Top Mix: Especial de aniversários (Parte 1)

Hoje vai ter uma festa! Bolo e guaraná, muitos doces pra você! É o seu aniverário! (…) É big, é big! è hora, é hora! Rá, tim, bum!!! Vivaaa! o/. O Top Mix está em clima de festa, pois neste mês de setembro muitas séries queridas fazem aniversário. Estou falando daqueles séries já mais velhinhas, maduras, experientes, ou seja, as melhores séries, certo?! O tempo passa voando e a gente nem percebe… Mas, a falta que sentimos da nossa série preferida nós percebemos e muito. Quem vai esquecer da ilha de Lost, dos momentos legendários de How I Met Your Mother, ou ainda, dos diagnósticos de House, ou dos romances de One Tree Hill?! Séries que marcaram nossas vidas e que fazem falta a cada ano que passa. Como seria bom voltar todos estes anos, na data da estreia e assistir tudo de novo, como se fosse a primeira vez, não é verdade?! Ohhh saudade!

Como nós do Mix somos seriadores viciados e muito bonzinhos, nos juntamos para lembrar aqui as séries aniversariantes deste mês e matar aquela saudade. Fique a vontade, a festa é para todo mundo! Let’s Celebrate!

Pega o salgadinho e o refrigerante e vem acompanhar com a gente as séries clássicas que fazem aniversário de estreia! Vem comemorar, vem!

Continua após a publicidade

(Por Paula Reis)

 

Fringe

10) Fringe (6 anos)

Fringe é uma das melhores representantes das séries que sobrevivem ao tempo (e aos poderosos produtores dos canais televisivos) por serem especiais. A audiência era mediana, mas os fãs eram fiéis. Fringe é aquela série cult que sobrevive por ter criado junto ao seu público uma mitologia concreta. Todas as cinco temporadas da série formam um enorme e belo arco dramático. Em uma época que toda série de ficção almejava ser a nova Lost, Fringe foi a que melhor alcançou o objetivo. E mais: digo que o programa, estrelado pela bela Anna Torv, tem uma constância muito maior que a série dos “perdidos”. Fringe teve cinco anos excelentes, sem deixar a peteca cair em momento algum. Cada episódio era uma nova surpresa cheia de camadas e novidades. Assistir a série não era apenas sentar por 45 minutos semanalmente e curtir o capítulo, era assistir e procurar por pistas e mensagens subliminares. Afinal, quem nunca procurou pelo Observador escondido em cada episódio?! Para encerrar, devo deixar meu lado fã falar mais alto: Olivia, Peter e Walter são três dos personagens mais amáveis e interessantes que tive o prazer de acompanhar. Daqueles que adoraria conhecer. (Por Matheus Pereira)

How-I-Met-Your-Mother-Bar

 9) How I Met Your Mother (9 anos)

Agora, em setembro de 2014, completaram-se 9 anos que um cara chamado Ted Mosby disse aos filhos – e a nós – que contaria uma história incrível. E foi exatamente isso que ele fez. Há nove anos foi ao ar o episódio piloto da série que sabíamos que seria legendary. Há nove anos vimos pela primeira vez aquela abertura cheia de “pa pa pas“, a qual nunca esqueceríamos. Há nove anos surgiu a série que conseguiria o incrível feito de dividir com Friends a preferência dos fãs das comédias de amigos. Nove anos de “legen…wait for it…dary“, “suit up“, “awesome“, “challenge accepted“, “true story” ou mesmo “NOBODY ASKED YOU, PATRICE!!!“. Nove anos de playbook, de bro code, de gravata de patinhos, de Marshmallow e Lilypad, de Robin Sparkles, do mistério do abacaxi, do trompete azul e do guarda-chuva amarelo. Nove anos da série que nos ensinou que nada de bom acontece depois das duas da manhã e nos alertou a respeito da Maldição do Blitz. Nove anos da série de comédia com o final que fugiu dos padrões, dividiu opiniões e talvez por outros nove anos será discutido. Há move anos ouvimos pela primeira vez a pergunta “Haaaaave you met Ted?” e podemos dizer que sim, conhecemos Ted e muito bem. Assim como conhecemos Barney, Lily, Marshall, Robin… Por nove anos ouvimos a incrível história de como Ted conheceu a mother. Já podemos começar tudo de novo? (Por Tainara Hijaz)

 

Veronica-Mars-2

 8) Veronica Mars (10 anos)

No dia 22 de setembro de 2004 estreava uma das séries adolescentes que se tornaria um dos ícones da cultura pop dos anos 2000. Criada por Rob Thomas, Veronica  Mars tem um enredo relativamente simples. Uma jovem colegial aparentemente com uma vida normal, mas que depois da aula ajuda seu pai na agência de investigação particular dele. Lendo algo assim, certamente você pensa, “Hum, tá bom”, mas assistindo logo de cara você entra em Neptune e a última coisa que quer fazer é sair de lá. Não sei da onde surgiu esse amor incondicional dos Marshmallows (temos o nome mais legal de fandom, ou não temos?). Talvez seja o fato de Kristen Bell dar vida a Veronica com tamanha maestria, ou os personagens serem mais complexos do que normalmente são em séries adolescentes, ou ainda, seja o texto  simples, porém cativante. A única coisa que sei com certeza é que uma vez que você se torna um Marshmallow, nunca mais deixa de ser. E a prova veio esse ano. Com cancelamento precoce da série em 2007,  depois de inúmeros diálogos com a Warner, Kristen conseguiu os direitos para fazer o tão esperado filme de Veronica Mars. Porém, com um problema, eles não tinha um centavo para bancar o filme, e aí? A pergunta veio “Será que temos fãs tão apaixonados que bancam um filme todo?” A resposta foi SIM!!! O espetacular filme da série saiu com a ajuda em massa dos fãs e, pelo que sei, isso foi algo inovador na indústria. O filme que a gente tanto queria, com aquele texto cativante, com mesmo personagens, e com o que Veronica sabe fazer de melhor: muito mistério. Essa foi com certeza uma ótima forma de comemorar os 10 anos dessa que é uma do ícones dos anos 2000. Se você nunca viu Veronica Mars, é uma ótima pedida de maratona para próximo hiatus, e, se já viu, pode sempre rever, porque Veronica Mars nunca é demais. (Por Mary Grizotto)

house

 7) House M.D. (10 anos)

Este mês é muito especial, pois é aniversário do médico mais teimoso do mundo, da equipe médica mais prestativa, da diretora de hospital mais eficiente, do oncologista mais companheiro… Estou falando de House M.D., uma das melhores séries médicas que já existiu. Há 10 anos, um médico investigador começou a diagnosticar pacientes junto com a sua equipe infalível. Com seu sarcasmo e suas frases marcantes, logo Gregory House já conquistou a todos. Ele é aquele tipo de pessoa que você ama ou odeia. O problema disso tudo é que House é o melhor médico na sua especialidade, isto é, todos são obrigados a conviver com esta peça rara e suas tiradas diárias, inclusive Cuddy, diretora do hospital e sua chefe/amor platônico. Há 10 anos aprendemos que “everybody lies” (“todo mundo mente”) e que nunca é Lupus. Há 10 anos, conhecemos também Wilson, oncologista e melhor amigo de House. O único que consegue aguentar ele e acompanhá-lo em suas maluquices. Há 10 anos nos apaixonados por estes personagens doutores. E, digo, não foi fácil despedir deles. House M.D. me marcou muito em vários aspectos e, com certeza, é uma série para comemorar todo ano a sua estreia. (Por Paula Reis)

 

lost-01

6) Lost (10 anos)

Há 10 anos o mundo das séries sofria uma revolução chamada Lost. Nunca antes – e nem depois – uma série “causou” tanto quanto essa, com todas as suas pistas, easter eggs, enigmas, jogos, episódios alternativos, livros… Lost criou um universo à parte, para onde nos transportávamos após cada episódio. Não eram poucos os fóruns ou blogs dedicados à série, nem os eventos para discussões, muito menos os especialistas. Não se assistia Lost, se vivia. Claro que não é mistério que a série durou tempo demais, principalmente por todo sucesso que gerou. Também não é novidade que o final não agradou a todos. Mas como um sábio já falou, depois de tudo o que importa não é como a história acaba, e sim a trajetória, e isso combina perfeitamente com Lost. Uma série que foi uma verdadeira experiência transmídia. Um marco nesse nosso mundo que quem viveu nunca esquecerá. (Por Letícia Bastos)

 

roswell

5) Roswell (15 anos)

Dois irmãos, Isabel e Max, e um amigo um tanto quanto rebelde. Duas amigas, Liz e Maria. Nenhum deles se falavam até o dia em que todos estão no restaurante em que Liz trabalha e ela leva um tiro. Prestes a bater as botas, Max vai em direção a ela, coloca a mão na barriga da menina, onde estava a bala eeeeeee Ó ELA ESTÁ CURADA!Mas ela estava morrendo”, foi o que disseram os presentes. Liz sem entender o que aconteceu, mas com uma marca de mão luminosa em seu estomago, vai atrás de Max para tirar satisfação e descobrir o que ele era. E ele fala. Um E.T. E não só ele, Isabel e Michael (o amigo maloqueiro) também eram. Depois disso, muita coisa acontece: é o xerife indo atrás dos jovens para saber o que aconteceu, perseguição, aquela ação. E no caminho, Max e Liz começam a namorar, o que é um mimo, talvez o casal mais fofo de série adolescente dos anos 90/00. Além de ter enredo que prende (para quem gosta de ficção e série jovem), a atração contou com vários atores que hoje são reconhecidos por seu trabalho: Katherine Heigl, nossa eterna Izzie, Nick Wechsler, o que conhecemos agora como Jack Porter, em Roswell ele era o ex-namorado chato da Liz, Kyle Valenti. Quem fez parte também foi Emilie De Ravin, que era Tess Harding, personagem nada semelhante ao da Bela em Once Upon a Time. Roswell faz sua festa de debutante no dia 6 de outubro. (Por Alice Risso)

(Continua…)

Que nostalgia! Deu até vontade de matar a saudade de algumas séries aí e assistir os episódios tudo de novo… Qual série você sente mais falta?

O Top Mix: Especial de aniversários continua semana que vem com as séries que estão soprando ainda mais velinhas! Não deixe de acompanhar!

Equipe Mix

Equipe Mix

Perfil criado para realizar postagens produzidas pela equipe do Mix de Séries.

No comments

Add yours