Playoffs do The Voice US deixam claros os times promissores da temporada

the voice playoff
Imagem: NBC/Divulgação

Chegou a hora dos playoffs no The Voice US

Agora o público tem o poder de decisão no The Voice US. Chegou a fase dos playoffs, onde os times ganham a forma definitiva, rumo aos shows ao vivo.

Essa é a última fase do programa, em que os coaches têm total escolha no destino de seus pupilos. A partir de agora, tudo vai depender do público. Consequentemente, essa é a hora que começam as revoltas e até mesmo injustiças.

Vamos conferir o que rolou?

 

TEAM ADAM (Renata)

 

Steve Memmolo – “More Today Than Yesterday”

Achei que Steve tentou ser mais divertido, mostrar que pode ir por outros caminhos. Mas, particularmente, eu não gostei muito. Achei bem chato, pra dizer a verdade. Contando que ainda vem gente boa, não senti que ele deu tudo para ir a frente.

 

DeAndre Nico – “Ordinary People”

DeAndre sabe tocar a gente. Acho um candidato muito verdadeiro, com um tom lindo. Gostei demais da apresentação, forte na medida certa e passando a emoção que deveria. Gosto de ver entregas, nesse momento tem que pegar o público e o técnico pelo coração. Acho que ele conseguiu, pelo menos aqui em casa.

 

Radha – “Dusk Till Dawn”

Gente, eu sempre acho arriscado cantar essas músicas da modinha. Nem todo mundo pega o jeito, ou faz uma versão que o público se agrade. Eu adoro a música, gosto dessas músicas farofas que o Zayn canta. Radha mostrou que sempre vai ter personalidade e potência de sobra. Eu gostei, mas foi aquela coisa, podia ser melhor!

 

Kameron Marlowe – “I Ain’t Living Long Like This”

Eu confesso a vocês que dos artistas countrys que estão na competição, ele é o que mais gosto. Tem uma presença forte, quando abre a boca fico nervosa! Gostei bastante, dentro do que ele tinha para mostrar.

 

Tyke James – “Use Somebody”

Tyke é claramente o favorito de Adam. Entendo que o cara tem um jeito original e um timbre diferente e único, mas eu não curto muito. Acho Tyke limitado, não sei, tenho a impressão de que ele não passa a emoção devida. Pegou um clássico bem conhecido, foi inteligente. Creio que está classificado.  

 

Reagan Strange – “Worth It”

Reagan é uma aposta alta, alguém que tem um potencial incrível, a menina encanta, de verdade! Apresentação forte, mostrando que pode fazer muito mais. Das mais novas da competição ela ainda vai crescer demais, pode apostar.

 

RESULTADO

Não foi nenhuma surpresa ver DeAndre ser salvo pelo público, pois ele já tem uma carga emocional, além da sua performance ter sido bem incrível. Já Reagan eu imaginei, mas não tinha certeza. Achava que o público salvaria Tyke, entretanto quebrei a cara. Dentro das performances do primeiro dia, ela mereceu também. Tyke é aquela coisa… quando vi que o garoto não tinha sido salvo público, sabia que Adam o faria. Espero que ele esteja apostando as fichas certas, pois eu escolheria Radha ou Kameron. Uma pena vê-los indo embora, mas as coisas estão apenas começando.

 

 

TEAM BLAKE (Edu)

 

Michael Lee – “Everytime I Roll the Rice”

Pra mim, essa foi uma das melhores apresentações do Team Blake. Faltou sim, confesso, uma pitada de algo, mas convenhamos que o time do nosso cowboy veio dos knockouts capenga. Se dependesse de mim ele continuaria, entretanto, como a América agora está no poder, tudo pode acontecer.

 

Dave Fenley – “Angel Flying Too Close to the Ground”

Olha, apostei alto minhas fichas em Dave, mas dessa vez ele me decepcionou. Que performance mais horrenda, meu Jesus amado! Foi tudo péssimo, me deu um sono sem fim, e não entendi foi nada.

 

Natasia GreyCloud – “God Is a Woman”

Perigo iminente! Natasia tem uma veia voltada mais para o rock, e sinceramente não entendi o porquê dela ter cantado Ariana Grande. Mas sinceramente? Eu não gostei, eu amei! Começou bem meia boca, mas aos poucos foi evoluindo. Pena que o destaque merecido foi só nos instantes finais, consequentemente meio que já sendo tarde demais.

 

Chris Kroeze – “Have You Ever Seen the Rain”

Essa música está batida? Está sim senhor, mas até que foi uma performance bacana. Não foi nada extraordinário, afinal de contas esse time está na beira do abismo. Entretanto foi o suficiente pra manter Chris na disputa, podem anotar!

 

Funsho – “How Long”

A pergunta que não quer calar, o que Funsho ainda faz na disputa mesmo?

 

Kirk Jay – “One More Day”

Foi tudo brega, exagerado, inconsistente, beirado à vergonha alheia. Sem mais!

 

RESULTADO

Que show de horrores foi isso? Team Blake chegou dos knockouts como o mais fraco, mas nosso cowboy conseguiu piorar tudo. Tudo bem que ele extraiu leite de pedra, literalmente, só que estou barbarizado até agora. Pra mim o top 3 que daria fácil pra se conduzir seria Michael, Natasia e Chris. O público escolheu Chris, ponto! Aí o negócio embananou-se tudo com Kirk. Sério mesmo? Como se não bastasse, Blake vai e me escolhe Dave. O mais triste disso tudo é que Blake é amado pelas tias do sofá, logo um deles com certeza chega na final. Se isso acontecer, pelo menos seja Chris, que até então é o “melhorzinho”. Vamos ver o que vai ser daqui pra frente, já que JHud está com o time mais forte, Adam e Kelly vêm logo atrás, e nosso cowboy na lanterninha bem fraca.

 

 

TEAM JHUD (Luke F.)

 

Patrique Fortson – “Ain’t Nobody”

Sensacional! Curti demais a roupagem que ele deu no início da canção, com uma identidade própria. Depois entrou no refrão, variando entre graves e agudos de maneira perfeita, pois a voz de Patrique oscila muito bem. Espero muito que ele siga na competição e nos surpreenda cada vez mais.

 

MaKenzie Thomas – “I Believe in You and Me”

Quer potência vocal? Então toma! Olha, poucos artistas saíram do The Voice fazendo sucesso por muito mais tempo, contudo, MaKenzie tem muito o que mostrar ao mundo. Fez uma apresentação brilhante e foi desenvolvendo muito bem durante todo o momento. Melhor JHud se preparar, pois seu team está bem forte para ir quebrando neste momento.

Franc West – “Apologize”

Essa semana vimos um Franc um pouco diferente, mas com a mesma qualidade que vem apresentando. Não me arrisco a dizer que ele é um dos melhores do team, mas, no geral da competição, está lá em cima. Espero vê-lo por mais algum tempo, pois pode nos surpreender.

 

SandyRedd- “No More Drama”

O estilo e a voz dessa mulher carrega sua marca levemente, sem nenhum problema. Ela tem um potencial gigantesco e uma expressão que dá gosto de ver como ela sente a canção. Não creio que SandyRedd sairá nesta fase de forma alguma e, digo mais, acho que podemos vê-la indo até as finais tranquilamente.

 

Colton Smith – “Scared to Be Lonely”

Colton é uma grande surpresa pra mim. Não por seu potencial, que é notável desde o primeiro instante, mas sim por sua evolução e crescimento mais do que admirável até aqui. Sou suspeito pra falar do team JHud, mas Colton vê o seu brilho no olhar da coach. Realmente uma apresentação coesa e muito bem orquestrada.

 

Kennedy Holmes – “Halo”

Não vamos fechar com o pé atrás de forma alguma, pois Kennedy mandou muito bem em sua performance. A garota de apenas 13 anos ainda tem suas falhas, verdade, mas tem um potencial gigantesco em mãos e merece todas as palmas. Foi bacana demais de assistir e acredito que emocionou muita gente por ali. JHud fecha seu dia satisfeita.

 

RESULTADO

Foi difícil assistir os saves dessa vez. Digo porque quase todos ali mereciam realmente a próxima etapa, contudo, tinha os meus preferidos: MaKenzie, Patrique e Sandyredd. Primeiramente o público escolheu MaKenzie, o que me fez respirar aliviado. Depois, foi um momento triste pra mim, mas justiça também foi feita. Kennedy foi sabiamente escolhida, pois apresentou muito bem na noite anterior. Agora, tudo está nas mãos de JHud e ela escolhe Sandyredd. Dois de três dos meus favoritos seguem na competição, mas Kennedy também é justa e torço por ela. Triste ver Patrique ir embora, mas sei que ele deu o seu melhor e tem uma brilhante carreira pela frente.

 

 

TEAM KELLY (Bernardo)

 

Abby Cates – “Next to Me”

O começo dessa apresentação foi um problemático. Seja em relação a própria Abby ou a banda, alguma coisa não estava funcionando certo. Contudo, ela conseguiu se recuperar com o passar do tempo, ao ficar mais calma e mais segura do que estava fazendo. Acredito também que ela desperdiçou um dos melhores momentos da música aquele “next to me ooooh” por falta de afinação, mas o resultado final foi bom e um crescimento em relação à última performance.

 

Keith Paluso – “Someone Like You”

Sendo bem sincero com o leitor, acredito que os competidores deveriam apresentar Adele apenas na grande final. Momento em que eles se apresentam como cantores completos ao mercado, com mais bagagem e experiência em desempenhar aquele trabalho. Dito isso, acredito também que Keith foi muito bem com Someone Like You”. Foi uma performance bonita, redondinha, com poucos erros e cheio de emoção.

 

Sarah Grace – “When Something Is Wrong With My Baby”

Adorei o piano! Na verdade, qualquer apresentação acompanhada de algum instrumento musical é sempre melhor, mais completa, interessante e empolgante de assistir. Embora Sarah tenha sido boa e entregado uma performance sem erros, não me emocionou. Não senti que esse momento transbordou além tela e tocou quem assistia. Por mais caprichada que tenha sido visual e vocalmente, acredito que essa apresentação faltou o principal em qualquer momento musical: a emoção. Não senti nada.

 

Zaxai – “When I Need You”

Eu continuo impressionado pelo nome (Zaxai é sensacional), assim como o estilo dele. No entanto, eu não senti nessa apresentação o que eu vi nas outras: autenticidade. Por mais erros que ele possa ter apresentado durante outros momentos, ele sempre entendia uma forma de colocar sua marca naquela música e contar parte da sua história de vida. Desta vez foi, infelizmente, uma performance sem grandes momentos. Assim como da Sarah, foi correta, mas faltou profundidade e aquele convite ao telespectador/ouvinte em se entregar naquela oportunidade.

 

Chevel Shepherd – “Grandpa (Tell Me Bout the Good Old Days)”

Na terra natal da Chevel, o estado do Novo México, tem uma feira estadual muito conhecida pelos cowboys e pela música country. O leitor pode descobrir o que eu digo clicando aqui. Mas o que isso tem a ver com a performance dela? Tudo. Mesmo que eu tenha gostado muito do que eu vi aqui, desde a produção, do figurino, da escolha musical e da apresentação propriamente dita, ela não faz muito da trajetória de cantora até aqui. É simples, porém sem muita força. Tem qualidade, mas não gera muito destaque. Por isso, acredito que essa apresentação se encaixaria muito mais na feira do que no The Voice.

 

Kymberli Joye – “Radioactive”

Assim como Keith, acredito que essas músicas mais complexas de interpretar deveriam ser deixadas para a grande final, quando os competidores se firmam para a nação. Felizmente, Kymberli me conquistou muito além da admiração pela coragem. Ela estourou qualquer expectativa ruim que alguém poderia ter com uma apresentação forte, carregada de emoção, com muita qualidade e uma potência que não vemos com frequência por aqui. Se ela não avançar para próxima etapa eu garanto pra vocês que eu paro de escrever sobre esse programa agora mesmo.

 

RESULTADO

Como era de se esperar, Kelly sabiamente garantiu Kymberli para a próxima etapa. É evidente que caso ela queira ter qualquer chance de avançar, precisa de alguém forte, competente e interessante como ela. Quanto ao voto do público, não fico nem um pouquinho surpreso. Tinha certeza que a Chevel seguiria em frente, por conta desse apelo com os telespectadores das cidades pequenas. Country é um gênero que empolga desde Fargo até McAllen, por isso é importante que tenha alguém tão bom quanto Chevel como representante. Quanto a última vaga, confesso que não curti. Trocaria Sarah pelo Keith num piscar de olhos, mas como o voto popular é soberano (ou não?) só me resta torcer para que a Sarah consiga surpreender na próxima etapa.

 

THE COMEBACK STAGE

Desde o começo da temporada, um seleto grupo de candidatos que não passaram nas blinds tiveram a chance de tentar reingressar novamente na disputa. O The Comeback Stage teve Kelsea Ballerini como mentora de seis participantes. Depois de semanas de intensivos preparos, Lynnea Moorer retornou, após a decisão do público.

Como se não bastasse, a candidata agora passa a integrar o Team Kelly. 

 

TOP 13

Estão indo oficialmente aos live shows:

Team Adam: DeAndre Nico, Tyke James, Reagan Strange

Team Blake: Chris Kroeze, Dave Fenley, Kirk Jay

Team JHud: Kennedy Holmes, MaKenzie Thomas, SandyRedd

Team Kelly: Chevel Shepherd, Kymberli Joye, Lynnea Moorer, Sarah Grace

O que acharam dessa formação? Comentem conosco, e a partir dessa semana nossas reviews passam a serem postadas às sextas-feiras, logo após a exibição do programa no Canal Sony!

About Team Mix Reality

#TeamReality no Mix de Séries é responsável pelos realities shows.