Shooter – 1×03 – Musa Qala

Imagem: Netflix/Divulgação

Imagem: Netflix/Divulgação

Continua após as recomendações

Agora sim O Atirador faz jus ao seu nome! Tudo o que eu esperava de continuidade ao capítulo anterior aconteceu e com grandes surpresas para o público. Destaque para a onipresença de Swagger. O cara simplesmente consegue aparecer onde quer e quando bem quer, bem debaixo da polícia que tramou contra ele, ou mesmo do FBI. Muito fofo o encontro dele com a esposa, o que serviu apenas para refirmar ela como uma mulher de fibra e não apenas “recatada e do lar”.

Derrubar o celular do Isaac logo nos minutos iniciais foi demais! Precisávamos dessa reafirmação. Ele está no controle da vida dos outros, mas não possui sobre a sua própria, já que foi privado da sua liberdade, e por pouco não foi também privado de sua existência. Ao ver essa situação, ele resolve ligar para o contato obtido na cadeia para proteger sua família. Pois é, amigos, não se enganem. Mesmo heróis pagam um preço caro por segurança. 100 mil dólares ou nada feito.

Continua após a publicidade

Imagem: Netflix/Divulgação

Imagem: Netflix/Divulgação

Pegando esse gancho, essa trama de russos usarem os americanos para atacar o presidente ucraniano foi bem estruturada, mas ainda não teve qualquer evolução para descobrimos a motivação disso tudo. Mesmo sem saber disso, temos a certeza de que essa é só a ponta do iceberg. A agente Memphis está ganhando cada vez mais espaço para descobrir o que está de fato acontecendo e será apenas questão de tempo até ela ser identificada como ameaça e ser forçada a sair de campo.

Os momentos finais, que incríveis! A cena me lembrou quando Walter White, em Breaking Bad, explode o prédio para se livrar de uma emboscada. A diferença aqui foi que Swagger não queria detonar ninguém a não ser ele próprio. Sombrio a princípio, mas sabíamos da verdade: Ele arquitetou sua morte fictícia para ter paz e poder trabalhar sem ser perturbado em busca da verdade. Memphis é a única que sabe da verdade e tem a escolha de contar ou não o que sabe.

Uma menção honrosa ao oficial Timmons. Ele era um grande babaca, mas não merecia uma morte como aquela. Sua morte encobre o verdadeiro “vilão” do plano, além de Isaac, que é o policial Jack Payne. Ele tem aparecido pouco e se mostrado mais cauteloso nessa busca. Mas garanto que seu ego irá falar mais alto e ele vai atrás do nosso atirador.

Nenhum comentário

Adicione o seu