Crítica: Kara se encontra em um novo dilema consigo mesma no episódio 3×10 de Supergirl

Supergirl 3x10
Supergirl 3x10

Imagem: The CW/Divulgação

Ai que saudades eu estava de Supergirl! Depois daquela fall finale de tirar o fôlego, estava sedento pelo que viria após a terrível surra que nossa heroína levou de Reign. Já esperava que ela ficasse totalmente destruída depois da batalha, mas ficar em coma foi pesado. Pensei que a veria deitada, totalmente machucada e se recompondo aos poucos, tipo que nem quando Barry levou uma surra de Zoom no primeiro confronto entre eles em The Flash.

Com isso acontecendo, eu gostei da forma como o assunto foi tratado. O episódio começou de uma forma como se Kara já estivesse recuperada, e até estranhei de imediato, mas quando mostrou a personagem em coma tudo fez mais sentido. Tudo isso foi possível também através do Brainiac 5, membro da Legião de Heróis, que finalmente fez sua estreia na série. Vi muitos comentários inúteis – sim, esse é o termo certo a ser usado -, dos fãs já julgando seu personagem, pelo fato da aparência “não ser leal ao das HQs ou animações”. Me poupe, se poupe, nos poupe!

Pra mim a interação entre eles foi muito interessante, se tornando o principal destaque desse episódio. O personagem soube conduzir toda a situação, sendo o elo entre as duas dimensões, tudo fluindo de uma forma extremamente natural. Agora cá entre nós, e aquela referência a Dragon Ball Z? Nossa heroína recuperando seus danos físicos através de uma cápsula de água, toda entubada, foi difícil não se lembrar da recuperação de Goku em um equipamento do gênero, na saga de Freeza antes de lutar contra o vilão.

Continua após a publicidade

Imagem: The CW/Divulgação

Falando em referências, essa não foi a única abordada por aqui. Eu simplesmente surtei quando Imra faça sobre as coisas que Mon-El lhe ensinou sobre os dias de hoje, entre elas Bon Jovi. Como fã absoluto da banda, nem preciso dizer o quanto amei, ainda mais quando em outro momento, a personagem cita um trecho de “Livin’ On a Prayer”, sendo tal frase fator crucial para que chegássemos ao clímax da trama principal.

Agora vamos falar de Reign, obviamente. A vilã se mostrou bem impiedosa com os criminosos, e está bem determinada a fazer justiça da sua maneira, mas aquele poder todo apresentado no episódio passado me deu a sensação que deu uma sumida. Tipo, em alguns momentos eu a achei meio forçada e seus propósitos tão clichê, mas espero que isso seja melhor trabalhado e que volte a ser aquela antagonista f*%ona que mostrou em sua primeira aparição oficial. O lado bom é que Sam ainda está ali, e esse era meu medo, dela ter desaparecido após os últimos acontecimentos. É claro que seu lado humano se distanciará cada vez mais, porém isso possa ser fator decisivo para o desfecho de Reign nessa temporada. Quem sabe até uma redenção?

Pelo título do episódio, eu francamente achava que a Legião de Heróis teria o merecido destaque, mas entre eles apenas Brainiac 5 mesmo que fez por onde. Mon-El me irritou com aquele mimimi todo de se arriscar em desafiar Reign, e bastou uma citação de “Livin’ On a Prayer”, para ele mudar de ideia. É sério mesmo isso? Imra é uma personagem maravilhosa, mas que pra mim merece aparecer mais, se destacar por mérito próprio. Vamos ver o que Saturn Girl vai nos proporcionar daqui para frente. Depois que o ex de Kara parou com as frescuras, os heróis finalmente tiveram seus merecidos destaques. No fim eles tiveram papel fundamental para que Supergirl pudesse derrotar a inimiga por ora. Olha, francamente preferiria que qualquer um dos três tivessem aplicado aquela injeção de kryptonita, pois como alguém que acabou de sair de um coma de dois dias tem força para usar uma arma que contém um elemento que pode lhe matar? Fiquei confuso aqui.

Supergirl precisa vencer mais um dilema, e aceitar que é sim Kara Denvers, uma kryptoniana, mas que acabou se tornando uma terráquea, querendo ou não, com ou sem poderes. E parece que finalmente ela está voltando a ter consciência disso, depois de tudo que passou desde o início dessa temporada e acho que já fez mais que hora extra disso acontecer, pois os próximos confrontos com Reign prometem muito, e ela vai precisar de grandes aliados ao seu redor. Falando nisso, e aquela cena final do “alienado” pela garota de aço se juntando à vilã? Apesar de ter me revoltado com esse desfecho, algo me diz que isso possa ser algum plano, e que ele terá papel fundamental para o declínio da antagonista.

PS: O que foi J’onn se passando pela Kara, numa versão toda doidona dela com Lena Luthor?

PS2: Não vou falar de Lena e James, prioridades.

PS3: Revi a cena da Legião encarando Reign ao som de “Livin’ On a Prayer” umas cinco vezes.

PS4: CW bora agilizar a série da Legião? #ficaadica

Tags Supergirl
Eduardo Nogueira

Eduardo Nogueira

Administrador apaixonado por séries e música, sou fã assumido de Friends, e tenho guilty pleasure pelas séries da CW. No Mix sou editor de reality show, cobrindo atrações do gênero como as franquias The X Factor , The Voice, American Idol, entre outros. Faço também reviews das séries Mom, Supergirl, The Good Place, Scream, Fuller House e da brazuca A Garota da Moto. Além disso, deixo vocês sempre atualizados com as nossas Bolhas de Cancelamento, e também escrevo as colunas de Elenco e Teu Passado Te Condena. No tempo que me sobra faço um café para as visitas, rs. Ufa!

No comments

Add yours