Top Mix: Surpresas nas indicações ao Emmy 2015

67Emmy_StandardDisplay_1280x1024-620x350

Olha nós aqui mais uma vez, gente! Como todos sabem na última quinta-feira, 16, foi anunciada a lista de indicados ao Emmy 2015. Esse ano, além de algumas previsibilidades, como de costume, tivemos sim algumas (e grandes) surpresas também.

Por conta disso, o Top Mix dessa semana vai abordar justamente o que foi surpresa nas indicações do prêmio. Para aqueles que dizem que o Emmy não inova e sempre indica os mesmos, é melhor rever os seus conceitos após o que iremos apresentar. Todos prontos? (Por Eduardo Nogueira)

 

Continua após a publicidade

Liev Schreiber Ray Donovan

10) Liev Schreiber indicado a melhor ator de drama

Liev Schreiber acabou sendo uma grata surpresa no Emmy deste ano. E o mais interessante é que muitos nem devem saber por qual série ele está concorrendo. Ray Donovan, do Showtime, é um drama bem subestimado, assistido por poucas pessoas e com pouco buzz na mídia. Entretanto, apresenta uma baita história de um fixer em Hollywood, e os conflitos por trás do mundo das celebridades, que são diariamente corrigidos por profissionais como o interpretado por Schreiber. Entretanto, são nas tramas paralelas, envolvendo a família Donovan que Ray acaba brilhando, e a segunda temporada foi a prova viva de que o show era seu. Se no primeiro ano o destaque foi para Jon Voight – que chegou a ganhar o Globo de Ouro por “Melhor Ator Coadjuvante”, o ano 2 é todo de Schreiber, que soube aprofundar ainda mais toda a amargura e as sombras do passado que atormentam seu personagem. Merecida indicação. (Por Anderson Narciso)

 

The-affair

9) The Affair não ser indicada em nenhuma categoria

Como assim a vencedora do Golden Globe Awards 2015, The Affair, ficou de fora do Emmy desse ano? Algo de errado tem nisso! A série foi uma das grandes surpresas da TV dos EUA, ao mostrar uma história sendo contada em 2 pontos de vistas diferentes. Ruth Wilson foi uma revelação ao interpretar Alison Bailey, uma moça complicada que trai seu marido quando um charmoso professor (interpretado muito bem por Dominic West), e decide passar as férias com sua esposa e seus filhos. O fato de não vermos Wilson nem West concorrendo também chocou os fãs, afinal ambos venceram o Golden Globe desse ano como melhor atriz e ator de seriado drama. Lógico, seria mais do que comum esperarmos pelo menos uma indicação para o seriado nas categorias mais importantes. Parece que o Emmy quer fazer história sendo a mesma coisa é velha previsível. Não que os indicados nas categorias principais não mereçam o seu lugar, mas diante da previsibilidade da TV americana, a premiação tinha tudo para ser diferente! Mas esse é só um lado da história, o meu. Se tivemos que esperar anos para ver Tatiana Maslany (Orphan Black), era de se esperar que seriados como The Affair não seriam reconhecidos pelos conservadores do Emmy Awards, não? (Por Gabriella Siggia)

 

jane

8) Jane The Virgin não ser indicada em nenhuma categoria

Quando Jane The Virgin teve seu piloto exibido na fall season do ano passado, ninguém poderia imaginar o quanto esta série da CW seria elogiada pela crítica, muito menos que ela teria força para concorrer a prêmios. Pois bem, veio o primeiro deles, o Globo de Ouro, e lá estava a série na categoria de melhor comédia e sua protagonista, Gina Rodriguez, como melhor atriz de comédia. A indicação ao Emmy era quase dada como certa, mas, apesar de várias surpresas boas na edição da premiação este ano, o Emmy ainda é o Emmy. Talvez a instabilidade ocorrida no meio da temporada tenha sido determinante para que a série não conseguisse seu lugar, mas nada explica a ausência de Gina Rodriguez e Jaime Camil (Rogelio) na lista de indicados. Então fico com a opção de sempre:  que o Emmy é aquela premiação que parece não querer sair da zona de conforto, cujas análises não chegam a um canal pequeno como a The CW. (Por Douglas Couto)

 

viola davis how to get away with murder

7) Viola Davis indicada a melhor atriz de drama

A indicação ao Emmy de Viola Davis reafirmou uma consagração já feita no SAG Awards deste ano, pelo seu desempenho em How To Get Away With Murder. Na pele da advogada Annalise Keating, a atriz nos envolveu e nos surpreendeu com as mais variadas facetas de uma mulher nada perfeita. Obviamente que a cena que lhe dá direito a todos os prêmios é a fatídica em que a personagem se despe da sua armadura, tirando a peruca, a maquiagem, se apresentando vulnerável. O elevar da atuação de Viola. Contudo, seu trabalho na série não se resume a esse fragmento, que não deixa de ser muito significativo. Quase no fim da temporada, lá estava a advogada de novo, no fundo do poço, maquinando um inteligente xeque-mate. A trama é construída com maestria, mas Viola é a flama do caos. O cérebro responsável pelas avassaladoras reviravoltas. Ela honra a postura impenetrável de Annalise, necessária para uma série codinome paranoia. A atriz segura todo o suspense, sem dificuldades. Viola norteia sua personagem deliciosamente do auge até a queda. Quando achamos que o jogo acabou, há o insight perfeito que a recoloca ao seu posto original de autoridade. A atriz nos agracia com mais uma atuação marcante e sua indicação é mais que merecida. (Por Stefs Lima)

 

bloodline-netflix-cast

6) Bloodline sendo indicada em duas categorias

Bloodline está indicada em duas categorias, que merecem destaques. A primeira, trazendo Kyle Chandler de volta às premiações, a qual estava sumido desde Friday Night Lights: o ator foi indicado para “Melhor Ator em Série Dramática”. Fazendo dobradinha com Chandler aparece Ben Mendelsohn, que indicado a “Melhor Ator Coadjuvante em Série Dramática”, mostra que a interação dos dois principais irmãos da série do Netflix conquistou a Academia. Mas também não era por menos: o segredo que envolvia toda a trama desenvolvida no ano focava justamente em ambos os irmãos, que os colocaram no centro do ação do início ao fim. Adiciona-se isso a atuação impecável dos dois atores, que resultou nesta merecida indicação. (Por Anderson Narciso)

 

Netflix

5) Quantidade de indicações de séries da Netflix

A cada ano que passa o Netflix vem se sobressaindo cada vez mais na premiação, batendo seus próprios recordes. Ao todo foram 34 indicações das produções próprias do serviço de streaming, ante 31 no ano de 2014. Isso só demonstra a incrível qualidade das séries, e que a tendência é apenas aumentar esse número no futuro. Veteranas como House Of Cards Orange Is The New Black, além das novatas, tais como Bloodline, Marvel’s DaredevilGrace & Frankie são algumas das diversas atrações que somam a quantidade incrível. Isso é um incentivo para que outros serviços do gênero, como Hulu e Amazon, invistam ainda mais em produções próprias também. Quem sabe com essa ascensão, a batalha entre o streaming e a TV se torne cada vez mais acirrada nos próximos anos? (Por Eduardo Nogueira)

 

Bates Motel 3x02

4) Vera Farmiga e Freddie Highmore não serem indicados novamente

Calma aí gente, vamos convir que Bates Motel está e muito longe de ser uma das melhores séries da TV americana. Porém, como seus dois protagonistas mais uma vez foram deixados de lado pela premiação? Os atores Vera Farmiga e Freddie Highmore, intérpretes de Norma e Norman Bates, fazem um trabalho impecável e levam a série praticamente toda em suas respectivas costas, com suas atuações impecáveis. O rapaz esse ano mais do que nunca se superou, principalmente pelos rumos seguidos por seu personagem, por conta disso acreditei por um momento que veria esse ano seu nome estampado na categoria “Melhor ator de drama”, mas não aconteceu. Todo mundo fala da injustiça do Emmy com Tatiana Maslany, mas ninguém se recorda do impecável trabalho de Vera e Freddie em Bates, o quanto eles se dedicam para os seus personagens e que merecem sim e muito estarem entre os indicados. Querendo ou não, a série ainda terá mais duas temporadas, ou seja, a premiação tem até 2017 para ter certa consideração pela dupla. Estamos de olho! (Por Eduardo Nogueira)

 

modernfamily

3) Supervalorização de Modern Family

Modern Family teve seu início em 2009 e, já após sua primeira temporada, ganhou o primeiro Emmy como melhor série de comédia. O fato se repetiu nos anos de 2011, 2012, 2013 e 2014, dando um total de 5 prêmios para sua coleção. E, mais uma vez, em 2015, lá está ela na lista de indicados. Será que a atração realmente merece tanto alvoroço? Para mim, outras séries de comédia que passaram ou passam nesse tempo talvez tenham merecido ou mereçam mais. Não me entendam mal, Modern Family é ótima! Mas o que me faz questionar no Emmy é a cisma em premiar a mesma série por anos. Até 2009, tivemos a fase 30 Rock, na época de Friends (que só ganhou uma vez) a grande vencedora por anos foi Frasier, e agora parece que os olhos estão unicamente voltados para Modern Family. Talvez, esteja na hora deles darem uma chance e premiarem uma das outras séries de comédia indicadas, que estão despontando por aí. Já deu de Modern Family. (Por Fernanda Azevedo)

 

sheldon_cooper

2) Jim Parsons não ser indicado a melhor ator de comédia

Pois é minha gente, segura esse forninho! O ator Jim Parsons era indicado consecutivamente na categoria “Melhor ator de comédia” por seu trabalho como Sheldon Cooper em The Big Bang Theory dese 2009, onde só não venceu por apenas duas vezes. O que todos já esperavam por mais um ano de indicação/vitória, acabou sendo um banho de água fria até mesmo para aqueles que nunca torcem por ele. O ator foi desbancado da categoria, cedendo a vez para artistas de séries estreantes como Anthony Anderson (black-ish) e Will Forte (The Last Man On Earth). Não só por conta disso, a ausência de Jim por aqui é a prova mais clara que TBBT está passando da hora em dizer adeus da TV americana, e que a atração já vem cansando seu público. Lidem com isso! (Por Eduardo Nogueira)

 

Orphan Black

1) Tatiana Maslany indicada a melhor atriz de drama

A maior surpresa esse ano foi, sem dúvida, a indicação da Tatiana Maslany. Depois de 3 temporadas e incontáveis personagens, foi mais que merecida a nomeação. Tatiana, dona de um talento exemplar e dona das personagens recorrentes em Orphan Black, Cosima, Rachel, Helena, Alison e Sarah, que dá vida magnificamente a elas e tantas outras que já passaram pela série, finalmente foi reconhecida após todo esse tempo. Injustiças a parte, depois desse final de temporada destruidor, espero que ela não seja mais “esquecida” nesse, e em outros prêmios da categoria. Toda a minha torcida está para a menina Tatiana. Não querendo desmerecer as outras concorrentes, mas Tati: Esse prêmio já é teu! Afinal de contas, a bandeira do Brasil que entreguei a ela na #SDCC deu sorte, e vai dar mais ainda no futuro. #TeamTati (Por Janyne Bib’s)

 

Downton Abbey

Menção Honrosa: Supervalorização de Downton Abbey

Downton Abbey é uma excelente série? Sem dúvidas. Apesar disso tudo, não está na sua melhor fase e por essa razão não merece ser indicada todo ano como melhor série de drama. E novamente nesse ano ela foi indicada sem nenhum merecimento para tal porque a quinta temporada, embora tenha sido melhor que a quarta, não foi essas grandes coisas. Isso não é uma opinião só minha, mas de vários fãs de DA que concordam que a série perdeu um pouco do seu ritmo. Aliás, essa fase não tão boa de Downton vem desde a terceira temporada, onde a série teve uma baixa considerável no seu elenco de dois atores principais da trama. Outras produções mereciam bem mais estar no lugar de DA. (Por Daniele Duarte)

 

Na sua opinião, quais foram as grandes surpresas nas indicações desse ano? Quem merecia ou não estar nessa lista? Olha que separamos apenas algumas coisas que surpreendeu essa vez, pois se colocássemos tudo mesmo, esse Top renderia diversas partes.

Até a próxima, pessoal!

Equipe Mix

Equipe Mix

Perfil criado para realizar postagens produzidas pela equipe do Mix de Séries.

2 comments

Add yours

Post a new comment