Preso em Nova York, Harvey Weinstein é liberado após pagar fiança de U$ 1 milhão de dólares

Imagem: Associated Press

Continua após as recomendações

Poderoso produtor de Hollywood se entrega à Polícia

O produtor de cinema Assédio sexual se entregou à Polícia nesta sexta-feira, 25, na cidade de Nova York, nos Estados Unidos. Weinstein enfrenta acusações de crimes sexuais, incluindo estupro, feitas por mais de 70 mulheres da indústria audiovisual de Hollywood.

Weinstein deixou a delegacia algemado, escoltado e sorrindo em direção ao tribunal.  Lá, o acusado teve a fiança estabelecida em U$ 1 milhão de dólares (cerca de R$ 4 milhões de reais) e condenado a usar uma tornozeleira de monitoramento eletrônico enquanto aguarda julgamento.

Continua após a publicidade

A Polícia de Nova York emitiu um comunicado oficial sobre a prisão:

O NYPD agradece a essas corajosas sobreviventes pela coragem de se apresentar e buscar justiça. A prisão e as acusações são resultado de uma investigação conjunta entre o Departamento de Polícia de Nova York e o Gabinete do Procurador do Distrito de Manhattan”, diz a mensagem publicada no Twitter.

Continua após a publicidade

Apesar das dezenas de denúncias feitas, Harvey deve ser acusado oficialmente apenas por três incidentes, entre eles um envolvendo a atriz da série Boardwalk Empire, Paz de la Huerta. Ela afirma que o produtor a estuprou duas vezes, em 2010 e 2014.

Outra acusação envolve uma estudante universitária, que alega que Weinstein a obrigou a fazer sexo oral nele.

O caso Harvey Weinstein 

As primeiras denúncias contra o co-fundador do estúdio de cinema Miramax surgiram em outubro de 2017. Atrizes como Cate Blanchett, Gwyneth Paltrow, Uma Thurman e Lupita Nyong’o revelaram terem sido assediadas sexualmente pelo produtor, considerado um dos mais poderosos da indústria.

Denúncias geraram movimento mundial

As denúncias contra Harvey Weinstein geraram uma onda de outras denúncias ao redor do mundo. Homens e mulheres começaram a compartilhar suas experiências sobre assédio sexual, o que criou o movimento #MeToo.

Nomes como Kevin Spacey, Dustin Hoffman, Ed Westwick, Louis C.K. e Jeffrey Tambor, e recentemente o ator Morgan Freeman, foram expostos.

Continua após a publicidade

LEIA MAIS: 94% das mulheres em Hollywood já sofreram assédio

Italo Marciel

Italo Marciel

Cearense, 28 anos. Jornalista especialista em Assessoria de Comunicação. Viciado em séries desde que se entende por gente e apaixonado por cinema. O cara que fica feliz em indicar uma boa série ou um bom filme para os amigos.

1 comment

Add yours
  1. Law & Order: SVU: 7 episódios essenciais para maratonar - Mix de Séries 22 maio, 2020 at 11:07 Responder

    […] Bill Clinton ainda era presidente dos Estados Unidos. Muito antes do movimento #MeToo derrubar Harvey Weinstein e Leslie Mooves, a série já era pioneira em falar sobre estupro, violência doméstica e […]

Post a new comment