Ringue Mix: O menino e o herói

Foi sem querer querendo que ele moldou nossa infância, e foi um baque para todos quando Roberto Bolaños, o eterno Chespirito para os mexicanos, Chaves ou Chapolin, para os brasileiros, nos deixou na última sexta-feira (28). Em vida, Bolaños não conseguiu ser imortal (apesar dos fãs sempre acharem que isso seria possível), mas em nossas memórias ele viverá sempre que alguém soltar no seu dia a dia frases como “preferia ver o filme do Pelé” ou “Pepe, já tirei a vela”.

Continua após as recomendações

O Ringue Mix especial de hoje fala sobre os dois mais famosos e icônicos personagens desse verdadeiro mito: Chaves e Chapolin. E sem saber que era impossível, nós fomos lá e fizemos esse post polêmico e cheio de saudade. Sigam-me os bons!

 

Continua após a publicidade

MIX-RINGEChavesChapolin

 

De um lado do Ringue…

Chaves (El Chavo del Ocho)

8 temporadas (1971 – 1980)
290 episódios
Criado por: Roberto Bolaños

chaves-tristeChaves contava a história do menino de rua de mesmo apelido (seu nome nunca é revelado) de apenas 8 anos, que cansado de viver nas ruas resolve se mudar para um vila. Lá ele dorme em um barril, e aos poucos começa a ser aceito pelos moradores do local. Com o tempo ele encontra dois grandes amigos, Quico e Chiquinha (que inclusive lhe dá suas botas no primeiro capítulo) e eles começam a viver “altas aventuras”.  Baseado no clássico modelo de sitcom, que explora as relações humanas em um mesmo espaço, Chaves foi um grande sucesso desde sua estreia, em 20 de junho de 1971 (como série independente durou até 1980) até 1992, quando já no programa Chespirito, foi ao ar seu último episódio.

Aparentemente simples, Chaves poderia ser bem complexo. A “grande sacada” de Bolaños era exatamente essa, de usar um molde simples para tocar em questões sérias de qualquer sociedade, como os meninos de rua e o quanto eles precisam de amparo. Aliás, se você olhar Chaves sem o viés do humor, verá que é a história de pessoas solitárias buscando apoio e um sentido para a vida. Mas como não estamos olhando por esse ponto, é bom lembrar como é fácil rir com Chaves.

Com personagens protagonistas e coadjuvantes que poderiam realmente ser seus vizinhos, as histórias e as piadas surgem naturalmente, e até as situações mais banais como uma casa cheia de goteiras, pode ser engraçada. O mais legal no fim é mesmo que os personagens cogitassem seguir por um caminho que não fosse o correto, o programa tratava de mostrar qual seria a titude correta para cada situação. Era uma liçãozinha de moral no final que nos moldou como pessoas. Fazendo a linha tiazona vou dizer que SIM, TODAS AS CRIANÇAS DEVERIAM ASSISTIR CHAVES e aprender como ajudar o próximo e perdoar os erros dos outros é tão essencial para o mundo ser um lugar melhor. Afinal a “vingança nunca é plena, mata a alma e a envenena.”

 

Do outro lado do Ringue…

Chapolin (El Chapulín Colorado)

7 temporadas (1970 – 1979)
253 episódios
Criado por: Roberto Bolaños

Fonte: forumchavesUm herói humano, cheio de defeitos e sem nenhum poder especial, esse era Chapolin, que surgiu em uma época manchada pela Guerra Fria, onde a desvalorização dos latinos era tão evidente. Para nós que éramos crianças quando vimos, certeza que as questões histórias passaram bem desapercebidas. Mas para quem já pesquisou um pouco sobre a série, sabe que mais do que piadas, com Chapolin, Bolaños fez uma crítica duríssima à sociedade. Bom, mais uma vez deixamos claro que no fim para nós o que mais interessa é a parte engraçada, e nisso a saga do astuto Chapolin supera a de qualquer outro herói.

“Chapolin não tem as propriedades extraordinárias dos super-heróis: é tonto, desastrado e medroso. Mas também é um herói porque supera o medo e enfrenta os problemas e é aí que estão o heroísmo e a humanidade”, palavras do próprio criador. Chapolin era um criador compulsivo de bordões, como os clássicos “Não contavam com a minha astúcia” ou “não priemos cânico”. E tão icônicos quanto os bordões, era os coadjuvantes, como o Pirata Alma Negra, Tripa Seca, Quase Nada e muitos outros.

Exibido pela primeira vez em 1971 já dentro do programa Chespirito, a série do herói que detectava o perigo com suas anteninhas de vinil chegou ao fim em 1979. Deixando uma leva gigante de episódios inesquecíveis.

 

Fight

 

Tão diferentes e tão parecidos, os dois flertavam constantemente com o politicamente correto, mas cada um seguia um caminho diferente após esse confrontamento. Chaves era mais leve e todos os personagens tinham participação essencial na resolução do problema, apontando sempre para um resultado mais correto, como um ensinamento. Já Chapolin era mais irônico, debochado e o resultado nem sempre era o correto, moralmente falando.

As duas séries tinham como alma o protagonista, mas também contavam com coadjuvantes sensacionais. Chapolin tinha os já citados Pirata Alma Negra, Super Sam (o herói americano que carregava um saquinho de dinheiro), entre tantos outros. Em Chaves, os destaques ficavam para Seu Madruga, Quico, Chiquinha, Dona Florinda, Godines e Sr. Barriga.

Mesmo contando com um ritmo mais intenso e com alguns episódios que precisavam de uma segunda parte para se resolver, Chapolin era uma série de episódios únicos, sem ligação um com o outro. Já Chaves também era fechada por episódio, mas tinha um caráter maior de continuidade, devido a presença constante dos mesmo personagens.

As duas séries de humor nasceram praticamente juntas, mas Chaves teve mais vida televisiva, durando até 1992. Chapolin acabou em 79 e não retornou mais.

 

E o vencedor é…

Mais uma disputa acirrada aqui no Ringue Mix. As duas séries possuem muitas características que Bolaños achava necessário, como um protagonista com “boas intenções” mas totalmente anti-herói. E isso fica mais evidenciado em Chaves do que em Chapolin, já que o menino de rua encontra sempre apoio para não se perder.

Outra característica são os personagens coadjuvantes extremamente ricos, cheios de nuances. Os cenários e histórias de Chapolin também são muito criativos, brincando com grandes clichês do entretenimento. Mas Chaves era bem mais consistente em sua história, e na possibilidade de criar uma mitologia própria, e por isso o grande vencedor desse Ringue Mix é Chaves!

 

ko-chaves

3 comentários

Adicione o seu
  1. Avatar
    Rubens Rodrigues 2 dezembro, 2014 at 21:53 Responder

    Eu comecei a ler o post com a certeza que Chaves venceria por ser a série e o personagem mais icônico, porém, Lê, você foi lembrando alguns motivos que também fazem Chapolin ser tão incrível quanto el Chavo. No fim eu já não tinha a mesma certeza de quem venceria, hahah. Parabéns pelo Ringue Mix ICÔNICO. Bolaños já era imortal e você fez questão de lembrar isso!!! <3

Post a new comment