Modern Family – 8×09 – Snow Ball

Imagem: Arquivo pessoal

Imagem: Arquivo pessoal

Continua após as recomendações

 

“Você é mesmo a filha do seu pai.”

Ajude-nos a te ajudar, Modern Family. Fica até cansativo falar isso quase toda a semana, mas parece que a cada episódio você nutre uma esperança de que vai ser bom e nada. Nem com a participação de Vanessa Bayer, no papel de Marjorie, nem sendo um dos episódios de datas especiais, nem sendo uma winter finale “Snow Ball” (8×09) conseguiu arrancar risadas. No geral, arrancou sorrisos meio amarelo com as tantas piadas fora de tom e situações sem grandes propósitos, como aquela história de Luke e Manny inventando uma história para arrecadar dinheiro. Jura, pessoal? Isso era o mais inusitado que poderiam criar? Se um esquema de corrupção no ensino médio, envolvendo o presidente estudantil, era uma piada da conjuntura política não funcionou.

Continua após a publicidade

Outra trama atravessada foi a envolvendo Gloria, Claire, Marjorie e, posteriormente, o diretor Brown. Não sei se é porque estavam todos em um baile de ensino médio, mas todos estavam se comportando como adolescentes, tais quais. Desnecessário ter que ouvir de mulheres tão modernas que Marjorie precisava de uma homem para relaxá-la. Tão desnecessário quanto ter que engolir a preferência do diretor Brown por Gloria pelo estereótipo de beleza que ela representa. Cade aquela série mais consciente de sua mensagem?

Assim como outras vezes falei da chatice que está ver Manny sendo o diferentão, a dinâmica entre Phill e Jay parece estar indo pelo mesmo caminho. O que gerava boas interações e boas piadas ao trazer um Phill desesperado pela aprovação e pela amizade do sogro não conseguiu ser salva nem pela performance na jacuzzi de “The Lion Sleeps Tonight”. Tinha muito potencial para uma boa história, mas ficou na mesmice. Depois de tantos anos, seria legal ver essa dinâmica se invertendo.

Para não dizer que tudo foi péssimo, Cam e os ataques esperando pelo trote salvaram o episódio simplesmente por ser Cam, não porque se corrobora com a prática do trote como demonstração de afeto. Há outras brincadeiras mais saudáveis do que a humilhação pública, com certeza.

Teve também Mitch enfrentando seus fantasmas do ensino médio e confesso que foi uma parte que me agradou, ao retratar um comportamento em crescente dos adolescentes que se valem do bullying como defesa pessoal, numa lógica “vou atacar antes  que me ataquem”. Mitchell bem que tentou conversar com o adolescente, mas não teve jeito e acabou usando do próprio bullying para tentar um resultado, ao prender o garoto no armário. Jay e Phill acabaram salvando o menino,  que continuou disparando ofensas. Percebem quando a ironia funciona?

Ao final do episódio, fiquei me perguntando o que leva uma série tão premiada a chegar a esse ponto de conseguir fazer vários episódios tão ruins, tão fracos e se perder na sua própria proposta. No mais, a gente fica por aqui, esperando o retorno da temporada dia 05/01/17 e torcendo para que melhore, e muito.

Nenhum comentário

Adicione o seu