Crítica: Alpha e Beta brilharam em flashback no 10×02 de The Walking Dead

Walking Dead 10x02
Imagem: AMC / Divulgação

Já fazia algum tempo que The Walking Dead não voltava ao passado

No segundo episódio da temporada de The Walking Dead, tivemos a chance de saber um pouquinho mais sobre a relação entre Alpha (Samantha Morton) e Lydia (Cassidy McClincy), que aqui foi interpretada pela atriz Havan Blum, além do primeiríssimo encontro entre a vilã e seu fiel companheiro, Beta (Ryan Hurst).

Continua após publicidade

Formando relações

O episódio trouxe indas e vindas entre o passado e presente, então vamos por partes. Sete anos antes, Alpha, que ainda não se chamava assim, tentava sobreviver com Lydia usando o sangue dos zumbis em seu corpo, ideia que nós já conhecemos em TWD.

Continua após a publicidade

As duas conhecem Beta após conseguirem entrar em um hospital psiquiátrico abandonado, onde o homem termina sendo misericordioso com as duas e as deixa ficarem lá por apenas uma noite.

Continua após publicidade

Claro que a minha percepção pode não ser de fato verdadeira, mas como Beta diz ser o único a viver lá, e usar sempre uma máscara, quem me garante que ele não seja uma das pessoas que viviam em tratamento? Afinal, o rapaz mesmo se intitula como “o apocalipse” e afins…

Rapaz misterioso

Conforme as horas vão passando, as ideias entre Alpha e Beta vão se alinhando ainda mais, e junto com a mulher vamos descobrindo mais e mais sobre a origem do sanguinário. Há um outro rapaz numa foto, com uma camiseta de emoji que, ao que tudo indica, é filho dele.

Continua após publicidade

Durante um combate, Alpha termina matando este rapaz zumbificado e vê Beta aos prantos. Ela o convida a se juntar a ela e vemos como ele consegue a máscara de zumbi e a camiseta que usa nos dias atuais.

Um ponto muito bom do episódio é essa química entre os dois personagens, além de Lydia tentar amadurecer e se tornar forte como a mãe, unicamente pelo medo de ser abandonada por ela.

Continua após a publicidade
O MIX DE SÉRIES atingiu 10 milhões de visitas mensais e vamos ensinar tudo que aprendemos nessa caminhada! Aumente o tráfego do seu site com técnicas avançadas de SEO.
Faça seu pré-cadastro aqui!
Imagem: AMC / Divulgação

Já nos tempos atuais…

Aqui Beta já possui um trabalho a fazer: levar a maior quantidade de mortos possíveis para o bando, juntamente com duas irmãs, uma ruiva e outra loira.

A loira já conhecemos, inclusive. É aquela que abandonou seu bebê em frente a Hilltop na última temporada, aquele salvo por Connie (Lauren Ridloff), lembram?

Pois bem, pudemos ver que ela não está lidando nada bem com a situação. Ela coloca seu grupo em risco várias vezes, sendo salva por Beta e sua irmã, que está preocupada em não causar nenhum problema.

A fraqueza de Alpha está exposta

No entanto, Alpha poupa a vida da moça, não só entendendo seu sofrimento, como também uma maneira de preencher aquele espaço uma vez ocupado por Lydia.

Beta, inclusive, encontra Alpha afastada e mantendo um ursinho da filha. Então, ela acaba descobrindo sua maior fraqueza e a vê abertamente em sofrimento, pela primeira vez. Em tom de lealdade, ele promete guardar segredo.

E voltando às irmãs, em um surto a loira acaba pulando nas costas de Alpha no momento em que estão guiando mais zumbis, mas acaba sendo morta pela própria irmã, que a joga para os zumbis. Depois, de volta para o acampamento, ela é condecorada Gamma (Thora Birch).

Em conclusão, foi um episódio que acrescentou apenas para o background dos personagens, exceto a apresentação de Gamma. Conhecendo The Walking Dead como conhecemos, isso terá impacto apenas em episódios posteriores.

E aí, gostaram, ou acham que poderia ter sido melhor? Comentem conosco e fiquem de olho nas redes sociais do Mix De Séries!

amc.com