Teu Passado Te Condena: Wagner Moura

Imagem: Globo/Reprodução
Imagem: Globo/Reprodução

[spacer height=”20px”]

Continua após publicidade

Sempre comentamos o passado de vários atores e atrizes filhos do Tio Sam, mas hoje decidimos homenagear um filho da nossa terra, com toda sua baianidade, todo o seu talento explosivo e muita história para contar.

Continua após a publicidade

Hoje iremos revirar o passado de Wagner Moura que, apesar de ter uma carreira sempre em ascensão, nem sempre esteve em papéis dignos de concorrer ao Globo de Ouro. Vem comigo! OBS: são incontáveis os trabalhos do ator, então certamente vocês não verão todos aqui na coluna. Separamos os mais interessantes e relevantes para comentarmos!

Continua após publicidade

 

A carreira de Wagner Moura é de deixar qualquer ator morrendo de inveja. Ele já fez novelas, peças de teatro, muitas séries e inúmeros filmes, aliás, sua carreira no cinema sempre esteve em alta. Pouco se via Wagner em novelas, já que sempre foi um ator que buscou grandes papéis e histórias diferentes. Do Brasil para o mundo, Wagner tem sido descoberto pelos fãs, pela crítica e promete surpreender pela frente.

Continua após publicidade

Vamos dar início ao Teu Passado Te Condena hoje lá no ano de 2003, quando Wagner participou do seriado Sexo Frágil, da Globo. Aqui vale dizer: Wagner adora fazer papéis em que se veste de mulher e isso mostra sua versatilidade na hora de atuar. Eu gosto muito dos trabalhos do ator, acho que ele consegue lidar com qualquer trabalho que lhe for proposto e ele prova isso com maestria em suas atuações. Sexo Frágil tinha um humor cult, não era para todos e é a cara do Wagner, que tem esse ar cult e não gosta de coisas óbvias. Confere aí um pedacinho!

 

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=Dxjg_zrEqBw[/youtube]

 

Continuamos em 2003, com um dos meus filmes nacionais preferidos: Carandiru. E é óbvio que um filme com uma história tão forte, exigia grandes atores. Ao lado de Rodrigo Santoro, que também embarcou no sucesso da carreira internacional, Wagner arrasou e deu um show de interpretação, mostrando que tinha talento de sobra para ingressar em uma carreira internacional, em qualquer papel. O filme fez história e com eles os atores, que ficaram marcados por um trabalho incrível e épico.

 

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=-3tRuygLOJg[/youtube]

 

É cilada, Bino! Mas não era não. Wagner, em 2004, foi convidado para fazer uma participação mais do que especial na série da Globo, Carga Pesada, ao lado de Antônio Fagundes e Stênio Garcia (aquele dos nudes). Essa foi uma série que eu, particularmente, nunca gostei, mas as histórias eram boas, sempre com grandes atuações e essa reunião de elenco foi maravilhosa, para falar o mínimo.

 

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=7O9tS9p_aOA[/youtube]

 

Pulamos então para 2006, em mais um trabalho incrível de Wagner Moura e que deixou todos os holofotes brilhando para ele. O ator interpretou o ex presidente Juscelino Kubitschek quando jovem, na minissérie JK, também da TV Globo. Ele foi seguido por ninguém menos que o saudoso Zé Wilker (RIP). Mais uma grande história, que fez um sucesso enorme na época e é lembrada até hoje por suas grandes atuações e Wagner, mais uma vez, não deixou a desejar. Em todos os seus trabalhos ele mostrava como era um grande ator e toda sua versatilidade e como Juscelino não foi diferente. Ele deu vida ao político e deixou uma grande marca em mais um trabalho.

 

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=mAW6mFmwixw[/youtube]

 

Em 2007, Wagner estava com tudo e emplacou três trabalhos que fizeram muito sucesso. Todo mundo já ouviu falar em Ó, Pai, Ó, filme em que o ator atuou ao lado de Lazaro Ramos mais uma vez – a primeira foi em Carandiru – e foi neste ano que ele fez o saudoso Olavo, da novela Paraíso Tropical, ao lado de Camila Pitanga, a inesquecível Bebel. A novela em si foi bem ruim, mas assistia só por causa do casal, que arrasou na química e na atuação e foi nesta época que me apaixonei por Wagner. Não acompanhava muito o seu trabalho até então, mas Olavo me conquistou e mostrou que o ator tinha jeito para drama, mas para comédia também e fez um cafajeste inesquecível.

 

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=Ap_AWvHXznY[/youtube]

 

Tudo muito lindo e ficou ainda mais em 2007, quando Wagner foi convidado para protagonizar o filme que mudaria sua vida e se tornaria o marco zero de sua carreira. PEDE PRA SAIR! Mas ele não pediu! Ficou e interpretou o Capitão Nascimento, no filme Tropa de Elite, que foi um sucesso estrondoso, concorreu à prêmios e deu uma visibilidade gigantesca para o ator, que se transformou naquele cara horrível do filme e gerou conflito de emoções em todo mundo que assistiu. O sucesso foi tanto que em 2010 foi lançado a continuação, Tropa de Elite 2, que não teve um buzz tão grande quanto o primeiro, mas também deixou sua marca. Este foi um dos melhores papéis da vida de Wagner, que deu um show de atuação cada minuto.

 

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=DyhbAXQQulc[/youtube]

 

Pulamos, então, para 2011, quando Wagner emplacou mais um sucesso no cinema, mas aqui preciso fazer um comentário: péssima escolha de filme. Ao lado de Aline Moraes, eles protagonizaram O Homem do Futuro, que recebeu boas críticas, mas eu achei bem ruim. Achei que o papel não favoreceu em nada o ator, que tinha muito mais do que aquilo para entregar. O mesmo para Aline, que também não estava no seu melhor momento. Wagner é um grande ator, mas nem sempre as escolhas do papel são as melhores e se algum passado tinha que condenar, Homem do Futuro certamente se encaixa nesse requisito (na minha humilde opinião). O grande problema aqui não foi a atuação, porque ele estava ótimo, mas simplesmente não teve uma química entre ator e personagem, faltou um algo a mais que foi importante.

 

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=4Kg30xP_ZMU[/youtube]

 

Não há o que se falar em relação à carreira de Wagner Moura, ele é um sucesso, um cara iluminado, um grande ator e não é a toa que, finalmente, foi reconhecido. Ele está na melhor fase da sua carreira desde o ano passado, quando deu vida à Pablo Escobar, em Narcos. De todos os atores possíveis, Wagner foi o escolhido e fez – está fazendo na verdade – bonito. Concorreu ao Globo de Ouro de melhor ator e foi uma pena não ter levado, porque merecia. Se transformou em Pablo, encarnou Pablo, trabalha com uma atuação impecável e conquistou o mundo e fez sua carreira internacional. Agora ninguém mais para Wagner Moura, que continuará sendo um grande sucesso.

 

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=lp_D6Cm4-ls[/youtube]

 

Pessoal, por hoje ficamos por aqui. Obrigada pela visita e nos vemos na próxima semana. Beijos e até lá!