Crítica: 1×16 de TGD gerencia críticas sociais importantes e traz o cenário do desfecho da temporada…

Imagem: ABC/Divulgação

Continua após as recomendações

O episódio dessa semana de TGD, traz conceitos teoricamente não apresentados na série até então. Um conceito básico e demasiadamente importante de que a medicina não é certa. Que por mais que tudo possa parecer dar errado, são nas mínimas coisas que moram os grandes detalhes e erros. A série também nos trouxe um pouco da genialidade humana. De como podemos ir longe, até demais, para persistir com nossa aparência. Como o olhar de cada um sobre a vida é diferente. No fim, a série também nos traz a vertente dos relacionamentos. Seja entre mãe e filho, marido e mulher, amigos… O dilema dos enlaces da série vem crescendo cada vez mais.

Continua após a publicidade

“A chance que damos ao outro na vida pode ser a chance que nos damos de mudar”

Seria essa frase uma definição perfeita do episódio? Claire dando uma chance a sua mãe mesmo percebendo certa exploração contínua. As lágrimas que caíram sobre ela no fim foram muito sinceras e a evolução da personagem está cada vez mais brilhante. A chance de Shaun a Kenny também é uma boa metáfora. O médico protagonista quer acreditar na mudança do amigo e nós também. Pelo menos vejo uma sinceridade maior nesse caso do que no relacionamento mãe e filha que foi apresentado. Temos mais casos de chances nessa semana. Marcus finalmente deu uma chance ao seu relacionamento e ao futuro. A possibilidade de finalmente construir uma família parece ter mexido com ele, principalmente depois do caso da semana onde o casal passava por instabilidades e não souberam lidar com isso juntos.

Imagem: ABC/Divulgação

Quem é você em seus relacionamentos quando comparados entre os casos da semana?

Essa é uma questão meio peculiar mas que deve ser bem retratada. Já emendamos a deixa para falar um pouco das semelhanças e diferenças entre os casos. Foi bacana perceber que ambos discursavam sobre estética e relacionamentos, mas de formas diferentes. Um queria poder voltar a andar e fazer suas atividades com independência, mas sempre esteve emocionalmente ligado a esposa. No outro caso, utilizou-se de recursos em vão para a recuperação de um casamento conturbado. A noção de beleza e deficiência do ser humano é bem precária mesmo. Na conversa entre Shaun e Claire conseguimos ver como ainda há esperanças no mundo – e neles… O episódio equilibra muito bem a importância que damos ao externo e ao interior.

Dor com certeza foi um bom título ao episódio, pois revelou os mais sórdidos momentos da palavra. Na próxima semana, teremos sorriso como tema. Contudo, pela promo não é isso que realmente parece. A um episódio da grande final, “Smile” promete trazer uma notícia chocante que já vem sendo especulada pelas redes. Não quero vir com spoilers, mas nós, amantes de Dr. Glassman, podemos esperar…

Nos encontramos no próximo episódio e não deixem de acompanhar o site para mais notícias e reviews das suas séries favoritas!! Até lá…