The Good Wife – 5×18 – All Tapped Out

All Tapped Out-TGW

Imagem: CBS/Divulgação

A melhor coisa sobre All Tapped Out é que foi hilário! É o terceiro episódio desde que Will Gardner faleceu; ainda é trágico, mas a vida continua, não é verdade?!

Um episódio como este monstra o quanto The Good Wife é multifacetado. O processo de luto por Will continua em ritmo acelerado neste episódio. Acredito que se pode chamar de luto Kalinda arremessando uma bola de beisebol em Louis Canning, certo?! (adorei aquilo!). Mas a série se destaca, também, em seus personagens saltando fora dos cenários que testam seus limites. Grande parte deste episódio é menos sobre luto imediato e mais sobre como esses personagens estão se confrontando com a vida após a Will, mesmo que isso signifique fazer acordos com o diabo, tomar medidas precipitadas e etc.

E finalmente, nossa querida Alicia acordou, sacudiu a poeira e seguiu em frente! Agora sim, ela voltou a ser a advogada excelente e genial que conhecemos, ao defender Finn Polmar. E estou gostando bastante deste novo personagem. Alicia ficou muito mais atraente aos olhos dele, durante seu discurso de defesa; dá para perceber a admiração dele. Será que vai rolar alguma coisa? Eu amo Will e ainda estou de luto, mas já estou shippando Finnlicia hahaha. Se der certo mesmo, os papéis se invertem. Antes, em Willicia, ela era a subordinada. Em Finnlicia, ela é a que manda! Seria muito interessante isso…

Mudando de assunto, embora eu gostasse de toda a história da NSA com os geeks espionando Alicia, sua família e seus negócios, eu fiquei contente de ver este caso chegando ao fim. Sem grampos, por ora. Foi fascinante ver Alicia descobrir a verdade, que culminou com a manipulação cruel de Peter; seu telefonema com o senador em que ele trouxe à tona um passado intransigente foi genial. E Eli Gold de joelhos idolatrando o chefe foi impagável! Comédia também foi a cena de Alicia ao telefone com Canning conversando sobre a Al-Qaeda.

TGW5x18

Imagem: CBS/Divulgação

Já na LG, houve uma fusão com, nada mais nada menos, que Louis Canning. E ele agora se considera o novo Will… Epa! Epa! Epa! Não gostei nem um pouco disso! Ninguém substitui Will Gardner! E tenho dito! Michael J. Fox é tão brilhante na sua atuação que faz com que seu personagem seja muito canalha. Louis Canning é o típico advogado que usa da sua doença para convencer o júri ou justificar qualquer ação sua. E pior, ele sempre consegue o que quer com estes joguinhos. Por isso, não confiei muito nas suas boas ações na LG (& Canning). Diane e Kalinda estão sendo manipuladas. Só eu penso assim? Acho ele é um babaca, mas ele pode trazer de volta aquela rivalidade entre LG e Florrick/Agos que tínhamos com Will presente. Não sei, não gostei nada nada desta fusão.

Por fim, a cena final do episódio foi particularmente intrigante. Alicia indo visitar Peter depois daquela briga da semana passada. Alicia e Peter conversam sobre os eventos políticos que deverão comparecer nos próximos meses. Ambos muito formais, extremamente profissionais, como tinham combinado… A pergunta é: até quando conseguirão manter isso?!

Fechando esta review, acredito, sim, que a série começou a se encontrar depois da tragédia do Will. É um pouco difícil superar, mas é por episódios como estes que esta série é admirada pelos fãs.

Paula Reis

Paula Reis

Advogada e concurseira de plantão, no Mix, é editora de reviews e colunas. É viciada em tudo sobre Game of Thrones e adora séries jurídicas.

6 comments

Add yours
  1. Avatar
    Dana Rodrigues 25 abril, 2014 at 22:53 Responder

    Amei o episódio! também achei hilário! Principalmente a parte da Al-Qaeda! Ri ALTO AHUAHUAHUHUA
    Expressou o que pensei também na review! Parabéns!! ^^

  2. Avatar
    Dana Rodrigues 25 abril, 2014 at 22:53 Responder

    Amei o episódio! também achei hilário! Principalmente a parte da Al-Qaeda! Ri ALTO AHUAHUAHUHUA
    Expressou o que pensei também na review! Parabéns!! ^^

Post a new comment

!!taboola footer2