Crítica: Episódio 3×09 de Chicago Med tem boas histórias, mas continua sem emoção

Imagem: NBC/Divulgação

Vamos esquentar as coisas, Pinto lobo!

Não estou conseguindo entender o objetivo dos produtores da NBC para Chicago Med. A série já passou do boring há muito tempo. Mesmo com boas histórias, a emoção não atinge o público, e este nono episódio não foi diferente. Will tendo que segurar a Naty que sempre se intromete demais. April ensinando o Choi a ser mais humano. Charles e Reese lutando para libertá-la daquele trauma. E Roldes mostrando para a Dr.ª Ava que tudo que ela faz, ele faz melhor. Até aquele chove e não molha da Maggie e o ex-marido já deu o que tinha que dar.

Foram apresentados 3 casos essa semana. Um cirurgião cardio-torácico que insistiu em observar a própria cirurgia (todo mundo já sabia naquele momento que ia dar merda). Uma jovem mãe em trabalho de parto prematuro. E uma jovem de 14 anos que fugiu dos abusos do namorado da mãe, virou sem teto e foi internada com uma fratura no crânio e uma barata no nariz. Além, é claro, da luta eterna da Reese em superar o pavor de pacientes descontrolados.

Achei o desenvolver das histórias satisfatórios, sim. Mas, venhamos e convenhamos, mais clichê impossível, não?

Continua após a publicidade

Lógico que a Reese iria usar da raiva de ser feita de boba para enfrentar seu problema. Lógico que o cara iria querer mandar na própria cirurgia. Lógico que a neonatologista tinha razão acima da Naty, apesar de que, eu, no lugar dessa mãe, também iria querer ter pelo menos uns minutos com meu bebê vivo. O que quero dizer é que as coisas saíram exatamente como deveriam. Quando os casos foram apresentados, as primeiras impressões que tivemos não mudaram em nada nos desfechos. Cadê a emoção desse hospital, gente? Queremos ver gritos, sangue, lágrimas e cabelos arrancados. Brincadeiras a parte, a minha opinião sobre a série continua a mesma. Ou eles agitam as coisas, ou acredito que uma renovação será difícil.

Dr. Choi não aprende nem se desenhar.

Vimos que o Choi tem um trauma familiar por sua irmã ser usuária de drogas e etc. Mas será que na escola de medicina que ele estudou não ensinaram a não misturar as coisas?

Gente, qual é, já está evidente que ele leva tudo para o pessoal. A pobre da April está mais parecendo a mãe dele que uma enfermeira do plantão. Ela tem quase que desenhar para ele que nem tudo é preto e branco. Fala sério, né!

Esse relacionamento já está até cansado de tanto que ele força as coisas. Todos os últimos pacientes dele sofreram com seus preconceitos e pré-julgamento. Vamos mudar esse disco, aê!

E vocês? O que estão achando desta terceira temporada? Deixem sua opinião nos cometários e lembrem-se: Chicago Med entra em hiatus brevemente e retorna dia 28/02. Até lá, povo!

Avatar

LaryCarvalho

Mãe de 3 princesas, de 2 anjos de 4 patas e esposa dum homão da porra! Mantenho a mente sã legendando e assistindo série. Sempre tento ver as coisas pelo lado bom e espero sempre o melhor dos outros. Brasileira, mineira e feliz, Uai!

No comments

Add yours