Top Mix: As melhores majestades da TV

Imagem: Arquivo pessoal

Imagem: Netflix/Divulgação

 

Olá! Você assistiu a nova série da Netflix, The Crown? Série ótima e recomendadíssima pelo Mix – inclusive com reviews aqui no site. Além de ser viciante ver ascensão de Elizabeth II ao trono, aprendemos um pouco de história. Inspirados nesta onda monárquica, se nota várias séries que retratam períodos e governos de monarquia, como Downton Abbey e The Borgias. Mesmo que nenhum rei tenha se destacado nestas séries, a coroa é mencionada todo tempo e a história real é muito retrata. Há séries de reis da ficção também como Game of Thrones, que menciona o Rei Louco e aparece tantos outros na série.

Tentamos selecionar os melhores reis e rainhas da TV para o Top Mix de hoje. Não seria os melhores reinados, porque não tem como julgar, visto que iremos falar de majestades da vida real e da fictícia também. Mas, selecionamos os melhores personagens, os que tiveram um reinado de destaque e são bons representantes do sangue azul. Vamos conferir as melhores majestades da TV?

Continua após a publicidade

(Por Paula Reis)

 

Imagem: E!

Imagem: E!

10) Rainha Helena Henstridge (The Royals)

Apesar de parecer um pouco confusa quanto ao território que comanda ao diminuir o Reino Unido à Inglaterra, Rainha Helena é uma amostra de tudo aquilo que deu errado no sistema monárquico nos tempos da fogosa Maria Antonieta. Muitos gastos, muitos escândalos e, felizmente ou infelizmente, muito poder constroem o reinado daquela que um dia planejou a morte do marido para que o sistema não fosse abolido e continuasse gozando da riqueza do povo britânico. É verdade que nós ainda não sabemos se terá o mesmo destino da esposa de Luís XVI, mas que ela torna The Royals melhor e mais divertida, isso eu não tenho a menor dúvida, principalmente com a ajuda de uma performance deliciosa de Elizabeth Hurley. (Por Bernardo Vieira)

 

Imagem: The TV Addict

Imagem: The TV Addict

9) Rainha Mary Stuart (Reign)

Mary, interpretada pela doce Adelaide Kane, é uma Rainha que mostrou todo o poder que uma mulher pode ter. Rainha da Escócia, desde muito cedo, cresceu amando e sabendo que um dia teria que lutar pelo seu país. Com apenas 16 anos, se casou com Francis, que logo se tornou Rei da França e Mary, Rainha Consorte. Desde pequena, em Reign, Mary Stwart carregou um peso muito grande em suas costas, uma responsabilidade que poucas garotas da sua idade conseguiriam lidar. Mas ela, sempre com muita cautela, conseguia driblar os problemas e as dificuldades. As circunstâncias fizeram com que Mary amadurecesse rápido, mas ela nunca deixou de ser uma garota sonhadora e apaixonada. Amadureceu, teve que passar por cima de alguns princípios em troca de salvar o seu povo e seu país e suas escolhas foram o que a tornaram uma grande Rainha, uma marca feminina de poder e sucesso! (Por Jeh Mari)

 

Imagem: GQ

Imagem: Netflix/Divulgação

8) Rei George VI (The Crown)

Rei retratado também em “O Discurso do Rei” (filme maravilhoso), George VI é o pai de Margaret e Elizabeth, que o sucedeu como Elizabeth II. Como o segundo filho do rei George V, ele não era esperado para herdar o trono e passou sua vida no início da sombra de seu irmão mais velho, Edward. O irmão assumiu a Coroa como Edward VIII, após a morte de seu pai em 1936. No entanto, menos de um ano depois, Edward revelou seu desejo de se casar com a socialite americana duas vezes divorciada, Wallis Simpson, o que resultou na abdicação. George, com isso, sobe ao trono, agora Rei George VI, tendo que lutar bravamente para vencer o desafio pessoal da gagueira e se mostrar um líder preparado. Acompanhamos em algumas cenas em The Crown, interpretado pelo experiente Jared Harris, a hesitação de sua fala, como na nomeação de Philip à Duque de Edimburgo. George VI teve uma morte precoce, assolado com câncer de pulmão, resultando na ascensão de Elizabeth aos 25 anos. A Netflix arrasou mais uma vez inserindo personagens reais e história às séries, enriquecendo-as cada vez mais. (Por Michelle Costa)

 

Imagem: Blogtor Who

Imagem: Blogtor Who

7) Rainha Victoria (Victoria)

Talvez você nem saiba que a série Victoria existe, mas sim, ela existe e ela é maravilhosa. Como já devem imaginar, Victoria conta a história da jovem Rainha da Inglaterra, Victoria, que assumiu o trono e foi coroada com apenas 18 anos. Uma menina que foi obrigada a crescer da noite para o dia e se tornar uma mulher, governante de uma monarquia. Victoria assumiu com maestria o papel que lhe foi dado e provou para todos que era muito capaz de ser uma governante real. Ela era uma garota divertida, inteligente, tinha uma personalidade fortíssima e deixou sua marca dentre das melhores Rainhas que a Inglaterra já viu. Teve participação ativa em seu governo e nunca deixou ninguém passar por cima do que ela queria. Encontrou um parceiro de uma vida inteira, Príncipe Albert e durante muitos e muitos anos transformou a história dos britânicos para melhor. Na série, ela é interpretada pela lindíssima Jenna Coleman. (Por Jeh Mari)

 

Imagem: The Tudors Wiki

Imagem: The Tudors Wiki

6) Rei Henrique VIII (The Tudors)

Que a história da Dinastia Tudor da Inglaterra é fascinante, todo mundo sabe – ou pelo menos deveriam, prestando mais atenção nas aulas de história. Puxões de orelha à parte, a trajetória desta dinastia é marcada, principalmente, pela vida de Henrique VIII, um dos grandes reis da Inglaterra. Interpretado por Jonathan Rhys Meyers, o monarca de The Tudors poderia ser – fisicamente – um pouco diferente da imagem original, porém, sua excentricidade foi bem retratada durante as quatro temporadas do show. Não por isso, Henry se tornou um dos reis mais notáveis da TV, fazendo com que a Inglaterra se separasse da Igreja Católica, unicamente para que ele pudesse casar com seu grande amor – a amante, Ana Bolena, que no fim acabou sendo decapitada por suspeita de ter um romance com o próprio irmão. Henrique VIII teve, ao todo, 5 esposas, e muitas amantes. Mas ficou a frente de um reinado inesquecível, tendo como herdeira uma outra notável rainha, Elizabeth. (Por Anderson Narciso)

 

Imagem: Mix de Séries

Imagem: HBO/Divulgação

5) Rainha Margaery (Game of Thrones)

A Rainha Margaery, de Game of Thrones, diferente das demais majestades apresentadas até aqui, não existiu na vida real, mas existe no mundo de George R. R. Martin e se tornou uma das personagens mais importantes da série. Ela pertence a casa Tyrell, cuja matriarca da casa é a Lady Olenna, que chefia os negócios, as transações da família e sabe muito bem arquitetar planos contra seus inimigos. Margaery aprendeu com sua avó como ser uma mulher forte, destemida e maquiavélica, que sabe muito bem o que quer e, quando almeja algo, vai até o fim para conseguir. Ela não é o tipo de mulher que gosta de se subordinar a ninguém, quanto mais a homens, porque tem espírito de liderança e sabe como comandar. Apesar de ter se casado com Tommem, filho da Cersei, ela não se submetia a ele. Sendo assim, Margaery pode ser considerada como uma das mulheres mais importantes e relevantes de Game of Thrones. (Por Daniele Duarte)

 

Imagem: HBO

Imagem: HBO/Divulgação

4) Rainha Elizabeth I (Elizabeth I)

A coroa inglesa também foi retratada pela HBO na minissérie Elizabeth I, que conta a história dos quase 45 anos de reinado de Elizabeth I. A rainha tomou o poder aos 25 anos de idade e ficou conhecida como a Rainha Virgem, por nunca ter se casado. As razões são obscuras, mas ela foi bem querida e teve um bom governo. A minissérie retratou seu reinado em duas partes. A primeira quando ela se relaciona com o Conde de Leicester e a segunda quando se envolve com o Conde de Essex. Ela sempre foi muito temperamental, mas deu sorte por conseguir governar em um período de instabilidades e batalhas de países vizinhos. As disputas com a Espanha foram bem retratadas na minissérie. Mas Elizabeth I era carismática, criou um espírito de identidade nacional na população e conseguiu superar tudo. O que a tornou uma majestade de destaque foi esta fidelidade com o seu reinado e este único “casamento” com o povo. (Por Paula Reis)

 

Imagem: ABC/Reprodução

3) Rainha Regina (Once Upon a Time)

I shall destroy your happiness, if it is the last thing I do.” Regina, a Rainha Má, ou the Evil Queen, é de longe a melhor personagem em Once Upon a Time. Ela faz por merecer seu posto de rainha. Começamos a odiá-la na primeira temporada, e agora, meus amigos, garanto de muitos de vocês também gostariam de levá-la para casa, cuidar e proteger sua existência a todo custo. A Rainha é uma personagem cheia de personalidade e pronta para a liderança. Tanto que, independente de estar na Floresta Encantada ou em Storybrooke, assume posto de chefia. Lana Parrilla dá vida a uma figura icônica das histórias Disney com um primor digno das melhores atuações da TV mundial. Apesar de a série ter se perdido em meio a histórias sem sentido, ainda vale a pena assisti-la para ver as maldades (ou não) que ainda estão por vir da Evil Queen. (Por Wellington Torres)

 

Imagem: Super Interessante

Imagem: Super Interessante

2) Rei Ragnar (Vikings)

Ragnar teria sido filho de Sigurd Ring, um rei sueco que conquistou a Dinamarca. Ele é um poderoso guerreiro viking, que possui uma ligação direta com o próprio Odin e acredita estar destinado à grandes feitos. Ragnar é interpretado pelo talentoso Travis Fimmel, em Vikings, e é impulsionado não apenas pela sua sede de batalha e glória, mas também pela sua sede de conhecimento (explica um pouco seu grande amor por Athelstan). Fazendeiro e membro frequente das invasões pelo mar, Ragnar se mostra um aventureiro e visionário. Desde então, tem ascendido ao poder, começando com seus ataques bem sucedidos e infames ao Oeste. Mais tarde se tornou o Conde de Kattegat e, eventualmente, até mesmo o Rei da Dinamarca. O espírito aventureiro de Ragnar coloca-o em conflito com homens poderosos que tentam bloquear sua ascensão, de fazendeiro à líder a alturas incalculáveis. Vale a pena mencionar o grande número de filhos de Ragnar, que tornam seus feitos ainda mais memoráveis, como Bjorn Ironside, que compartilha dos mesmos desejos do pai de explorar terras distantes. Esse aí é Rei! (Por Michelle Costa)

 

Foto: Arquivo Pessoal

Imagem: Netflix/Divulgação

1) Elizabeth II (The Crown)

Linda, poderosa e soberana! Sua Majestade a Rainha Elizabeth II, ascendeu ao trono após a morte precoce do pai, o Rei George VI, que se tornou rei após a abdicação de seu irmão Edward. Uma jovem rainha com um imenso fardo a carregar num momento de um império em declínio, abrindo mão de prazeres comuns para cumprir com os deveres reais. Discreta, porém firme, Elizabeth trata os interesses reais com prioridade, aprendendo cedo e dolorosamente que não deve existir personalidades frente à Coroa. Nada e nem ninguém deve ofuscar o brilho da Coroa Real. Pôde contar com a ajuda de Winston Churchill como primeiro-ministro em seus primeiros anos como rainha, para reinar com sabedoria e aprender lições valiosas, com quem criou também uma relação fraternal. Em The Crown, a jovem rainha é interpretada pela competente Claire Foy e apresenta com maestria um crescimento e amadurecimento digno e notável, fazendo com que fãs se apaixonem e a respeitem cada vez mais. A Rainha Elizabeth II não é um personagem fictício, e é o atual monarca reinante do Reino Unido e de mais 15 países! (Por Michelle Costa)

 

Imagem: HBO

Imagem: HBO/Divulgação

Menção Honrosa: Rei Robert (Game of Thrones)

O Rei Robert teve maior destaque do que seus sucessores – Joffrey e Tommen – em Game of Thrones. Primeiro, porque sempre foi um homem forte, lutador, bastante conhecido por vencer batalhas e a mais importante delas, a Rebelião de Robert, que resultou na sua ocupação do trono. Robert era popular e engraçado, mas tinha pensamentos radicais e era bastante teimoso. Casou-se com Cersei por pura política, para manter um reino mais estável. Logicamente, não teve um casamento feliz. Diversas traições marcaram o relacionamento deles, inclusive gerando muitos bastardos. Robert deixou seu reino falido e perdeu estabilidade, quando começou a fechar os olhos para aquilo que não queria ver no seu governo. Com todos os problemas, Robert Baratheon é uma majestade que teve uma boa representatividade na série e era divertido. Ironicamente, ele teve uma morte cômica, ao ser fatalmente ferido por um javali, visto que estava muito bêbado quando estava caçando. Saudades da risada dele! (Por Paula Reis)

 

Imagem: Twitter

Imagem: BBC One/Divulgação

Menção Honrosa 2: Rei Edward IV (The White Queen)

Rei Edward IV foi um rei da Inglaterra, que foi coroado no nono ano da Guerra das Rosas, quando os Yorks estavam no poder. Na série The White Queen, o belo rei é interpretado por Max Irons e a história se passa em meados de 1464. Edward é manipulado por seu primo Lord Warwick e segue à risca suas ordens. O rei, logo no início, apaixona-se pela viúva Elizabeth, uma jovem de escalão social mais baixo (a futura the white queen), e se casa secretamente com ela. Ao fazer isso, ele perde apoio e ganha muitos traidores, principalmente seu primo Warwick. Esta instabilidade atrai outras pessoas que queriam ocupar o trono. Três mulheres são as que mais se destacam nesta disputa: Elizabeth, Anne (filha do Lord Warwick) e Margaret Regina, católica fervorosa e mãe de Henry Tudor (futuro Henry VII, pai de Henry VIII, rei que foi tratado na série The Tudors e já mencionado neste top). Visto isso, dá para se notar que o reinado de Edward foi conturbado e bastante violento, certo? Dentro da sua própria família havia problemas também, mas no final, ele conseguiu encerrar seu reinado de forma pacífica. (Por Paula Reis)

 

E aí, curtiu? Tem mais alguma majestade que você acha que merece estar nesta lista? Deixe nos comentários.

Equipe Mix

Equipe Mix

Perfil criado para realizar postagens produzidas pela equipe do Mix de Séries.

1 comment

Add yours

Post a new comment