra-cabeças cheio de personagens. A edição e trilha sonora eram bem semelhantes, mas no fim era uma história independente e segura de si. Começou muito bem, com audiência surpreendente. Caiu tão rápido quanto cresceu e foi cancelada antes do merecido.

Studio 60 on the Sunset Strip

Fonte: NBC

Aaron Sorkin sempre se interessou pelos bastidores, pelas engrenagens das coisas. Ele falou sobre os bastidores da presidência americana, dos bastidores de um programa de esportes e até mesmo da criação do Facebook. Foi por gostar, também, do que se passa literalmente atrás das câmeras de TV que ele criou Studio 60 in the Sunset Strip, sobre os bastidores de um programa de comédia. O texto é clássico de Sorkin: diálogos e mais diálogos numa agilidade absurda, versado em referências e humor bem trabalhado. A abordagem não casou tão bem com a audiência e embora estivesse tudo no lugar, o canal resolveu acabar com o projeto.

Matheus Pereira

Matheus Pereira

Gaúcho, estudante de jornalismo e viciado em séries. Tem séries pra assistir de mais e tempo de menos. Séries favoritas? Six Feet Under e Breaking Bad.

4 comments

Add yours
  1. Eduardo Nogueira
    Eduardo Nogueira 31 maio, 2017 at 07:30 Responder

    Pra mim além dessas, também tem a saudosa e mega subestimada Ringer, que até hoje não me desce o cancelamento

  2. Anderson Narciso
    Anderson Narciso 31 maio, 2017 at 08:18 Responder

    Ótima lista! E realmente, muitas delas se tornaram cults. Talvez seja o fardo de apenas uma temporada hahaha

  3. Avatar
    Juk 31 maio, 2017 at 13:02 Responder

    Uma lista triste dessas bicho :'(
    Tem também The Whispers, Twisted e Stalker (uma das minhas séries preferidas até hoje)

Post a new comment